Predominância da obesidade entre usuários do cannabis

Faixa clara a:

Crédito de imagem: Shidlovski/Shutterstock
Crédito de imagem: Shidlovski/Shutterstock

Os pesquisadores na universidade de estado do Michigan derramaram a luz nos mecanismos potenciais por que activou os receptors do cannabinoid influenciam a probabilidade do ganho de peso e da obesidade.

Seu estudo indicou que a ausência destes receptors confere protecção da obesidade dieta-induzida, possivelmente principalmente em conseqüência do receptor do papel cannabinoid-1 (CB1R) joga na obesidade ou devido a um efeito combinado, interactivo o receptor de CB1R e de cannabinoid-2 (CB2R).

Os resultados, que foram publicados no começo desse ano na obesidade do jornal, poderiam ajudar a explicar resultados de oposição dos estudos precedentes que olham como os receptors contribuem ao regulamento do metabolismo e do peso corporal da glicose.

Sistema humano do endocannbinoid. Crédito de imagem: Wut.ti.kit/Shutterstock
Sistema humano do endocannbinoid. Crédito de imagem: Wut.ti.kit/Shutterstock

Resultados de oposição entre usuários do cannabis

Muitos estudos relataram nos efeitos deestimulação do componente activo no − do − delta-9-tetrahydrocannabinol (THC) do cannabis e a evidência sugere que a ingestão de alimentos e o ganho de peso aumentados entre usuários do cannabis estejam associados com a activação de CB1R.

Nos roedores, na administração dos agonistas de CB1R tais como a ingestão de alimentos da diminuição e o ganho de peso rimonabant. Nos seres humanos, rimonabant exerce os efeitos similares, reduzindo o peso corporal, assim como melhorando outros aspectos da síndrome metabólica. No acordo, alguns estudos encontraram que os usuários do cannabis tendem a ter uma entrada mais alta da caloria do que não utilizadores.

Em conformidade, a activação dos receptors do cannabinoid e a entrada aumentada da caloria entre os povos que usam cannabis podiam ser esperadas mostrar uma associação positiva com a revelação da obesidade e do tipo - diabetes 2. Contudo, alguns estudos epidemiológicos de facto mostraram uma predominância reduzida da obesidade, da resistência à insulina e do diabetes entre usuários do cannabis.

Os estudos que explicam o papel de CB2R no ganho de peso não foram tão conclusivos quanto aqueles que olham CB1R.

Em um estudo 2015 publicado em PLoS um, Brian Oldfield e os colegas encontraram que a administração de um tipo de agonista de CB2R estêve associada com uma ingestão e um peso corporal reduzidos de alimentos em ratos obesos. Pelo contraste, um estudo 2016 por um Jenkins e os colegas publicados no jornal britânico da farmacologia encontraram que o tratamento com um outro agonista não reduziu a ingestão de alimentos ou o ganho de peso em roedores obesos dieta-induzidos.

Sobreposição e função complementar de CB1R e de CB2R

CB1R e CB2R reconhecem os mesmos grupos estruturais de agonistas, incluindo THC, mas às vezes com afinidaoes diferentes. Funções dadas que CB1R e CB2R têm sobrepor e complementares, Karl Olson e colegas na universidade de estado do Michigan decidida estudar os ratos que faltam CB2R (ratos de CB2−/−) e os ratos que faltam CB1R e CB2R (ratos de CB-DKO) para explicar mais contribuição dos receptors' para o regulamento do metabolismo do peso corporal e da glicose.

Uma dieta alto-gorda foi alimentada ad libitum aos ratos de idade comparável do homem CB2−/− e os ratos de CB-DKO por 12 semanas a fim avaliar mudanças metabólicas, comparados com o selvagem-tipo ratos alimentaram a mesma dieta. A ingestão, o peso corporal e a composição de alimentos foram medidos semanalmente por 12 semanas.

