Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Tratamentos Hypertrophic da cardiomiopatia

A cardiomiopatia Hypertrophic é uma doença genética dos músculos de coração que reduza a capacidade do coração para bombear eficazmente o sangue em torno do corpo.

Na maioria dos casos, a circunstância não causa nenhuns sintomas nem não afecta o dia-a-dia do indivíduo. Contudo, os sintomas significativos desenvolvem às vezes incluir a falta de ar, a dor no peito (angina), as palpitação, o atordoamento e a perda de consciência.

As influências da circunstância em torno de uma em 500 indivíduos no Reino Unido e os homens e as mulheres são afectadas ingualmente.

É causada pelo menos por uma mutação genética que afecta as proteínas em pilhas de músculo do coração. Isto faz com que o músculo de coração (miocárdio) engrosse (hipertrofia), endurece-se e em alguns casos, torne-se assustado. Isto pode interromper o sistema de sinalização elétrico do coração, que pode por sua vez conduzir à revelação dos ritmos anormais do coração que podem pôr em perigo a vida ou o resultado do indivíduo na parada cardíaca repentina.

Opções do tratamento

Não há actualmente nenhuma cura para a circunstância, mas as várias terapias estão disponíveis que pode aliviar sintomas e os ajudar a impedir complicações. Fornecendo os pacientes têm seus sintomas tratados e são monitorados apropriadamente, povos com cardiomiopatia hypertrophic podem conduzir uma vida normal. A escolha do tratamento depende do que os sintomas são e de como a circunstância afectou a função do coração. As terapias actuais são descritas com maiores detalhes abaixo.

Medicamentação

A medicamentação pode ser prescrita para relaxar os músculos de coração, para reduzir a frequência cardíaca e para permitir o órgão de bombear mais eficazmente. Os exemplos de tais medicamentações incluem betablocantes, construtores do canal do cálcio e reguladores do ritmo do calor. Os pacientes com fibrilação atrial podem ser anticoagulantes prescritos para diminuir o risco de formação do coágulo de sangue.

Cirurgias

Se as medicamentações não são eficazes em aliviar sintomas, a cirurgia cardíaca aberta pode ser executada. As cirurgias usadas são descritas abaixo.

Myectomy Septal

Um cirurgião remove as áreas engrossadas do septo ventricular - a parede que separa os dois ventrículos na parcela mais baixa do coração. Isto aumenta o volume do sangue bombeado do coração. Quando o myectomy for conduzido, um cirurgião pode igualmente corrigir as válvulas mitral se não se estão fechando inteiramente e está permitindo que o sangue movesse nos vestíbulos dos ventrículos.

Myectomy apical

O músculo coberto de vegetação no vértice do ventrículo esquerdo é removido. Isto melhora a função do coração aumentando o tamanho da cavidade, abaixando a pressão sanguínea no ventrículo e melhorando o enchimento ventricular. Os pacientes que se submetem a um myectomy apical ou septal não experimentam geralmente nenhuns sintomas mais adicionais.

Ablação Septal

Usando um cateter, o álcool é injectado na artéria que fornece uma área do músculo engrossado o sangue. Isto destrói o músculo anormal, que pode aliviar os sintomas desta circunstância. O procedimento pode, contudo, interferir com o sistema de sinalização elétrico do coração, neste caso um pacemaker artificial precisa de ser implantado para controlar a frequência cardíaca.

Cardioverter-Desfibrilador Implantable (ICD)

Se um paciente está experimentando arritmias perigosas, podem ser oferecidas um ICD. Isto segue a frequência cardíaca em todas as vezes e entrega os choques eléctricos para regularizar o coração se tal arritmia elevara. Os choques estabilizam o ritmo do coração, que reduz o risco de ocorrência repentina da parada cardíaca.

Referências

  1. http://www.cardiomyopathy.org/hypertrophic-cardiomyopathy/intro
  2. https://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/More/Cardiomyopathy/Hypertrophic-Cardiomyopathy_UCM_444317_Article.jsp
  3. http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/hypertrophic-cardiomyopathy/home/ovc-20122102
  4. https://www.bhf.org.uk/heart-health/conditions/cardiomyopathy/hypertrophic-cardiomyopathy

Further Reading

Last Updated: Sep 12, 2020

Sally Robertson

Written by

Sally Robertson

Sally has a Bachelor's Degree in Biomedical Sciences (B.Sc.). She is a specialist in reviewing and summarising the latest findings across all areas of medicine covered in major, high-impact, world-leading international medical journals, international press conferences and bulletins from governmental agencies and regulatory bodies. At News-Medical, Sally generates daily news features, life science articles and interview coverage.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Robertson, Sally. (2020, September 12). Tratamentos Hypertrophic da cardiomiopatia. News-Medical. Retrieved on October 25, 2020 from https://www.news-medical.net/health/Hypertrophic-Cardiomyopathy-Treatments.aspx.

  • MLA

    Robertson, Sally. "Tratamentos Hypertrophic da cardiomiopatia". News-Medical. 25 October 2020. <https://www.news-medical.net/health/Hypertrophic-Cardiomyopathy-Treatments.aspx>.

  • Chicago

    Robertson, Sally. "Tratamentos Hypertrophic da cardiomiopatia". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Hypertrophic-Cardiomyopathy-Treatments.aspx. (accessed October 25, 2020).

  • Harvard

    Robertson, Sally. 2020. Tratamentos Hypertrophic da cardiomiopatia. News-Medical, viewed 25 October 2020, https://www.news-medical.net/health/Hypertrophic-Cardiomyopathy-Treatments.aspx.

Comments

  1. My Experience My Experience United States says:

    Your title is very misleading. I have HOCM and have been tested by Mayo, and further tested genetically, only to show it is highly UNLIKELY to be genetic. I showed NO MARKERS for genetic contributions to this HOCM cardiac condition. Other factors are acute STRESS, which can generate the HOCM onset over time. Mayo is currently learning and now reviewing more veterans to see if PTSD linked HOCM is more common from combat veterans.

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.