Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Que causa distúrbios alimentares?

Os distúrbios alimentares, tais como anorexias nervosas, bulimia e frenesi que comem, são caracterizados por uma atitude incomum para o alimento que pode fazer com que um indivíduo altere seus hábitos comendo e comportamento comendo.

Nenhuma causa para distúrbios alimentares foi estabelecida. Embora uma preocupação com peso corporal e a forma do corpo parecessem ser centrais a todos os distúrbios alimentares, a pesquisa tem mostrado até agora que os distúrbios alimentares estão associados com (mas não causados perto) muitos factores diferentes, que podem ser genéticos, culturais, sociais, comportáveis, psicológicos ou biológicos.

Conseqüentemente, alguns “causa” de um distúrbio alimentar podem ser multifactoriais e complexos.

Factores de risco para distúrbios alimentares

Os distúrbios alimentares podem afectar indivíduos de qualquer raça, idade ou classe sócio-económica.  Os factores de risco que aumentam a probabilidade de desenvolver um distúrbio alimentar incluem:

Factores genéticos

A pesquisa sugere que os factores genéticos possam aumentar a probabilidade de um indivíduo que desenvolve um distúrbio alimentar. Os indivíduos com um parente do primeiro-grau que tenha uma história de um distúrbio alimentar seja mais provável do que indivíduos sem tal parente, a se desenvolvem um distúrbio alimentar. Além, os pesquisadores identificaram os genes específicos que influenciam hormonas tais como o leptin e o ghrelin. Os peritos acreditam aquele assim como a alimentação de regulamento, estas hormonas podem influenciar os traços e os comportamentos da personalidade que são associados com a anorexia e a bulimia.

Influências em casa ou na escola

A pesquisa existente no papel da família em provocar um distúrbio alimentar é pela maior parte de secção transversal, retrospectiva e infundamentado. Contudo, sugeriu-se que os comportamentos dos pais' pudessem influenciar os hábitos comendo da sua criança. Por exemplo, matrizes que fazem dieta ou a preocupação excessivamente sobre seu peso pode provocar sua criança para desenvolver uma atitude anormal para o alimento, como podem um pai ou um irmão que amolem um indivíduo sobre sua peso ou forma.

Similarmente, os comentários feitos por colegas no ambiente escolar podem influenciar a atitude de uma criança aos hábitos comendo e as grandes expectativas de um pai ou do professor do desempenho de uma criança na escola podem igualmente ajudar a colocar as fundações para um distúrbio alimentar.

Personalidade e carácter

Os povos com distúrbios alimentares tendem a compartilhar da personalidade similar e de traços comportáveis tais como o baixo amor-próprio, o perfeccionismo, a aprovação procurando, a dependência, e os problemas com o auto-sentido.

Além, os transtornos de personalidade específicos podem aumentar o risco para desenvolver distúrbios alimentares, estes incluem:

Transtorno de personalidade de Avoidant

Os povos com esta circunstância são tipicamente perfeccionista, inibido emocionalmente e sexual, nonrebellious e terrificado da crítica ou a humilhação.

Transtorno de personalidade obsessionante

Os indivíduos com esta desordem podem ser perfeccionista, moral rígido, ou estado relacionado excedente com as regras e o pedido.

Transtorno de personalidade da fronteira

Esta desordem é associada com os comportamentos autodestrutivos e impulsivos.

Transtorno de personalidade narcisístico

As características desta desordem incluem uma incapacidade consolar-se oneself ou empathize com outro assim como uma necessidade para a admiração e um oversensitivity à desaprovação ou à derrota.

Factores psicológicos

As condições psicológicas tais como a desordem traumático do esforço do cargo, a desordem de pânico, as fobias e a depressão tudo foram associadas com os hábitos comendo anormais, como têm factores de força da vida tais como a perda do trabalho, o divórcio, ou lidar com tiranizar ou uma dificuldade de aprendizagem tal como a dislexia. As situações fatigantes ou upsetting tais como fins do prazo apertados no trabalho, na escola ou na universidade ou em experimentar a morte de uma amada são todos os exemplos dos factores que podem contribuir à revelação de um distúrbio alimentar.

Desordens de imagem de corpo

As desordens de imagem de corpo tais como a desordem dysmorphic do corpo, onde um indivíduo tem uma ideia distorcida de seu corpo, ou o dysmorphia do músculo que descreve uma obsessão com massa do músculo, são associadas frequentemente com a anorexia ou a bulimia.