Os ratos de CB-DKO ganharam menos peso comparado com o Selvagem-tipo e os ratos de CB2−/−

No fim do período de um estudo de 12 semanas, nenhuma diferença significativa no ganho de peso foi observada entre o CB2−/− e o selvagem-tipo ratos (ganho médio de 19g contra 21g). Entre os ratos de CB-DKO, contudo, o ganho de peso médio era significativamente menos (somente 5g), comparado com outros dois grupos de ratos.

As medidas automatizadas da ingestão de alimentos indicaram que o peso corporal reduzido e o fenótipo magro dos ratos de CB-DKO não estiveram associados com a ingestão de alimentos diminuída ou a actividade locomotora. Contudo, a taxa de câmbio e a produção de calor respiratórias eram elevados em ratos de CB-DKO e os genes thermogenic do tecido adiposo upregulated.

“A calorimetria indirecta indicou que a inactivação de ambos os receptors do sistema do cannabinoid era capaz de contrabalançar a revelação da obesidade com a despesa de energia crescente,” escreve a equipe.

Os testes de tolerância de glicose e as medidas de níveis da insulina igualmente indicaram uma sensibilidade aumentada da insulina entre os ratos de CB-DKO, visto que os ratos de CB2−/− mostraram sinais do afastamento danificado da glicose.

Uma “mais baixa glicose de jejum, o colesterol total, e os níveis da insulina acompanharam a baixa adiposidade nos ratos de CB-DKO, sugerindo que o thermogenesis aumentado melhorasse a sensibilidade da insulina e outros parâmetros metabólicos.”

O Leanness pode ser predominante CB1R-mediated ou devido a um efeito interactivo de ambos os receptors

Os autores sugerem que dado o papel estabelecido de CB1R no balanço de energia, o leanness e o thermogenesis alterado em ratos de CB-DKO poderiam ser conduzidos por CB1R, embora advirta que esta conclusão está limitada pelo facto de que um modelo do KO CBR1 não estêve incluído no estudo.

Igualmente indicam que este fenótipo de CB-DKO poderia ser o resultado de um efeito interactivo original de ambos os receptors, um pouco do que devido a um papel predominante de CBR1 na obesidade.

De qualquer maneira, Olson e a equipe especulam que o downregulation dos receptors do cannabinoid pode esclarecer a predominância diminuída da obesidade e da resistência à insulina entre usuários do cannabis.

“Porque o cannabis contem compostos numerosos diferentes de THC que pode actuar através dos receptors do cannabinoid ou através de outros receptors e mecanismos, uns estudos mais adicionais são justificados,” concluem a equipe.

Last Updated: Aug 29, 2019

Sally Robertson

Written by

Sally Robertson

Sally has a Bachelor's Degree in Biomedical Sciences (B.Sc.). She is a specialist in reviewing and summarising the latest findings across all areas of medicine covered in major, high-impact, world-leading international medical journals, international press conferences and bulletins from governmental agencies and regulatory bodies. At News-Medical, Sally generates daily news features, life science articles and interview coverage.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Robertson, Sally. (2019, August 29). Predominância da obesidade entre usuários do cannabis. News-Medical. Retrieved on November 20, 2019 from https://www.news-medical.net/health/Obesity-Prevalence-Among-Cannabis-Users.aspx.

  • MLA

    Robertson, Sally. "Predominância da obesidade entre usuários do cannabis". News-Medical. 20 November 2019. <https://www.news-medical.net/health/Obesity-Prevalence-Among-Cannabis-Users.aspx>.

  • Chicago

    Robertson, Sally. "Predominância da obesidade entre usuários do cannabis". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Obesity-Prevalence-Among-Cannabis-Users.aspx. (accessed November 20, 2019).

  • Harvard

    Robertson, Sally. 2019. Predominância da obesidade entre usuários do cannabis. News-Medical, viewed 20 November 2019, https://www.news-medical.net/health/Obesity-Prevalence-Among-Cannabis-Users.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.
Post a new comment
Post