Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Cancro da pálpebra

Os cancros da pálpebra referem diversos tipos de crescimento maligno da pilha na pálpebra. O que quer que o tipo, o tumor é classificado pela diferenciação considerada nas pilhas, e pela taxa de proliferação. As carcinomas da pilha básica e as carcinomas de pilha squamous são as mais freqüentes. Cancros que não pertencem a estes grupos são raros mas para ocorrer com uma incidência aumentada sêxtupla em pacientes brancos idosos.

Tipos de cancro da pálpebra

As categorias principais de cancros que ocorrem nas pálpebras são:

Carcinoma da pilha básica

Isto esclarece aproximadamente 85% de todos os tumores que ocorrem na pálpebra, especialmente terra comum na pálpebra mais baixa. As pálpebras esclarecem 16% de carcinomas da pilha básica no corpo. A circunstância é considerada mais frequentemente nos adultos. Contudo, os jovens não são isentos dela. A exposição de pele ao sol ou à radiação ultravioleta põe um em um risco mais alto para este tipo de cancro de pele.

A maioria esmagadora de tumores da pilha básica é noduloulcerative quando os tumores superficiais e os tumores infiltrantes forem significativamente menos comuns nas pálpebras. Os tumores deste tipo espalham raramente aos órgãos próximos ou distantes, com o sangue ou os nós de linfa. São tratáveis, conseqüentemente, com um bom prognóstico.

Carcinoma de pilha Squamous (SCC)

Isto compreende somente 5 de 100 tumores da pálpebra, mas pode seguir uma condição precancerous. Pode ser causado por dano crônico da pele relativo à exposição do sol. Alguns precursores comuns de SCC são a doença ou o keratosis actínico de Bowen. Este tipo de cancro da pálpebra é mais agressivo do que tumores da pilha básica, e a metástase é mais comum. A propagação ocorre ao soquete de olho (local espalhado), aos nós de linfa locais, ou aos órgãos distantes. Se travado cedo e extirpado completamente, os pacientes têm um bom prognóstico.  A continuação por toda a vida é exigida devido relativamente ao risco elevado de retorno ou de tumores novos.

Carcinoma da glândula Sebaceous (SGC)

Este tipo de cancro elevara das glândulas sebaceous na pálpebra - estas produto a substância gorda chamada sebum para lubrificar a pele da pálpebra. Igualmente esclarece menos de 5% de tumores da pálpebra, mas é mais provável ocorrer em uns povos mais idosos, e especialmente em umas mulheres mais idosas. O local o mais comum é a pálpebra superior devido ao grande número de glândulas de Meibomian aqui. Pode comportar-se agressivelmente, e sua natureza multifocal faz-lhe em alguns casos um desafio para tratar conservadora. As taxas do retorno, assim como a metástase avalia, são mais altas com este formulário do cancro da pálpebra. Diagnostica-se frequentemente tarde porque imita umas condições mais benignas tais como um chalazion ou uma blefarite.

Melanoma maligno

Este tumor elevara dos melanocytes da pele, e ocorre rara nas pálpebras (em menos de 1 em 100 pacientes).

linfomas da B-pilha

Diversos linfomas podem aparecer primeiramente como tumores preliminares da pálpebra, mas são extremamente raros.

Sintomas e sinais

Um tumor da pálpebra pode parecer ser uma inflamação suave das pálpebras, chamada blefarite. Em alguns pacientes, as pálpebras no local afetado podem cair para fora.

Diagnóstico e tratamento

Os tumores da pálpebra são diagnosticados basearam em suas características clínicas e em uma biópsia do excisional. O tumor é removido e enviado para o exame patológico sob um microscópio.

Métodos cirúrgicos

Excisão cirúrgica

Este é o método cirúrgico o mais geralmente executado. Envolve a remoção de uma margem ampla do tecido saudável. Desde que as carcinomas da pilha básica são na maior parte preguiçosos, respondem bem a este formulário da terapia. Nos pacientes que não são cabidos para a cirurgia deste tipo, cryotherapy ou na irradiação é usado. Estes, contudo, são associados com as taxas mais altas do retorno.

Cirurgia de Mohs

Este é um formulário conservador especializado da excisão do tumor que envolve o microdissection da camada da pálpebra pela camada. Em cada etapa o tecido extirpado é examinado por um patologista para detectar o ponto em que a excisão pode ser parada. Está disponível somente em alguns centros.

Curetagem e Electrodissection

Isto é apropriado para algumas carcinomas pequenas e superficiais da pilha básica da pálpebra. O calor é entregado através de um eléctrodo para cauterizar o tecido cancerígeno e para prender o sangramento ao mesmo tempo. O tecido necrotic curetted então.

