Diagnóstico de câncer de vulva

Por Dr. Fernando Matos, MD

O câncer de vulva é diagnosticado com uma história médica completa, exame físico, seguido de estudos laboratoriais e de imagem.

A maioria dos cânceres precisam ser testadas em vários estágios e aulas que determinam o seu método de tratamento e também determinam as chances de sobrevivência após a terapia e cura.

História clínica detalhada

Doenças no passado, especialmente Líquen escleroso, bem como o vírus do papiloma humano (HPV), no passado é significativo.

Diagnóstico de neoplasia intra-epitelial Vulvar (NIV) também é importante, pois cerca de 80% das mulheres com VIN ir para desenvolver o câncer de vulva.

Exame físico

É realizado um exame físico detalhado. Exame pélvico e vulvar ajuda a determinar o local e a extensão da disseminação local do câncer. Presença de nódulos, moles, verrugas, levantadas patches etc é observado em detalhe.

Torno de estruturas como a uretra e canal anal são examinados e sinais de disseminação são determinados. Locais dos gânglios linfáticos e outros órgãos importantes também são examinados para detectar a propagação da doença.

Colposcopia e biópsia

Este é um primeiro passo comum no diagnóstico detalhado. Um instrumento chamado colposcópio é um pequeno tubo como estrutura com uma luz e uma câmera em sua extremidade. Ele ajuda a visualizar o câncer e levar a pequena quantidade de amostras de tecido. Isso é chamado de uma biópsia do tecido.

Antes de uma biópsia da área está manchada com um creme de anestésico local entorpecente. Pode haver um ligeiro sangramento ou dor da área biopsiada.

Biópsias também podem ser tomadas a partir de linfonodos inchados na virilha para determinar a extensão da propagação do câncer. Isso pode ser feito usando uma agulha chamada citologia de aspiração de agulha fina (FNAC).

Ou, em alguns casos uma cirurgia curta para inspecionar o linfonodo é executada.

Em todos os casos de biópsia, a amostra é manchada com uma tintura especial e examinada sob o microscópio para ver se há câncer e o tipo de câncer e o tipo de câncer.

Mais testes

Uma vez que o câncer é confirmado com outros exames de biópsia são sugeridos. Próximo passo é realizar uma cistoscopia. Isto usa um tubo muito fino com uma câmera em sua ponta que é inserida na bexiga para verificar se há uma disseminação para a bexiga.

No fabrico de amostras de biópsia se houver uma lesão suspeita. Proctoscopia é como cistoscopia e verifica a existência de câncer se espalha para o canal anal e reto.

Outros exames

  • A tomografia computadorizada sugere-se a olhar para uma imagem detalhada dentro do corpo. Isso mostra a extensão da propagação do câncer.
  • Uma varredura de MRI é outro estudo de imagem que mostra as partes do corpo em maiores detalhes essa tomografia computadorizada.
  • Um raio x de tórax revela a propagação do câncer para os pulmões.
· Um exame de tomografia por emissão de positrões (PET) – usa uma molécula de glicose com um átomo radioativo. Desde cancros acumulam glicose mais do que outras células a radioactividade tende a concentrar-se em câncer. Isso pode ser detectado por uma câmera especial. Este teste também ajuda a detectar disseminação do câncer.

Estadiamento do câncer

Os testes são realizados para o estágio do câncer. Teste revela a extensão da propagação do câncer.

Se o estágio for menor, significa que o câncer não se espalhou amplamente e há uma possibilidade de uma cura completa.

Estágios de câncer de vulva

Estágios de câncer de vulva são:

  • Etapa 1 – o câncer está confinada à vulva. 1A fase é quando o câncer é menos de 2 cm de tamanho e 1B é quando o câncer é mais do que 2 cm de tamanho.
  • Etapa 2 – nesta fase indica que o câncer se espalhou para as estruturas próximas como a vagina, ânus e uretra, mas os linfonodos mais próximos não são afetados.
  • Etapa 3 – nesta fase indica que o câncer se espalhou para os nódulos linfáticos próximos.
  • Fase 4 - indica que o câncer se espalhou para outras partes do corpo (1-4)

Avaliado por Abril Cashin-Gomes, BA Hons (inglês)

Leitura adicional

Fontes

Last Updated: Aug 1, 2012

Read in | English | Español | Français | Deutsch | Português | Italiano | 日本語 | 한국어 | 简体中文 | 繁體中文 | العربية | Dansk | Nederlands | Finnish | Ελληνικά | עִבְרִית | हिन्दी | Bahasa | Norsk | Русский | Svenska | Magyar | Polski | Română | Türkçe
Comments
The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.
Post a new comment
Post