Pressões culturais

O impacto dos media na cultura ocidental pode abastecer um desejo para ou uma obsessão com a ideia de tornar-se finamente. Nos media, o thinness ou a esbelteza são igualados frequentemente com o sucesso e a popularidade, que podem cultivar e incentivam a ideia de ser finos, especialmente entre as raparigas. Contudo, os media igualmente introduzem no mercado ferozmente os alimentos baratos e caloríficos, que podem causar a confusão e o esforço. A pressão tornar-se finamente pode igualmente ser percebida pelos indivíduos que participam em actividades competitivas ou atléticas tais como a modelagem, o bailado ou o corredor.

Em conseqüência, os povos podem desenvolver expectativas fantasiosas para sua imagem do corpo e colocar um overemphasis na importância de ser finos.

Factores biológicos

Um sistema corporal chamado a linha central hypothalamic-pituitário-ad-renal (HPA) pode jogar um papel importante nos distúrbios alimentares.

O HPA libera reguladores do apetite, do esforço e do humor tais como a serotonina, o norepinephrine, e a dopamina. As anomalias destes mensageiros químicos são consideradas jogar um papel importante nos distúrbios alimentares. A serotonina é importante no controle da ansiedade e do apetite quando o norepinephrine for um regulador do esforço e a dopamina joga um papel no comportamento recompensa-procurando. Um desequilíbrio da serotonina e da dopamina pode ajudar a explicar porque os povos com anorexia não derivam um sentido do prazer do alimento e de outros confortos comuns.

Fontes

Further Reading

Last Updated: Aug 23, 2018

Sally Robertson

Written by

Sally Robertson

Sally has a Bachelor's Degree in Biomedical Sciences (B.Sc.). She is a specialist in reviewing and summarising the latest findings across all areas of medicine covered in major, high-impact, world-leading international medical journals, international press conferences and bulletins from governmental agencies and regulatory bodies. At News-Medical, Sally generates daily news features, life science articles and interview coverage.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Robertson, Sally. (2018, August 23). Que causa distúrbios alimentares?. News-Medical. Retrieved on July 14, 2020 from https://www.news-medical.net/health/What-Causes-Eating-Disorders.aspx.

  • MLA

    Robertson, Sally. "Que causa distúrbios alimentares?". News-Medical. 14 July 2020. <https://www.news-medical.net/health/What-Causes-Eating-Disorders.aspx>.

  • Chicago

    Robertson, Sally. "Que causa distúrbios alimentares?". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/What-Causes-Eating-Disorders.aspx. (accessed July 14, 2020).

  • Harvard

    Robertson, Sally. 2018. Que causa distúrbios alimentares?. News-Medical, viewed 14 July 2020, https://www.news-medical.net/health/What-Causes-Eating-Disorders.aspx.

Comments

  1. Charlotte Bevan Charlotte Bevan United Kingdom says:

    Whilst well meant, I'm sure, this article is both inaccurate and offensive, as well as being some time-warp from the last century - literally.

    The focus on family issues is not proven, despite huge amounts of money and reams of rain forest being wasted on speculative clinical observations.  Parents do not cause eating disorders.

    The same can be said for cultural factors.  Causation and correlation are two different things.

    For up-to-date information on eating disorders please visit feast-ed.org.  For parents of children with eating disorders, there is a peer-to-peer forum at aroundthedinnertable.org.

    It is time to stop blaming and time to start treating eating disorders with evidence based treatments.

  2. Julie O'Toole MD, MPH Julie O'Toole MD, MPH United States says:

    I am sorry but I disagree with almost everything you have written.  I am a pediatric eating disorder physician who has seen well over 2000 children with eating disorders in our clinic.

    Parents do not cause eating disorders--indeed they could not do so if they wanted to, anymore than they could "cause" schizophrenia.  This belief that dysfunction within the family is a cause of eating disorders or of anorexia nervosa is left over from the last century.  Discard it please and read the genetic literature.

    Having an obese parent does not cause or trigger bulimia.  Were that so, the prevalence of bulimia would be vastly greater than it is.

    I, in particular, appreciate your discussing hormones, but everything you said is merely a report on the hormones themselves.  In what way do you feel ghrelin, for example, is part of the cause?  High levels of cortisol are often seen in AN, but there is no evidence this is a trigger or cause.  It is likely a consequence. Correlation does not imply causation.

    "Eating disorders may be triggered to avoid sexuality"--- how about our many ten year old little boys and girls with anorexia?  Please!  Again, discard these left-overs from a era where hypothesizing and guessing about mental illness passed for science.

  3. Jennifer Ouellette Jennifer Ouellette United States says:

    If you don't have the psycho-biological makeup to develop an eating disorder, it won't happen. Period. Poor parenting has nothing to do with it; in our case, as the family of an anorexic, we've been certified highly-functional by an entire treatment team of professionals. To perpetuate this tired, non-evidenced based myth, which like that of the refrigerator mother causing autism, causes untold harm is sloppy medicine at best and unconscionable at worst.

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.