A carga Glycemic levanta o risco do retorno do cancro do cólon

Published on November 8, 2012 at 5:15 PM · No Comments

Por Kirsty Oswald, Repórter dos medwireNews

As cargas glycemic Aumentadas e o consumo alto do hidrato de carbono podem aumentar o risco para o retorno do cancro do cólon, mostram os resultados de um estudo dos E.U.

Além Disso, o impacto destes factores dietéticos na sobrevivência afectou primeiramente pacientes excessos de peso e obesos.

“Estes resultados apoiam o papel potencial de factores do balanço de energia na progressão do cancro do cólon e podem oferecer oportunidades de melhorar mais a sobrevivência paciente,” diga Jeffrey Meyerhardt (Dana-Farber Cancer Institute, Boston, Massachusetts, EUA) e colegas.

O estudo era parte de uma experimentação da quimioterapia adjuvante à cirurgia para o cancro do cólon da fase III. Incluiu 1011 pacientes que gravaram sua entrada dietética usando um questionário da freqüência do alimento durante a quimioterapia e por 6 meses mais tarde.

Meyerhardt e os colegas calcularam a carga glycemic diária da média dos pacientes tais que cada unidade representa o equivalente de 1 g do hidrato de carbono do pão branco. Encontraram que os pacientes no mais baixo quintile para a carga glycemic dietética tiveram uma possibilidade aumentada 79% da sobrevivência sã comparada com as aquelas no quintile o mais alto (48 contra 36%).

Similarmente, os pacientes no quintile o mais alto do consumo do hidrato de carbono tiveram um risco aumentado 80% para o retorno do cancro ou a morte de toda a causa comparada com os pacientes no mais baixo quintile (49 contra 34%).

Interessante, a análise mais aprofundada revelou que o relacionamento entre a carga glycemic e a sobrevivência sã estêve alterado pelo índice de massa corporal (BMI). Aqueles com um BMI de 25 kg/m2 ou tiveram mais um aumento de 2,3 dobras no risco se estavam no quintile o mais alto para a carga glycemic comparada com as aquelas no mais baixo quintile.

Pelo contraste, não havia nenhum relacionamento estatístico entre o deslocamento predeterminado e a sobrevivência glycemic nos pacientes com um BMI de menos de 25 kg/m.2

Os autores explicam que está crescendo a evidência que a produção da insulina pode ser relacionada ao crescimento e ao retorno do tumor.

“Nós supor que o balanço de energia adicional, incluindo uma carga glycemic dietética mais alta, pode estimular a produção sistemática da insulina, que pode, por sua vez, para promover a proliferação de pilha e para inibir o apoptosis dos micrometastases,” escrevem no Jornal do Instituto Nacional para o Cancro.

Os autores estão conduzindo uma pesquisa mais adicional para confirmar seus resultados em outras coortes de pacientes de cancro do cólon.

Licensed from medwireNews with permission from Springer Healthcare Ltd. ©Springer Healthcare Ltd. All rights reserved. Neither of these parties endorse or recommend any commercial products, services, or equipment.

Read in | English | Español | Français | Deutsch | Português | Italiano | 日本語 | 한국어 | 简体中文 | 繁體中文 | Nederlands | Русский | Svenska | Polski