Artrite reumatóide e gravidez

A artrite reumatóide (RA) é uma doença imunológica que afeta sistemas numerosos. Um paciente da artrite reumatóide que obtem grávido pode ter um impacto sério na gravidez assim como no processo da doença.

As fêmeas são geralmente uns sofredores mais freqüentes das desordens imunológicas que afetam incluir das junções:

  • lúpus sistemático erythematous
  • artrite idiopática juvenil
  • A síndrome de Sjogren
  • Scleroderma
  • A síndrome de Reiter
  • artrite psoriática
  • dermatomyositis/polymyositis etc.

De facto o RA é três vezes mais comum nas fêmeas do que nos homens. Assim a gravidez é uma circunstância que possa ser encontrada entre pacientes do RA. Os médicos precisam ciente de diversos aspectos da gravidez em pacientes do RA.

Gravidez e estado imune

A gravidez pode alterar o estado imune que pode ter um impacto no curso de toda a doença auto-imune, incluindo o RA.

Era em 1931 que o Dr. Hench observou que há uma diminuição de duas a cinco dobras no risco para desenvolver o RA durante a gravidez em mulheres saudáveis.

Promova em 1992 Silman e os colegas executaram um estudo onde notassem que as mulheres com RA relataram que a gravidez teve um efeito protector em sua severidade da doença.

Gravidez e severidade do RA

Especialmente nos últimos três meses da gravidez (terceiro trimestre) os sintomas do RA reduzem-se significativamente.

Além mais de três quartos de pacientes grávidos com melhoria da mostra do RA em suas condições no primeiro ou segundo trimestre.

Contudo, a melhoria na circunstância pode ser provisória e os alargamentos podem ocorrer mesmo após o nascimento do bebê.

90% das mulheres com RA desenvolvem um alargamento acima da circunstância junto com a elevação no titre reumatóide do factor dentro de 3 meses após a entrega.

O risco de alarga-se levanta permanece para os 9 meses subseqüentes após a entrega. Um alargamento acima pode ser mais comum se a mulher está amamentando. Além disso os pacientes sem o RA antes da gravidez igualmente podem estar em um risco 5 vezes mais alto da doença após a entrega.

Quando três quartos de todos os pacientes mostrarem alguma melhoria em seus sintomas durante a gravidez, em torno de um quarto dos pacientes continua a ter a doença activa ou pode mesmo mostrar um agravamento da circunstância que necessita o tratamento durante a gravidez.

Patologia do RA na gravidez

Durante a gravidez as hormonas fêmeas que incluem o estradiol do soro, o deoxycortisol 17 o a-hydroxyprogesterone e 11 são aumentadas no sangue. Os corticosteroide são sabidos para exercer acções anti-inflamatórios e do imunossupressor. Esta poderia ser a razão pela qual a maioria de pacientes com RA mostram a melhoria durante a gravidez.

Além disso a hormona estrogénica pode diminuir a produção stromal da pilha de interleukein-1 (IL-1), de IL-6 e de TNF-alfa que jogam papéis importantes no RA. A progesterona igualmente diminui a resposta de célula T.

A gravidez conduz em si mesmo à produção diminuída da pilha do T-ajudante (Th1) - cytokines associados como IL-1 e interferona-gama e produção aumentada de cytokines de Th2-associated como IL-4 e IL-10. Isto pode ter um papel benéfico na patogénese do RA.

A patologia de alarga-se levanta após a entrega

Depois que a entrega lá é um risco de alargue-se acima do RA. Isto podia ser devido diminuir nos níveis esteróides anti-inflamatórios e em outras hormonas elevados. Promova lá é uma mudança de um Th2 a um perfil do cytokine do ajudante Th1 após a entrega.

Alguns estudos mostraram que a hormona que induz o leite materno que entra - o Prolactin, exibe Th1-type cytokine-como efeitos. Daqui, os níveis elevados de prolactin após a entrega podem ser responsáveis para um pioramento.

Efeitos do RA durante a gravidez

A maioria de mulheres com RA têm uma gravidez monótono e segura sem complicações significativas. Não há nenhum efeito da circunstância no bebê por nascer. Mais adicional ter o RA não afecta a fertilidade em uma mulher.

