Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Que é a tela tripla na gravidez?

A tela tripla é um teste de selecção do sangue que seja feito no segundo trimestre da gravidez para fornecer uma avaliação do risco para a ocorrência de Síndrome de Down no feto. Consiste em três testes, os resultados de que são combinados com a idade materna para derivar o risco:

  • MS-AFP (alfa-fetoproteína materna do soro)
  • Gonadotropina coriónica humana (hCG)
  • Estriol Unconjugated (uE3)

Valor da tela tripla

Diversos estudos indicaram a falta de diferenças principais na ocorrência de Síndrome de Down nas gravidezes que são tela-positivas comparadas aos grupos tela-negativos. Isto sublinha natureza da selecção essencial do `' do teste, que não significa necessariamente que o bebê será afetado. De facto, a causa a mais comum para uma tela tripla positiva é tâmaras erradas da gravidez, que signifique que o bebê é mais idoso do que esperado nas tâmaras dadas pela matriz. Além disso, uma tela negativa não significa sempre que o bebê será completamente normal, porque não detecta todos os tipos de defeitos congenitais.

O teste triplo pode ser oferecido às mulheres de alto risco somente, como:

  • Matrizes mais idosas em quem o risco de defeitos congénitos, especificamente Síndrome de Down, é mais alto
  • Mulheres com uns antecedentes familiares prévios pessoais ou dos bebês com defeitos congénitos

Sincronismo da tela tripla

A tela tripla é a mais valiosa quando executada entre 16-18 semanas da gravidez, mas pode ser feita a qualquer momento entre 15 e 22 semanas gestacionais.

Valores anormais do teste

Se os resultados triplos da tela são positivos, diversas opções são possíveis. Em alguns casos, uma varredura imediata do ultra-som pode ser pedida para confirmar a idade do feto assim como para ordená-la para fora ou detectar defeitos de câmara de ar neural (NTD), anomalias renais, defeitos cardíacos, ou anomalias gastrintestinais.

Um outro teste que possa ser recomendado é a amniocentese, em que 15-20 mL do líquido amniótico são retirados delicadamente do líquido no saco que cerca o feto no ventre.

Componentes separados

Alfa-Fetoproteína (AFP)

AFP é uma proteína fetal que compo o volume de proteínas de soro fetal. É produzido principalmente pelo saco e pelo fígado de gema no feto. É inicialmente baixo mas elevações em aproximadamente a 14a semana. Neste momento AFP fetal cruza a placenta para entrar no córrego materno do sangue.

O nível de AFP aumenta de aproximadamente 0,2 ng/mL antes da gravidez a 250 ng/mL em 32 semanas. O escapamento aumentado de AFP ocorre em defeitos de câmara de ar neural, em anomalias do aparelho gastrointestinal, e em outras circunstâncias fetal, assim como em gravidezes múltiplas e em tâmaras erradas (quando o feto é mais velho do que esperado nas tâmaras dadas da gravidez). Os baixos níveis de AFP são considerados em Síndrome de Down e em outras síndromes de down.

Estriol Unconjugated (uE3)

O Estriol é a hormona estrogénica principal que circula durante a gravidez, e é produzido pelo feto e pela placenta. É conjugado em parte para aumentar sua excreção através da urina fazendo a solúvel em água. Seus níveis aumentam com termo gestacional. Os baixos níveis são encontrados em Síndrome de Down e em síndrome de down 18, assim como com tâmaras erradas (quando o feto é mais novo do que as tâmaras da gravidez sugerem), aborto faltado, e diversas outras síndromes congenitais.

Gonadotropina coriónica humana (hCG)

o hCG é uma glicoproteína compor de duas subunidades, de um alfa e de um beta. A subunidade alfa é idêntica àquelas encontradas em outras hormonas tais como a hormona luteinizing (LH) e a hormona deestimulação (FSH). A beta subunidade assemelha-se àquela do LH e, a um grau inferior, àquelas de FSH e a TSH. É responsável para as propriedades funcionais originais do hCG. Sua síntese começa cedo na gravidez e mantem a função do luteum do corpus, a saber, produção da progesterona e manutenção da gravidez, durante o primeiro trimestre, até que a placenta se amadureça suficientemente para começar a tomar sobre esta função após 13 semanas. Os beta-hCG níveis altos ocorrem em Síndrome de Down, em feto novo-do que-esperados (devido às tâmaras erradas), em gestação múltiplas e em gravidezes triploid, assim como em abortos e em fetalis faltados dos hydrops. Os baixos níveis são considerados na síndrome de down 18.

Avaliação de risco

Como muitos outros testes de selecção, a tela tripla é baseada no teorema de Bayes, e as ajudas derivam uma avaliação do risco tomando a idade materna prevista na entrega em combinação com uma razão de verosimilhança. Quando o risco é mais alto do que um nível predeterminado, um teste de diagnóstico tal como a amniocentese ou a biópsia de villus coriónico poderia ser oferecido fazer o diagnóstico verdadeiro. As pilhas obtidas por estas últimas técnicas podem ser sujeitadas à cultura celular para karyotyping, ou à hibridação in situ fluorescente (FISH).

Importância actual da tela tripla

O teste triplo foi usado primeiramente em 1988, e muitos outros testes têm incorporado agora a cena. É agora claro que os níveis do soro destes analytes são diferentes no solteirão e nas gestação múltiplas, que poderiam conduzir a um número mais alto de procedimentos desnecessários da amniocentese nas mulheres com gravidezes gêmeas normais. Assim, os níveis de suspeita para cada um dos componentes do teste precisam de ser ajustados segundo o tipo de gravidez.

Além disso, o peso e a idade maternos influenciam a avaliação do risco, independente dos níveis reais do soro destes produtos químicos. As mudanças maternas do peso são relacionadas a muitos factores que incluem a gravidez múltipla. Assim, um modelo separado pode ser necessário fazer o teste mais exacto no contexto de gestação de ordem superior.  Umas ferramentas mais eficientes e mais não invasoras foram evoluídas sobre os pares passados de décadas, que podem mais extensamente ser adotadas no futuro.

Fontes

Further Reading

Last Updated: Feb 27, 2019

Dr. Liji Thomas

Written by

Dr. Liji Thomas

Dr. Liji Thomas is an OB-GYN, who graduated from the Government Medical College, University of Calicut, Kerala, in 2001. Liji practiced as a full-time consultant in obstetrics/gynecology in a private hospital for a few years following her graduation. She has counseled hundreds of patients facing issues from pregnancy-related problems and infertility, and has been in charge of over 2,000 deliveries, striving always to achieve a normal delivery rather than operative.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Thomas, Liji. (2019, February 27). Que é a tela tripla na gravidez?. News-Medical. Retrieved on February 25, 2021 from https://www.news-medical.net/health/What-is-the-Triple-Screen-in-Pregnancy.aspx.

  • MLA

    Thomas, Liji. "Que é a tela tripla na gravidez?". News-Medical. 25 February 2021. <https://www.news-medical.net/health/What-is-the-Triple-Screen-in-Pregnancy.aspx>.

  • Chicago

    Thomas, Liji. "Que é a tela tripla na gravidez?". News-Medical. https://www.news-medical.net/health/What-is-the-Triple-Screen-in-Pregnancy.aspx. (accessed February 25, 2021).

  • Harvard

    Thomas, Liji. 2019. Que é a tela tripla na gravidez?. News-Medical, viewed 25 February 2021, https://www.news-medical.net/health/What-is-the-Triple-Screen-in-Pregnancy.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.