Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Tipos da espectroscopia

Raio X

Os raios X da suficiente energia são usados para excitar os elétrons do escudo interno nos átomos de uma amostra. Os elétrons movem-se para orbitals exteriores então para baixo nos escudos internos vagados e a energia neste processo da de-excitação é emitida como a radiação.

As energias da absorção ou da emissão são características do átomo específico e as variações pequenas da energia podem ocorrer que são características da ligação química particular. As freqüências do raio X podem ser medidas e a absorção do raio X e a espectroscopia de emissão são usadas para determinar a ligação elementar da composição e do produto químico.

No cristalografia do raio X, os materiais cristalinos são analisados estudando a maneira que dispersam raios X os visaram. Conhecer o comprimento de onda dos raios X do incidente permite o cálculo e eventualmente as intensidades dos raios X dispersados dão a informação sobre as posições atômicas e o seu regime dentro da estrutura de cristal.

Chama

Geralmente o analyte está no formulário da solução (ou convertido em um) que é convertido então a um formulário gasoso livre em um processo de vários estágios (atomização). Este método é usado frequentemente para os analytes do elemento metálico actuais em escalas de concentração muito baixas.

Espectroscopia de emissão atômica (AE)

Este método usa os átomos entusiasmado do calor de uma chama para emitir-se a luz. A análise pode ser feita com um polychromator de alta resolução para produzir uma intensidade da emissão contra o espectro do comprimento de onda para detectar simultaneamente elementos múltiplos.

Espectroscopia de absorção atômica (AA)

Comparado à espectroscopia da AE, uma chama de uma mais baixa temperatura é usada de modo a para não excitar os átomos da amostra. Em lugar de, os átomos do analyte são realmente as lâmpadas de utilização entusiasmado que brilham através da chama nos comprimentos de onda ajustados de acordo com o tipo de analyte sob o estudo. A quantidade de analyte actual na amostra do estudo é determinada com base em quanto luz é absorvida após a passagem através da chama.

Espectroscopia da faísca ou do arco (emissão)

Isto é usado analisando os elementos metálicos contínuos ou as amostras não metálicas feitas condutores sendo mmoído com pó da grafite. A análise exige a passagem de uma centelha eléctrica com ela para produzir um calor que excite os átomos. Os átomos entusiasmado emitem-se a luz dos comprimentos de onda característicos que podem ser detectados usar um monocromador.

A análise destes elementos metálicos em amostras contínuas é por mais qualitativas que as condições da faísca não sejam boas monitoradas em geral contudo o uso recentemente introduzido das fontes da faísca que envolvem dados quantitativos controlados dos rendimentos das descargas.

Visível/ultravioleta (UV)

Isto usa o facto de que muitos átomos podem se emitir ou absorver a luz visível. Os átomos devem estar em uma fase gasosa a fim obter apenas um espectro como aqueles obtidos na espectroscopia da chama. É comum para que a espectroscopia de absorção visível seja combinada com a espectroscopia de absorção UV na espectroscopia de UV/Vis.

A espectroscopia UV pode ser usada para determinar a concentração de proteína e de ADN em uma solução. Muitos ácidos aminados (que incluem o triptofano) absorvem a luz na escala de 280 nanômetro enquanto o ADN absorve a luz na escala de 260 nanômetro. Usar este conhecimento indica a relação da 260/280 de absorvência do nanômetro como um bom indicador da pureza relativa de uma solução em termos destas entidades. A espectroscopia UV pode igualmente ser usada para analisar a fluorescência de uma amostra numa forma da espectroscopia de absorção.

Infravermelho (IR) infravermelho e próximo (NIR)

A espectroscopia do IR é usada para mostrar que tipos de ligações estam presente em uma amostra medindo tipos diferentes de vibrações bond interatómicas em freqüências diferentes. Confia no facto de que as moléculas absorvem freqüências específicas que é dependente de sua estrutura química. Isto é determinado por factores tais como as massas dos átomos.

NIR mostra uma profundidade de penetração maior em uma amostra do que a radiação meados de-infravermelha. Isto indica uma baixa sensibilidade mas igualmente isso permite que as grandes amostras sejam medidas em cada varredura pela espectroscopia de NIR com pouco (eventualmente) preparação da amostra. Tem as aplicações práticas numerosas que incluem: fármacos do diagnóstico médico, biotecnologia, várias análises (genómica, proteomic) e imagem lactente química de organismos intactos, de matérias têxteis, da aplicação judicial do laboratório e de várias aplicações militares.

Ressonância magnética nuclear

Este é um método proeminente para analisar compostos orgânicos porque explora as propriedades magnéticas de determinados núcleos atômicos para determinar as propriedades (produto químico e exame) destes átomos ou das moléculas que contêm os. Pode fornecer a informação extensiva sobre a estrutura, a dinâmica, e o ambiente químico dos átomos. Adicionalmente, mesmo os grupos funcionais diferentes são distinguíveis, e os grupos funcionais idênticos em ambientes moleculars de deferimento ainda dão sinais distinguíveis.

Referências:

  1. http://chem.ch.huji.ac.il/nmr/whatisnmr/whatisnmr.html
  2. http://www.rsc.org/learn-chemistry/wiki/Introduction_to_NMR_spectroscopy
  3. https://www2.chemistry.msu.edu/faculty/reusch/VirtTxtJml/Spectrpy/InfraRed/infrared.htm
  4. http://chemwiki.ucdavis.edu/Analytical_Chemistry/Analytical_Chemistry_2.0/10_Spectroscopic_Methods/10D%3A_Atomic_Absorption_Spectroscopy
  5. http://chemwiki.ucdavis.edu/Analytical_Chemistry/Analytical_Chemistry_2.0/10_Spectroscopic_Methods/10G%3A_Atomic_Emission_Spectroscopy
  6. http://www.iucr.org/__data/assets/pdf_file/0013/733/chap16.pdf
  7. http://www.iupac.org/publications/analytical_compendium/Cha10sec348.pdf
  8. https://en.wikipedia.org/wiki/Nucleic_acid_quantitation

Further Reading

Last Updated: Aug 23, 2018

Afsaneh Khetrapal

Written by

Afsaneh Khetrapal

Afsaneh graduated from Warwick University with a First class honours degree in Biomedical science. During her time here her love for neuroscience and scientific journalism only grew and have now steered her into a career with the journal, Scientific Reports under Springer Nature. Of course, she isn’t always immersed in all things science and literary; her free time involves a lot of oil painting and beach-side walks too.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Khetrapal, Afsaneh. (2018, August 23). Tipos da espectroscopia. News-Medical. Retrieved on June 06, 2020 from https://www.news-medical.net/health/Spectroscopy-Types.aspx.

  • MLA

    Khetrapal, Afsaneh. "Tipos da espectroscopia". News-Medical. 06 June 2020. <https://www.news-medical.net/health/Spectroscopy-Types.aspx>.

  • Chicago

    Khetrapal, Afsaneh. "Tipos da espectroscopia". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/Spectroscopy-Types.aspx. (accessed June 06, 2020).

  • Harvard

    Khetrapal, Afsaneh. 2018. Tipos da espectroscopia. News-Medical, viewed 06 June 2020, https://www.news-medical.net/health/Spectroscopy-Types.aspx.

Comments

  1. Pedro Bertemes-Filho Pedro Bertemes-Filho Brazil says:

    Faltou a Espectroscopia de Impedância Elétrica (EIE)

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.