Calmangafodipir protege contra efeitos secundários dos tratamentos contra o cancro

Published on January 22, 2013 at 7:29 AM · No Comments

Uma droga desenvolvida na Universidade de Linköping na Suécia protege contra os efeitos secundários dos tratamentos contra o cancro ao reforçar os efeitos no tumor. Uma avaliação internacional da droga está começando agora acima em um grupo maior de pacientes.

Os resultados dos estudos com o composto, conhecidos como o calmangafodipir, foram publicados na introdução a mais atrasada da Oncologia Translational do jornal do cancro com Professor Rolf G.G. Andersson como o autor principal.

A pesquisa foi iniciada sobre uma substância chamada o mangafodipir, que foi usado como os media de contraste na ressonância magnética fazem a varredura. Mas os farmacologista em LiU descobriram que igualmente protegeu pilhas saudáveis em relação aos tratamentos contra o cancro.

“Nós encontramos que a substância poderia afectar a formação de radicais do oxigênio, que são uma causa dos efeitos secundários na quimioterapia,” dizemos o Professor Andersson.

Por exemplo, o número dos glóbulos brancos diminui dràstica em quase todos os pacientes, que abre a porta às infecções que poderiam mesmo ser fatais.

Os pesquisadores começaram com os testes da pilha, e foram então sobre aos ratos contaminados com células cancerosas. Os ratos foram tratados com a quimioterapia e eram mangafodipir administrado ao mesmo tempo. A formação do Tumor diminuiu quando os glóbulos brancos foram protegidos.

Um problema era que uma grande parcela do manganês na substância estêve liberada; consequentemente, o efeito positivo abrandou-se. O manganês livre pode igualmente ser os danos cerebrais venenosos e da causa.

“Nós refizemos a substância e substituímos muito manganês com o cálcio. Isto rendeu um complexo mais estável, que despejasse ser mesmo melhor nas pilhas de protecção, aumentando desse modo o efeito anticanceroso,” diz o Professor Andersson.

O efeito do mangafodipir foi confirmado em um estudo menor em pacientes com cancro do cólon, que foi publicado na Oncologia Translational em fevereiro de 2012.

Janeiro Olof G. Karlsson é um conferente superior na Universidade de Linköping e um investigador sénior em PledPharma AB que está desenvolvendo a droga, que será introduzida no mercado sob a marca PledOx®. Um estudo internacional da Fase 2, envolvendo pacientes com o cancro do grande intestino, tem sido iniciado recentemente. Os resultados são esperados no final do ano.

Source:

Universidade de Linköping na Suécia

Read in | English | Español | Français | Deutsch | Português | Italiano | 日本語 | 한국어 | 简体中文 | 繁體中文 | Nederlands | Русский | Svenska | Polski