Exenteration orbital

Isto refere a remoção completa de todos os índices da órbita se um tumor espalha no soquete de olho.

métodos Não-cirúrgicos

os métodos Não-cirúrgicos a tratar o cancro da pálpebra incluem o seguinte:

Cryosurgery

Este é um formulário da remoção do tecido congelando o que usa o nitrogênio líquido ou as outras fontes de frio intenso. É seguido por umas taxas mais altas do retorno comparadas com a excisão cirúrgica adequada.

Irradiação da pálpebra

Isto é usado para remover os tumores periódicos ou os tumores que estendem durante todo a pálpebra. É igualmente apropriado para aqueles tumores cuja a excisão deixaria um defeito demasiado grande. Os pacientes doentes ou frágeis podem igualmente ser considerados aptos para a irradiação em vez da excisão cirúrgica. É usada igualmente postoperatively nos pacientes com SCC e propagação perineural. Quando a radiação é usada como a terapia exclusiva, está associada com as taxas mais altas do retorno.

Remoção do laser

Isto é usado às vezes para remover os cancros pequenos.

Quimioterapia de superfície

Isto envolve a aplicação de drogas quimioterapêuticas no tumor da pálpebra é usado raramente.

Reconstrução da pálpebra

Isto pode ser exigido se há um defeito cosmético no olho em conseqüência da cirurgia.

Referências

Further Reading

Last Updated: Feb 26, 2019

Dr. Liji Thomas

Written by

Dr. Liji Thomas

Dr. Liji Thomas is an OB-GYN, who graduated from the Government Medical College, University of Calicut, Kerala, in 2001. Liji practiced as a full-time consultant in obstetrics/gynecology in a private hospital for a few years following her graduation. She has counseled hundreds of patients facing issues from pregnancy-related problems and infertility, and has been in charge of over 2,000 deliveries, striving always to achieve a normal delivery rather than operative.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Thomas, Liji. (2019, February 26). Cancro da pálpebra. News-Medical. Retrieved on March 05, 2021 from https://www.news-medical.net/health/Eyelid-Cancer.aspx.

  • MLA

    Thomas, Liji. "Cancro da pálpebra". News-Medical. 05 March 2021. <https://www.news-medical.net/health/Eyelid-Cancer.aspx>.

  • Chicago

    Thomas, Liji. "Cancro da pálpebra". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Eyelid-Cancer.aspx. (accessed March 05, 2021).

  • Harvard

    Thomas, Liji. 2019. Cancro da pálpebra. News-Medical, viewed 05 March 2021, https://www.news-medical.net/health/Eyelid-Cancer.aspx.

Comments

  1. Reem Sheikh Muhammad Reem Sheikh Muhammad U.A.E. says:

    Dear Doctor
    This is Reem Ahmed and I like to explain briefly and send the medical report of my brother, Ayman Ahmed, who is under treatment as he has advanced extranodal NK/T cell non-Hodgkin lymphoma nasal type with CNS and testicular involvement. His case was discussed in the Tumor Board and he was planned to be started on SMILE Protocol with intrathecal chemotherapy and this to be followed by high-dose therapy/autologous stem cell transplantation if he achieved rmission to chemotherapy. He tolerated his chemotherapy fairly well with remarkable clinical evidence of disease regression as noticed by disappearance   of oral cavity ulcers and skin lesions. At the time of starting his fourh and last cycle 3of chemotherapy he started to have progressive worsening of lesion at the right eye. There was no clinical finfing elsewhere. He was assessed by Ophthalmology with finding of vitritis with multiple whilish lesions  in the retina.Repeated assessment with orbits MRI and brain MRI showed findings consistent with bilateral lymphomatous infiltration of the posterior globe with secondary right retinal detachment and increased enhancement in the internal auditory canal with leptomeningeal infiltration. He went for surgery where he had vitrectomy and multiple biopsieswere taken and it showed evidence of lymphoma as well as cytology from the vitreous fluid by flow cytometry was positive for lymphoma. Repeated assessment showed negative bone marrow piopsy. We discussed again in the Tumor abroad an Ayman was planned to have radiotherapy where he was started on emergency-based radiotherapy on 14 of July 2017. We are seeking your recommendation what can be done. So far we have some options.(Medical report is available, kindly we need email address to send it)
    1- if his PET scan is negative we will consider to go for stem cell mobilization/collection with high-dose cytarabine followed by BEAM conditioning and autologous stem cell transplantation.
    2- HLA tissue typing for patient and his three siblings is pending. Allogenic stem cell transplantion is a considered option despite the logistic issues where he is not eligible to do it in our center and it might be difficult for him to go abroad in early time.
    3- Pralatrex is available in our center and considered to be alternative option.
    4- Novel agents like using PDI inhibitors also discussed based on recent encouraging results in ongoing clinical trials. What is available is Nivolumab and this option also could be considered in the future.
    Thanks alot for your time. Medical report is available.

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.