Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Diversidade da imunoglobulina do anticorpo

Todos os micróbios provocam uma resposta do anticorpo. Devido à diversidade nos micróbios, o anticorpo precisa de adotar variações para permitir suas interacções com muitos antígenos diferentes.

O ser humano, por exemplo, gera aproximadamente 10 bilhão anticorpos diferentes. Cada um destes é específica para o resumo distinto de um antígeno. Desde que cada um dos anticorpos é diferente para cada um dos antígenos, o corpo precisa de ser capaz para gerar estas proteínas.

Os genes que codificam para estes escala diversa das imunoglobulina contudo são limitados e não numeram similar à variedade de anticorpos. Para criar a variedade de anticorpos assim o corpo adota mecanismos complexos do número relativamente pequeno de genes do anticorpo.

Variação dos domínios

Cada um dos genes para os anticorpos é ficado situado no lugar específico (locus) nos cromossomas. O locus para anticorpos é um segmento relativamente grande. Há diversos genes distintos para cada domínio do anticorpo. Há um locus para os genes da corrente pesada que seja encontrado no cromossoma 14 e em um locus para o lambda e os genes da corrente clara do kappa que é encontrado nos cromossomas 22 e 2 respectivamente nos seres humanos.

Uma destas regiões é chamado o domínio variável. Isto esta presente em cada corrente pesada e clara de cada anticorpo, mas pode diferir nos anticorpos diferentes gerados das pilhas de B distintas.

Os domínios variáveis são ficados situados em três laços conhecidos como as regiões hypervariable (HV-1, HV-2 e HV-3). Estes são chamados igualmente complementaridade que determina as regiões (CDR1, CDR2 e CDR3). Os locus para as correntes pesadas têm ao redor 65 genes variáveis diferentes do domínio. Estes diferem em seu CDRs. Quando combinados, estes genes podem render uma grande variedade de combinações para anticorpos pela permutação e pela combinação.

A recombinação destes genes é chamada de “recombinação V (D) J”. Isto significa a geração de anticorpos distintamente diferentes devido aos domínios variáveis diferentes nos anticorpos. A região variável de cada corrente pesada ou clara da imunoglobulina é codificada em diversas partes nos genes. Estes são chamados a variável (v), a diversidade (d) e a junta (J) segmentos.

Isotipos

Os isotipos são chamados interruptor da classe. Uma vez que as pilhas de B são activadas produzem classes diferentes de anticorpo (IgA, IgE, ou IgG). Quando o locus do gene da corrente pesada se submete a um fenômeno chamado recombinação do interruptor da classe (CSR), conduz à formação de isotipos. Este processo conduz a um gene da imunoglobulina que codifique um anticorpo de um isotipo diferente.

As pilhas de plasma comutam de produzir IgM a IgG ou a uma outra classe da imunoglobulina. O interruptor envolve uma mudança nos domínios constantes chain de H (CH). Nisto não há geralmente nenhuma alteração no L corrente ou na parcela variável da corrente de H e assim não há nenhuma mudança na especificidade antígeno-obrigatória.

Variabilidade devido ao hypermutation

Quando o antígeno liga ao anticorpo e activa as pilhas de B, proliferam ràpida e cada um destas pilhas contem o ADN para a formação de anticorpo. Os genes que codificam para os anticorpos nestas pilhas de B submetem-se à taxa alta de mutação de ponto ou o ponto muda em códigos genéticos para anticorpos. Isto é chamado “hypermutation somático” (SHM).

Cada SHM conduz a uma mudança do nucleotide pelo gene variável com cada divisão de pilha. Esta mutação conduz à formação de uma variedade de anticorpos específicos para o antígeno. Quando alguns dos anticorpos gerados forem fracos, alguns têm uma afinidade mais forte para o antígeno. Aquelas pilhas de B que produzem estes anticorpos fortes em conseqüência das mutações estão preservadas e proliferadas quando as outro morrerem fora.

Fontes

  1. http://www.oie.int/doc/ged/D9181.PDF
  2. http://www.tusculum.edu/faculty/home/ivanlare/html/genetics/antibodies-master.html
  3. http://www.jstor.org/discover/10.2307/1311508?uid=2129&uid=2&uid=70&uid=4&sid=21101284277531
  4. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK27140/

Further Reading

Last Updated: Apr 18, 2019

Dr. Ananya Mandal

Written by

Dr. Ananya Mandal

Dr. Ananya Mandal is a doctor by profession, lecturer by vocation and a medical writer by passion. She specialized in Clinical Pharmacology after her bachelor's (MBBS). For her, health communication is not just writing complicated reviews for professionals but making medical knowledge understandable and available to the general public as well.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Mandal, Ananya. (2019, April 18). Diversidade da imunoglobulina do anticorpo. News-Medical. Retrieved on August 06, 2020 from https://www.news-medical.net/health/Antibody-Immunoglobulin-Diversity.aspx.

  • MLA

    Mandal, Ananya. "Diversidade da imunoglobulina do anticorpo". News-Medical. 06 August 2020. <https://www.news-medical.net/health/Antibody-Immunoglobulin-Diversity.aspx>.

  • Chicago

    Mandal, Ananya. "Diversidade da imunoglobulina do anticorpo". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Antibody-Immunoglobulin-Diversity.aspx. (accessed August 06, 2020).

  • Harvard

    Mandal, Ananya. 2019. Diversidade da imunoglobulina do anticorpo. News-Medical, viewed 06 August 2020, https://www.news-medical.net/health/Antibody-Immunoglobulin-Diversity.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.