Os resultados da mutação genética classificam a carcinoma renal da pilha

Published on February 20, 2013 at 9:15 AM · No Comments

Pelo Gaiteiro de Lucy, Repórter Superior dos medwireNews

Os Pesquisadores identificaram os subtipos mutação-definidos da carcinoma renal da pilha da pilha clara (ccRCC) que têm resultados clínicos distintos.

Encontraram que os pacientes com positivo do ccRCC para mutações genéticas BAP1 apresentaram com os tumores mais agressivos e tiveram uma sobrevivência total significativamente mais ruim do que pacientes com positivo do ccRCC para as mutações PBRM1.

Os resultados “estabelecem a base para uma classificação genética molecular da carcinoma da renal-pilha da claro-pilha que poderia influenciar decisões do tratamento no futuro,” dizem James Brugarolas (Centro Médico Do Sudoeste da Universidade do Texas [UTSW], Dallas, EUA) e colegas.

Os pesquisadores avaliaram 145 pacientes com ccRCC preliminar do UTSW, de quem 21 teve os tumores de BAP1-mutated, incluindo três com mutações em BAP1 e em PBRM1, quando 78 pacientes tiveram tumores transformados exclusivamente para PBRM1.

Os pacientes com tumores de BAP1-mutated apresentaram com características mais agressivas do que aqueles com as mutações PBRM1, incluindo uma categoria mais alta, histologia sarcomatoid e rhabdoid, e necrose do tumor.

A sobrevivência total mediana era significativamente mais curto nos pacientes com mutações BAP1, em 4,6 anos contra 10,6 anos para pacientes com mutações PBRM1. Esta diferença na sobrevivência total correspondeu a uma relação do perigo de 2,7, que fosse similar à relação do perigo de 2,8 a equipe obtida em uma coorte da validação de 327 pacientes do ccRCC Do Atlas do Genoma do Cancro.

Os pacientes de UTSW com a sobrevivência total a mais ruim eram aqueles com as mutações BAP1 e o PBRM1; embora na minoria, sobreviveu para somente um número médio de 2,1 anos, de Brugarolas e de relatório da equipe.

O gene BAP1 codifica uma proteína implicada no deubiquitination, quando o gene PBRM1 codificar a proteína polybromo-1. Ambos são ficados situados no cromossoma 3p, que é o mesmo lugar que o gene de VHL (von Hippel-Lindau), mutações de que são sabidos já para caracterizar o ccRCC.

“Nós especulamos que, em muitos casos, a revelação da carcinoma da renal-pilha da claro-pilha está iniciada por uma mutação focal em VHL, seguido por um supressão 3p. a perda 3p pode eliminar a função do gene de VHL e deixaria pilhas com a apenas uma cópia de BAP1 e PBRM1,” a equipe escreve na Oncologia de The Lancet.

A “Mutação do alelo BAP1 ou PBRM1 restante pode iniciar o tumorigenesis, tendo por resultado os tumores da agressividade diferente segundo que o gene é transformado.”

Discutindo os resultados em um Comentário, em um Toni Choueiri e em uns colegas relacionados, da Faculdade de Medicina de Harvard em Boston, Massachusetts, EUA, diz: “Embora o serviço público clínico do estado das mutações PBRM1 e BAP1 como biomarkers para a carcinoma da renal-pilha não pôde ser imediatamente aplicável na prática clínica diária, estes resultados são uma etapa significativa.”

Licensed from medwireNews with permission from Springer Healthcare Ltd. ©Springer Healthcare Ltd. All rights reserved. Neither of these parties endorse or recommend any commercial products, services, or equipment.

Read in | English | Español | Français | Deutsch | Português | Italiano | 日本語 | 한국어 | 简体中文 | 繁體中文 | Nederlands | Русский | Svenska | Polski