Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

CRISPR: Interesses éticos e da segurança

As proteínas de CRISPR e de Cas transformaram-se uma ferramenta crucial para a manipulação genética na pesquisa biomedicável e biotecnologia, e o ponto crucial de sua acção é o reconhecimento de seqüências específicas no ADN e de sua segmentação subseqüente da corrente. Um sistema específico, CRISPR-Cas9, transformou-se o padrão para a edição genética, desde que pode ser costurado para visar ajustado de seqüências do ADN. Assim é de nenhuma maravilha que causou uma agitação no campo biomedicável.

Não obstante, deve-se notar que o uso de CRISPR/Cas9 leva possibilidades enormes para avançar mais a saúde humana e o bem estar, que é a razão pela qual este sistema está sendo pesquisado em uma miríade de doenças humanas diferentes - incluir o cancro e as infecções de HIV/AIDS. Ainda, como é o caso com toda a nova tecnologia, os benefícios de CRISPR/Cas9 são seguidos por riscos ingualmente enormes do emprego errado potencial, mas igualmente por conseqüências imprevistos.

Interesses e edições de segurança éticos

Aparentado a outras tecnologias emergentes na pesquisa biomedicável, a edição do genoma humano abre algumas perguntas sérias em relação à igualdade e à justiça, por exemplo quem terá o acesso ao tratamento potencial e para quem aqueles tratamentos serão desenvolvidos. Os interesses conseqüentemente antes que a tecnologia CRISPR/Cas9 se mova para a frente com aplicações clínicas, éticos e da segurança devem ser endereçados.

A proliferação rápida do germline que edita as terapias que usam a tecnologia CRISPR/Cas9 traria indubitàvelmente um risco nontrivial. Conseqüentemente, esta aproximação deve ser adotada na prática clínica somente depois que a revisão apropriadamente passeada, similar a um inquérito ético ocorre. O regulamento parece ser a aproximação a mais praticável, embora alguns peritos optem para a aproximação provisória da moratória e da apatia.

Um dos riscos os mais grandes de germline que editam a terapia é a introdução de alelos com efeitos secundários imprevistos que seriam gerações reconhecidas após a edição inicial do gene. Esta é a razão pela qual tais terapias devem ser controladas por reguladores e por corpos de financiamento institucionais, com verificação adequada das alterações na linha celular modelo assegurar as taxas normais da propagação de ADN introduzidas no genoma.

Além disso, toda a alteração do germline deve oferecer benefícios inequívocos ao paciente. A tecnologia deve endereçar a doença monogenic que não tem nenhuma opção alternativa do tratamento, ou doenças difundidas para que perda do embrião através do diagnóstico e do tratamento genéticos pré-natais minimizará a perda do embrião durante a pesquisa da alteração do germline.

Directrizes actuais e considerações

Uma estrutura reguladora para a alteração humana do germline CRISPR/Cas deve ser introduzida a fim cumprir as exigências técnicas e éticas inerentes a estas terapias. Tal estrutura deve esforçar-se para endereçar mecanismos de segurança unshaped, o risco aumentado de efeitos secundários multigenerational, obstáculos éticos em relação aos embriões humanos, assim como todos os interesses do lucro.

Os pesquisadores nos Estados Unidos já estão endereçando a necessidade para o regulamento da edição humana do germline. Ao fim de 2015, os institutos de saúde nacionais (NIH) ainda recusam financiar propostas de pesquisa para o germline de CRISPR/Cas que editam terapias. Não obstante, tem-se que sublinhar que esta política não cobre automaticamente os projectos que são financiados confidencialmente.

A cimeira internacional na edição humana do gene emitiu uma indicação o 3 de dezembro de 2015 que gene-editar a tecnologia não deve ser empregada para alterar os embriões humanos pretendidos estabelecendo uma gravidez. Se um consenso científico é alcançado que os embriões unviable possam ser usados para fins de investigação (a fim melhorar a eficácia do sistema de CRISPR/Cas), os legisladores devem avaliar directrizes novas em relação ao financiamento e à segurança da manipulação genética nestes embriões.

A fim evitar o medo-mongering, os pesquisadores terão que encontrar uma maneira de explicar responsàvel esta tecnologia ao público geral. O cuidado e os regulamentos são dados boas-vindas neste momento, mas há igualmente uma necessidade para a revelação do grupo prudente e oportuno de directrizes - não somente para a comunidade científica, mas igualmente para a humanidade no conjunto.

Fontes

  1. http://www.hinxtongroup.org/hinxton2015_statement.pdf
  2. http://www.nature.com/news/crispr-the-disruptor-1.17673
  3. http://zlab.mit.edu/assets/reprints/Cox_D_Nat_Med_2015.pdf
  4. http://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/15265161.2015.1104160
  5. http://sage.buckinstitute.org/ethical-implications-of-human-genetic-engineering-2/
  6. Sistemas de Dhillon V. Genoma Editing. Em: BioCoder #8: Julho de 2015. O'Reilly Media, Inc., Sebastopol, CA 95472, 2015; pp. 59-66.
  7. PI de Thakore, engenharia do genoma de Gersbach CA para aplicações terapêuticas. Em: Laurence J, Franklin M, editores. Traduzindo a terapia genética à clínica: Técnicas e aproximações. Imprensa académica, Elsevier, 2015; pp. 27-44.

Further Reading

Last Updated: Aug 23, 2018

Dr. Tomislav Meštrović

Written by

Dr. Tomislav Meštrović

Dr. Tomislav Meštrović is a medical doctor (MD) with a Ph.D. in biomedical and health sciences, specialist in the field of clinical microbiology, and an Assistant Professor at Croatia's youngest university - University North. In addition to his interest in clinical, research and lecturing activities, his immense passion for medical writing and scientific communication goes back to his student days. He enjoys contributing back to the community. In his spare time, Tomislav is a movie buff and an avid traveler.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Meštrović, Tomislav. (2018, August 23). CRISPR: Interesses éticos e da segurança. News-Medical. Retrieved on December 05, 2020 from https://www.news-medical.net/life-sciences/CRISPR-Ethical-and-Safety-Concerns.aspx.

  • MLA

    Meštrović, Tomislav. "CRISPR: Interesses éticos e da segurança". News-Medical. 05 December 2020. <https://www.news-medical.net/life-sciences/CRISPR-Ethical-and-Safety-Concerns.aspx>.

  • Chicago

    Meštrović, Tomislav. "CRISPR: Interesses éticos e da segurança". News-Medical. https://www.news-medical.net/life-sciences/CRISPR-Ethical-and-Safety-Concerns.aspx. (accessed December 05, 2020).

  • Harvard

    Meštrović, Tomislav. 2018. CRISPR: Interesses éticos e da segurança. News-Medical, viewed 05 December 2020, https://www.news-medical.net/life-sciences/CRISPR-Ethical-and-Safety-Concerns.aspx.

Comments

  1. Nimmi Ragavan Nimmi Ragavan Australia says:

    One option would be to do it only where the current inherited germline is so horrific that modifications would be a positive contribution. Even then, perhaps it should be done on an individual basis, and the person advised that having children may not be optimal and adoption a safer option. I dont have children and dont miss the idea of continuing my genes into the future. But then I have siblings who have children.

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News Medical.