Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Que causa a nefropatia do diabético (doença renal)?

Em muitos diabéticos, os rins lentamente engrossam e tornam-se progressivamente assustado ao longo do tempo. Os nephrons, que são as unidades funcionais e estruturais básicas dos rins, tornam-se gotejantes e permitem-se a albumina, uma proteína feita pelo fígado, para passar livremente na urina. O dano ao rim pode ser em curso por muitos anos antes que um paciente se torne sintomático e se perca a capacidade para filtrar o sangue, para controlar o balanço fluido do corpo, e para remover os restos da produção.

Por definição, a nefropatia do diabético (DN) é tipicamente macroalbuminuria e função anormal do rim. Macroalbuminuria é considerado como uma excreção da albumina na urina além de magnésio 300 durante um período de 24 horas. A função do rim é tomada como anormal nos casos onde há umas anomalias na creatinina do soro, o afastamento calculado da creatinina do soro ou uma taxa de filtragem glomerular (GFR).

O DN está considerado o caso quando há macroalbuminuria apenas ou macroalbuminuria junto com a função renal anormal. Os sinais clínicos do DN incluem quantidades crescentes de albumina na urina com GFR reduzido e na hipertensão com risco aumentado de morbosidade e de mortalidade cardiovasculares.

Etiologia da nefropatia do diabético

Quando a causa exacta do DN permanecer desconhecida, diversos mecanismos estiveram postulados. Estes incluem, hiperglicemia, produtos do glycation, e a activação de cytokines pro-inflamatórios. Alguns estudos acreditam que causas glycemic deficientes hyper-filtragem do controle e da hiperglicemia e ferimento do rim. Além disso, os factores genéticos e/ou familiares podem igualmente jogar um papel. Os afro-americanos, os hispânicos, e os indianos do nativo americano foram observados como estando em um risco mais alto de desenvolver o DN. Dano do rim é igualmente mais provável ocorrer naqueles que fumam, têm a hipertensão, e tiveram o tipo - 1 diabetes antes da segunda década da vida.

Patofisiologia

Nas fases iniciais de diabetes, há uma hiperinflação glomerular e um aumento resultante em GFR, que é acreditado ser negociado pela hiperglicemia. Isto pode ser relacionado à expansão mesangial do rim e a um aumento no crescimento de pilhas renais com a ajuda dos cytokines, tais como o factor de crescimento de transformação B (TGF-B). TGF-B é especialmente importante na expansão e subseqüentemente na fibrose. Adicionalmente, ligamentos da glicose reversìvel e irreversìvel a algumas proteínas nos rins e na circulação para formar o que são chamadas produtos finais avançados do glycosylation (idades). Estas idades contribuem a dano do rim quando formam os complexos que podem estimular o crescimento e a fibrose.

A hipertensão é acreditada para jogar um papel no DN, porque controlar este parâmetro mostrou para diminuir a progressão dos diabéticos ao DN. Os estudos em animais destacaram a importância deste factor, onde o grau de DN foi correlacionado fortemente pressões sanguíneas sistemáticas aos animais'. A hipertensão conhecida para causar ferimento e o dysregulation endothelial da pressão sanguínea a nível do rim é um factor de contribuição.

Nas pessoas com tipo - 1 diabetes, lá é primeiro microalbuminuria pela idade de 5, que é seguida pelo DN e pelo macroalbuminuria aproximadamente uma década mais tarde. A metade destes pacientes desenvolve a doença renal da fase final (ESRD) dentro dos 10 - a um período de 15 anos após o início do microalbuminuria.

Ao contrário, aproximadamente 3 em cada tipo 10 - 2 diabéticos, sem intervenção, podem progredir ao DN. Após aproximadamente 2 décadas da doença renal, aproximadamente 20% delas pode desenvolver ESRD. Quando pouca porcentagem do tipo - 2 diabéticos progrida a ESRD em comparação com o tipo - 1 os diabéticos, aqueles com tipo - diabetes 2 compreenda uma porcentagem maior da população que exige o tratamento de diálise, porque tipo - o diabetes 2 for mais comum do que o tipo - 1.

Fontes

Further Reading

Last Updated: Jun 17, 2019

Dr. Damien Jonas Wilson

Written by

Dr. Damien Jonas Wilson

Dr. Damien Jonas Wilson is a medical doctor from St. Martin in the Carribean. He was awarded his Medical Degree (MD) from the University of Zagreb Teaching Hospital. His training in general medicine and surgery compliments his degree in biomolecular engineering (BASc.Eng.) from Utrecht, the Netherlands. During this degree, he completed a dissertation in the field of oncology at the Harvard Medical School/ Massachusetts General Hospital. Dr. Wilson currently works in the UK as a medical practitioner.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Wilson, Damien Jonas. (2019, June 17). Que causa a nefropatia do diabético (doença renal)?. News-Medical. Retrieved on January 22, 2021 from https://www.news-medical.net/health/What-causes-Diabetic-Nephropathy-(Kidney-Disease).aspx.

  • MLA

    Wilson, Damien Jonas. "Que causa a nefropatia do diabético (doença renal)?". News-Medical. 22 January 2021. <https://www.news-medical.net/health/What-causes-Diabetic-Nephropathy-(Kidney-Disease).aspx>.

  • Chicago

    Wilson, Damien Jonas. "Que causa a nefropatia do diabético (doença renal)?". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/What-causes-Diabetic-Nephropathy-(Kidney-Disease).aspx. (accessed January 22, 2021).

  • Harvard

    Wilson, Damien Jonas. 2019. Que causa a nefropatia do diabético (doença renal)?. News-Medical, viewed 22 January 2021, https://www.news-medical.net/health/What-causes-Diabetic-Nephropathy-(Kidney-Disease).aspx.

Comments

  1. Julia Doma Julia Doma Sweden says:

    It’s no exaggeration to state that diabetes is a colossal
    health epidemic in the United States. In their 2014 National Report, the CDC estimates that 29.1 million people have diabetes, which represents an alarming
    9.3% of the US population.

    Many diabetics already know about the benefits of a low-glycemic diet, but why haven’t they heard about turmeric, one of the world’s most extensively researched
    anti-diabetic plants?

    Turmeric root has been shown to be a true diabetes-fighting superstar; recent studies have shown that turmeric extract is effective at helping fight Type
    2 diabetes.

    A recent literature review published in the International Journal of Endocrinology and Metabolism [1] adds promising new support to the notion that the ancient Indian spice
    turmeric may provide an ideal drug alternative to treating and perhaps even preventing type 2 diabetes.

    The study reviewed research published between 1998 to 2013 that indicates the active polyphenol in turmeric known as curcumin may provide an ideal intervention for type 2 diabetes, capable of reducing elevated blood sugar levels
    and insulin resistance.

    How it Works:

    Amazingly, the research literature review concluded that
    turmeric and it's active component curcumin could improve
    the type 2 diabetic state through many different mechanisms,
    such as:

    - Reduction in liver glucose production
    - Reduction in liver glycogen production
    - Stimulation of increased glucose uptake
    - Suppressing high blood sugar induced inflammatory states
    - Stimulating insulin secretion from pancreatic tissues
    - Improvement in pancreatic cell function
    - With the possibility of deadly side effects from drugs, we
    need natural, safe, affordable and easily accessible
    alternatives like turmeric now more than ever.

    But before you run out and buy turmeric, you need to read
    this... not just ANY turmeric will work.

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.