Caminho da produção da melanina

Pelo cavaleiro de Megan, BSc

Que é melanina?

A melanina é um pigmento principal actual nos animais vertebrados. O tipo e a taxa de melanina sintetizados determinam a pele e a cor do cabelo. A melanina é um polímero absorvente claro derivado da tirosina do ácido aminado essencial, que dispersa a luz UV e a converte no calor. A capacidade da melanina para absorver a luz tem muitas funções protectoras nos animais vertebrados, incluindo a camuflagem, a protecção de irradiação solar prejudicial de UVA e de UVB, e de thermoregulation.

As populações que produzem uns níveis mais altos de melanina epidérmica têm umas mais baixas taxas de cancro de pele, devido a suas qualidades photoprotective.

A melanina igualmente actua como um dissipador do antibiótico e do radical livre. Devido a sua vasta gama de funções, melanina é expressado em diversas áreas do corpo humano, incluindo a pele, o cabelo, os olhos e o cérebro. Contudo, os papéis específicos da melanina dentro destes tecidos são explicados deficientemente.

Os tipos principais de melanina são:

  • Pheomelanin - uma laranja ao pigmento vermelho, expressado no cabelo e na pele. Baixas propriedades protectoras contra dano do ADN induzido pela radiação UV.
  • Eumelanin - um marrom para enegrecer o pigmento, expressado no cabelo e na pele. Propriedades protectoras mais altas contra dano do ADN induzido pela radiação UV.
  • Neuromelanin - expressado em diversas regiões no cérebro. Sua perda é associada com diversas desordens neurológicas.

Melanocytes e Melanogenesis

A melanina é sintetizada nos organelles citoplasmáticas chamados os melanosomes, que residem nas células epiteliais e nos folículo de cabelo chamados melanocytes. Este processo é sabido como o melanogenesis.

Melanocyte e melanina. camadas de epiderme. Os Melanocytes produzem a melanina do pigmento, que podem então transferir a outras pilhas epidérmicas. Crédito de imagem: Designua/Shutterstock
Melanocyte e melanina. camadas de epiderme. Os Melanocytes produzem a melanina do pigmento, que podem então transferir a outras pilhas epidérmicas. Crédito de imagem: Designua/Shutterstock

Os Melanocytes expressam um gene altamente polimorfo que codifique um melanocortin-receptor chamado receptor (GPCR) acoplado G-proteína 1 (MC1R). Nos seres humanos, há sobre 100 variações de MC1R, cada um com níveis de actividade diferentes. E também a produção da melanina, o nível de actividade de MC1R dentro dos melanocytes é uma causa determinante principal da cor de pele humana.

Os Melanocytes são restringidos principalmente à camada básica da epiderme onde formam uma unidade epidérmica da melanina do `', consistindo em um melanocyte, em ao redor 36 keratinocytes, e em uma pilha de Langerhans.

Radiação ultravioleta como um regulador de Melanogenesis

Um regulador extrínseco principal do melanogenesis é a radiação ultravioleta (UVR), incluindo a luz de UVA e de UVB. Este é o estímulo principal para a produção da melanina, conduzindo à pigmentação induzida da pele, ou ` que bronzea-se'. Outros estímulos do melanogenesis incluem andrógenos, que é uma hormona esteróide natural, e mediadores inflamatórios.

UVR aumenta a proliferação e o recrutamento dos melanocytes à epiderme, assim como a produção de melanosomes. Isto ocorre devido a um nível aumentado de espécie reactiva do oxigênio, que causa dano do ADN e a activação das enzimas envolvidas no melanogenesis, tal como o tyrosinase. Os períodos prolongados de níveis de exposição altos à luz de UVB podem provocar dano extensivo do ADN. Isto pode causar a morte celular programada (ou o apoptosis) de pilhas afetadas na pele, que é igualmente a causa da queimadura do `'.

Em outras pilhas, o caminho do reparo de dano do ADN é provocado. Neste caminho, a proteína p53 do supressor do factor da transcrição e do tumor torna-se estabilizada e ativada nos keratinocytes com dano do ADN. Isto conduz a uma produção aumentada de hormona de estimulação do melanocyte (MSH). MSH liga então aos receptors de MC1R expressados nos melanocytes que geram uma resposta cíclica do específico do ampère.

o acampamento activa a quinase de proteína A, que factor da transcrição do elemento da resposta (CREB) do acampamento dos phosphorylates. Upregulates de CREB a expressão do factor microphalmia-associado da transcrição (MITF), tendo por resultado o upregulation das enzimas envolvidas no melanogenesis e proteínas que transportam melanosomes. MITF pode igualmente ser activado por quinase de proteína mitogen-ativadas (MAPKs).

o acampamento e da quinase do MAPA os caminhos provocados rio abaixo de dano induzido UVR do ADN sintetizam a tirosina do ácido aminado. A tirosina é convertida pelo tyrosinase da enzima, ativado por UVR, no dopaquinone. Dopaquinone próprio pode ser convertido no eumelanin ou pode ser convertido no dopachrome que é convertido então no eumelanin. Dopaquinone pode igualmente ser convertido no cysteinyl-dopa, que é convertido no pheomelanin. Uma falta da tirosina é associada com o albinismo, que é caracterizado pela perda de pigmentação da pele e do cabelo.

Melanosomes é transportado então dos melanocytes nos keratinocytes, que residem nas camadas superiores da epiderme. Dentro dos keratinocytes, a membrana dos melanosomes é degradada por enzimas lysosomal. Isto libera a melanina no citoplasma, onde forma um tampão do ` da melanina' em torno do material genético das pilhas. Isto protege o ADN de dano UV mais adicional.

Fontes

  • Videria, I.F.S., Moura, D.F.L., Magina, S. Mecanismo Regulating Melanogenesis. Sutiãs Dermatol. 2013; 88(1): 76-83
  • Ágar, N., jovem, A.R. Melanogenesis: uma resposta photoprotective a dano do ADN?. Pesquisa da mutação. 2005; 571:121-132
  • Parque, H.Y., Kosmadaki, M., Yaar, M., Gilchrest, mecanismos de B.A. Celular que regulam o melanogenesis humano. Mol da vida Sci da pilha. 2009; 66:1493-1506

[Leitura adicional: Melanina]

Last Updated: Feb 26, 2019

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.
Post a new comment
Post