Funcionamento da fosfatase mestra 1 da proteína do regulador

Published on March 26, 2010 at 5:22 AM · No Comments

A fosforilação da Proteína é um processo por que as proteínas são lançadas de um estado da activação a outro. É uma função crucial para a maioria de seres vivos, desde controles da fosforilação quase cada processo celular, incluindo o metabolismo, a transcrição do gene, a progressão do pilha-ciclo, o rearranjo cytoskeletal e o movimento da pilha.

Devido a sua importância na biologia, cientistas tenha quis aprender mais sobre a fosforilação da proteína e como as proteínas sabem quando e se tornar phosphorylated ou dephosphorylated. Pense dela gostam de escolher o sócio adequado da dança que conhece seus movimentos tão intimately que a coreografia é sem emenda. Os Biólogos aprenderam que as interacções pelas quinase (enzimas que adicionam um fosfato a uma proteína) estão reguladas altamente. Cada Um das 428 quinase humanas do serine/treonina interage somente com determinadas proteínas da carcaça, e escolhem o seu “partners” infalìvel. Mas para a reacção reversa, chamado desfosforilação (que remove um fosfato de uma proteína), somente aproximadamente 40 fosfatase estão disponíveis para interagir com todas as proteínas da carcaça. De facto, apenas uma delas, fosfatase 1 da proteína (PP1), é acreditado para ser responsável para até 65 por cento de reacções da desfosforilação.

A pergunta é então como PP1, um não especialista, sabe que proteínas da carcaça a interagir com. A pesquisa Nova por Wolfgang Peti, Professor Adjunto de Equipamento da Ciência Médica e professor adjunto da química, relatado em um papel publicou em linha na Natureza Estrutural & a Biologia Molecular, ajuda a responder a essa pergunta. Peti e os colegas em Brown e em Universidade de Yale descobriram que PP1 “escolhe” proteínas nas reacções da desfosforilação baseadas em qual de seus locais obrigatórios está disponível para que a interacção ocorra. Encontrar é importante, porque o regulamento PP1 errôneo pode causar as doenças numerosas, incluindo o cancro (cromatina que remodela), o diabetes (glycogen) e o Parkinson (LTP).

“Há uns milhares de papéis (par-revistos) lá fora, mas ninguém compreendeu como PP1 é regulado,” disse Peti. “É de facto um regulador mestre. Nós temos identificado agora como trabalha.”

Para obter seus resultados, a equipe mostrou pela primeira vez como PP1 é limitado a uma proteína do regulador, spinophilin. Usando a espectroscopia da ressonância magnética nuclear e o cristalografia do Raio X, os pesquisadores examinaram a estrutura do complexo spinophilin-PP1. Os cientistas viram que o spinophilin se tinha anexado a um de três locais obrigatórios da carcaça em PP1, chamado a carcaça do C-Terminal sulco obrigatório. Examinado na escala atômica, parece como se o spinophilin é um animal muito-tentacled que se teça no sulco obrigatório da carcaça do C-Terminal, obstruindo eficazmente toda a carcaça que exige este sulco da interacção com o PP1.

Esse deixa somente outros dois locais obrigatórios, os sulcos obrigatórios da carcaça ácida e hidrofóbica. “Toda A carcaça que precisar o C-Terminal é fora do jogo,” Peti disse.

Reduzindo os locais obrigatórios de três a dois, PP1 de facto está tornando-se mais selectivo, Peti notou. “O Que esse significa é PP1 é controlado ingualmente firmemente como as quinase são,” ele disse.

“Agora nós conhecemos como PP1 é regulado,” Peti adicionamos. “O Que acontece simplesmente somos nós não criamos mais enzimas. Nós criamos mais complexos da proteína (holoenzymes) esse aumento a especificidade de PP1.”

Source: Brown University
Read in | English | Español | Français | Deutsch | Português | Italiano | 日本語 | 한국어 | 简体中文 | 繁體中文 | Nederlands | Bahasa | Русский | Svenska | Polski