Pode, contudo, haver uma diminuição na movimentação sexual, uma deficiência orgânica na liberação do óvulo ou um ovo para a fecundação e a linha central hypothalamic-pituitário-ad-renal defeituosa que podem causar a dificuldade na concepção.

Os sintomas do RA são diminuídos durante a gravidez. Nos estados avançados de gravidez pode haver uma lombalgia e um edema dos pés. Contudo, estes sintomas são não relacionados ao RA. Há um risco mais alto de anemia e as contagens de sangue precisam de ser monitoradas.

Gestão do RA com gravidez

Para a maioria de pacientes grávidos do RA as drogas anti-reumáticos não podem ser exigidas desde que os sintomas são reduzidos e melhorados muito. Há contudo um risco de efeitos secundários no feto com determinadas drogas usadas no RA. O Notable entre estes é Methotrexate.

As drogas que podem ser usadas com segurança em pacientes grávidos com RA incluem: -

  • Aspirin na dose alta deve ser evitado durante todas as fases da gravidez especialmente mais tarde na gravidez. Na baixa dose é mais seguro (menos do que 80mg pelo dia).

  • O outro NSAIDs pode ser usado no primeiro e segundo trimestre da gravidez se necessário.

  • Os corticosteroide são considerados geralmente seguros durante a gravidez. A baixa prednisona da dose é a droga preferida e é considerada seguro para a matriz e o bebê.

  • Hydroxychloroquine é uma da doença que altera anti drogas da artrite reumatóide que tem não adverso no bebê nas doses de 200-400 mg/day. Prefere-se assim como o agente dealteração durante a gravidez, junto com o sulfasalazine.

  • Sulfasalazine é considerado seguro na gravidez e pode ser usado em todas as fases da gravidez.

  • O D-Penicillamine, o Cyclophosphamide e o Methotrexate contraindicated durante a gravidez enquanto pode causar dano fetal. Os sais do ouro, Azathioprine, Cyclosporine podem ser usados somente se os benefícios aumentam os riscos. Há pouca evidência da segurança com uso de outros agentes como Leflunamide, do Infliximab, do Etarnercept etc. em pacientes grávidos com RA.

Fontes

  1. http://ard.bmj.com/content/63/10/1212.full.pdf
  2. http://ard.bmj.com/content/69/2/317.full.pdf
  3. http://www.indianjmedsci.org/temp/IndianJMedSci608334-2864009_004744.pdf
  4. http://journals.lww.com/clinicalobgyn/Citation/1965/06000/Rheumatoid_Arthritis_and_Pregnancy.4.aspx
  5. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1004339/pdf/annrheumd00450-0003.pdf

Further Reading

Last Updated: Feb 27, 2019

Dr. Ananya Mandal

Written by

Dr. Ananya Mandal

Dr. Ananya Mandal is a doctor by profession, lecturer by vocation and a medical writer by passion. She specialized in Clinical Pharmacology after her bachelor's (MBBS). For her, health communication is not just writing complicated reviews for professionals but making medical knowledge understandable and available to the general public as well.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Mandal, Ananya. (2019, February 27). Artrite reumatóide e gravidez. News-Medical. Retrieved on November 17, 2019 from https://www.news-medical.net/health/Rheumatoid-Arthritis-and-Pregnancy.aspx.

  • MLA

    Mandal, Ananya. "Artrite reumatóide e gravidez". News-Medical. 17 November 2019. <https://www.news-medical.net/health/Rheumatoid-Arthritis-and-Pregnancy.aspx>.

  • Chicago

    Mandal, Ananya. "Artrite reumatóide e gravidez". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Rheumatoid-Arthritis-and-Pregnancy.aspx. (accessed November 17, 2019).

  • Harvard

    Mandal, Ananya. 2019. Artrite reumatóide e gravidez. News-Medical, viewed 17 November 2019, https://www.news-medical.net/health/Rheumatoid-Arthritis-and-Pregnancy.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.
Post a new comment
Post