A hipótese da higiene

A hipótese da higiene é referida igualmente às vezes como a teoria da prostração do bioma, ou os “velhos amigos” teoria, são uma hipótese que estados que a causa da doença alérgica pode ser intolerância imune resultando da exposição inadequada aos parasita e aos micróbios na infância.

Ou seja o em tamanho familiar, o agregado familiar melhorado que equipam, a limpeza aumentada e a taxa de infecção mais baixa, junto com imunizações contra muitas doenças da infância, foram responsáveis para a atopia. Isto é porque estes factores fundem para criar um ambiente que ofereça baixas possibilidades para infecções cruzadas dentro de uma família.

História

As mudanças nos padrões da higiene considerados durante todo a Revolução Industrial dos décimos nonos e vigésimos séculos trouxeram melhorias aproximadamente vastas no saneamento, na água potável e na recolha de lixo. Estes são pensados para ter a exposição reduzida a muitas doenças infecciosas tais como a cólera e tifóide. Contudo, estas medidas podem igualmente ter reduzido a exposição às substâncias microbianas úteis que ajudam o corpo a conseguir a tolerância aos disparadores ambientais potenciais para alergias.

Em 1989, David Strachan sugeriu que a elevação íngreme em doenças alérgicas tais como a febre da asma e de feno considerada no século XX pudesse ser atribuível a uma incidência mais baixa da infecção na primeira infância. Esta observação acendeu o começo da hipótese da higiene.

As melhorias nos padrões do agregado familiar e da limpeza pessoal foram acreditadas originalmente para estar entre os factores os mais significativos que contribuem a este exposrue reduzido. Adicionalmente, os em tamanho familiar menores foram ligados igualmente à ideia da exposição microbiana reduzida, porque havia a propagação menos interpessoal da infecção que pode ser necessário manter a força imune.

Circunstâncias relacionadas

A hipótese da higiene foi ligada originalmente à hipersensibilidade sob a forma das condições tais como a febre e a asma de feno. Contudo, a exposição abaixada aos agentes infecciosos pode ter um efeito muito mais largo do que acreditado inicialmente. De facto, diversas outras circunstâncias têm sido associadas desde com incluir da hipótese da higiene:

  • Tipo - 1 diabetes mellitus
  • Esclerose múltipla
  • Depressão
  • Cancro
  • Doença auto-imune
  • Leucemia lymphoblastic aguda
  • Autismo

Hipótese dos velhos amigos

A hipótese dos “velhos amigos” foi propor pela gralha de Graham em 2003 para alterar a hipótese original da higiene, e explica o efeito da exposição microbiana na incidência de desordens inflamatórios.

Esta hipótese é baseada na presença de micróbios essenciais que estaram presente porque infecções lactentes, micróbios, ou estados do portador que foram existência tolerada do ser humano do thoughout. Isto é em contraste com a exposição a outros micróbios tais como aquelas responsáveis para causar frios, gripe, sarampo e outras doenças de infância.

Acredita-se que a dependência do sistema imunitário nestes “velhos amigos microbiotic” pode causar a funcionalidade enfraquecida do sistema imunitário.

Presentemente, a hipótese dos “velhos amigos” é considerada ser a explicação a mais completa para o efeito do saneamento e da exposição aos micróbios na revelação destas circunstâncias.

Outros factores relevantes

A pesquisa que aquela conduziu a proposta da hipótese da higiene era pela maior parte observacional ou epidemiológica, e tem havido desde alguns estudos animais para imitar o efeito de padrões do saneamento.

Contudo, há diversos outros factores que podem poder esclarecer a incidência aumentada da doença alérgica, independente da hipótese da higiene. Estes incluem:

  • Mudanças dietéticas
  • Poluição ambiental
  • Mudanças no teste padrão da actividade física
  • Obesidade crescente
  • Esforço na vida moderna
  • Predisposição genética
  • Mudanças no estado sócio-económico

Uma pesquisa mais adicional é exigida para apoiar a higiene ou a hipótese dos “velhos amigos”, para ligar as observações à exposição microbiana, sem a interacção descontrolada destes outros factores.

Referências

Last Updated: Jun 26, 2019

Yolanda Smith

Written by

Yolanda Smith

Yolanda graduated with a Bachelor of Pharmacy at the University of South Australia and has experience working in both Australia and Italy. She is passionate about how medicine, diet and lifestyle affect our health and enjoys helping people understand this. In her spare time she loves to explore the world and learn about new cultures and languages.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Smith, Yolanda. (2019, June 26). A hipótese da higiene. News-Medical. Retrieved on November 19, 2019 from https://www.news-medical.net/health/The-Hygiene-Hypothesis.aspx.

  • MLA

    Smith, Yolanda. "A hipótese da higiene". News-Medical. 19 November 2019. <https://www.news-medical.net/health/The-Hygiene-Hypothesis.aspx>.

  • Chicago

    Smith, Yolanda. "A hipótese da higiene". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/The-Hygiene-Hypothesis.aspx. (accessed November 19, 2019).

  • Harvard

    Smith, Yolanda. 2019. A hipótese da higiene. News-Medical, viewed 19 November 2019, https://www.news-medical.net/health/The-Hygiene-Hypothesis.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.
Post a new comment
Post