Papel de proteínas do Alfa-Synuclein na doença

Os estudos descobriram que as anomalias na proteína do alfa-synuclein são prováveis um factor causal para doenças numerosas, incluindo a doença de Parkinson, a atrofia do sistema múltiplo (MSA), a demência com corpos de Lewy (DLB), e a falha autonómica pura (PAF).

Proteína do Alfa-Synuclein

Crédito de imagem: StudioMolekuul/Shutterstock.com

Quando os caminhos exactos deverem ser descoberta ainda, acredita-se que há uma base genética à reregulação da proteína, que foi vista para governar diversas funções essenciais, incluindo isso da transmissão da dopamina.

Que é Alfa-synuclein?

A proteína do alfa-synuclein (α-syn) é encontrada em vários lugar em torno do corpo, tal como o coração, os músculos esqueletais, e o intestino. Contudo, é a mais abundante no cérebro humano. Aqui, a proteína é encontrada concentrada nas sinapses dos neurônios e relacionada à função da transmissão dos produtos químicos através da fenda synaptic.

Este processo de neurotransmissão é um processo essencial que ocorra constantemente no cérebro e é implicado nas funções da aprendizagem e da memória ao discurso e ao movimento. A desregulação da neurotransmissão foi ligada com uma miríade de doenças psicológicas e neuropathological.

Quando o papel do alfa-synuclein não for compreendido ainda completamente, a pesquisa deu algumas introspecções no que, potencial, são suas funções principais. A evidência revelou que o alfa-synuclein está envolvido no regulamento do transporte da dopamina de um neurônio ao seguinte.

A dopamina é um neurochemical que seja responsável para controlar movimentos e respostas emocionais, ele é sabida para ter um papel crítico na doença de Parkinson (PD), com a perda de pilhas que produzem a substância tendo por resultado uma falta do controle do movimento, conduzindo aos sintomas característicos do movimento da doença.

Alfa-synuclein e doença

O alfa-synuclein da proteína é discutìvel o contribuinte neurológico o mais investigado ao neurodegeneration que é característico da doença neuropathological, a doença de Parkinson. A descoberta de sua associação com a doença forneceu muito a primeira prova à doença de Parkinson é um resultado de um defeito genético. Quando a proteína for ligada na maior parte com a doença de Parkinson, um corpo crescente da evidência sugere seu papel mais largo na iniciação e na progressão da doença.

Os synucleinopathies

A proteína foi implicada igualmente em outras doenças, tais como a atrofia do sistema múltiplo (MSA), a demência com corpos de Lewy (DLB), e a falha autonómica pura (PAF). Devido a seu relacionamento à proteína do alfa-synuclein, estas doenças são sabidas como os synucleinopathies ou os α-Synucleinopathies.

Quando a função exacta da proteína não for clara nestas doenças, sugere-se fortemente que a acumulação de agregados intracelulares tóxicos da proteína do alfa-synuclein dentro dos neurônios do cérebro, das fibras de nervo, ou das pilhas glial seja a raiz da causa.

Através dos vários modelos celulares e animais, os pesquisadores puderam compreender os synucleinopathies com sua associação com alfa-synuclein e o impacto de sua acumulação anormal. Desde esta descoberta, um grande corpo da pesquisa dedicou esforços a descobrir os caminhos moleculars envolvidos, assim como a identificar alvos terapêuticos potenciais.

Os vários estudos tentaram visar directamente a proteína do alfa-synuclein para desenvolver técnicas terapêuticas novas para o uso com os synucleinopathies. Contudo, apesar da pesquisa extensiva, as funções completas desta proteína permanecem indescritíveis. Muito trabalho forneceu a evidência que remover a proteína dos neurônios tem um impacto significativo em diversos processos intracelulares da chave e que a desregulação de alguns destes resultados no neurodegeneration.

Perda de função do alfa-synuclein e dos synucleinopathies

A evidência que sugere que a revelação dos vários synucleinopathies possa ser um resultado da função imprópria da proteína do alfa-synuclein ganhou muita tracção. Os estudos descobriram que algumas das funções do alfa-synuclein podem se tornar danificadas nestas doenças, e quando os caminhos não forem explicados ainda completamente, muito progresso foi feito em descobrir o papel desta proteína na função neuronal normal, assim como na produção do neurotransmissor, na função mitocondrial, e na homeostase do cálcio.

Esta área de pesquisa está ajudando a estabelecer terapias de modulação do alfa-synuclein com da definição de como o alfa-synuclein trabalha em um cérebro saudável, e de como o funcionamento anormal poderia impactar o cérebro, conduzindo à doença.

Apoio genético para o papel do alfa-synuclein

A evidência genética forneceu o apoio para o papel da desregulação da proteína do alfa-synuclein na doença de Parkinson. Sobre duas décadas há, em 1997, uma equipe dos pesquisadores publicou um relatório de papel que as mutações genéticas que conduzem ao gene de SNCA, que codifica para o alfa-synuclein, sendo substituído com o G209A, fossem ligadas com a doença de Parkinson.

As réplicas destes resultados foram relatadas consistentemente em uns estudos mais adicionais. Ter uns antecedentes familiares da doença de Parkinson aumenta o risco de um indivíduo de desenvolver a doença, também, a doença de Parkinson do cedo-início é considerado para estar pelo menos na herança da parte.

O aspecto hereditário da doença apoia a participação suspeitada alfa-synuclein's como um factor causal, devido à pesquisa que mostra as raizes genéticas da função anormal da proteína do alfa-synuclein.

Pesquisa futura

Quando a natureza exacta de como o alfa-synuclein inicia e mantem a doença inteiramente não for compreendida, não há um corpo da evidência para mostrar que a proteína é essencial a diversas funções chaves, a desregulação da montagem de que é provável ter um impacto profundo.

A saber, o regulamento da dopamina, que é diminuída caracterìstica na doença de Parkinson. A pesquisa futura continuará a investigar nos mecanismos do alfa-synuclein e a descobrir avenidas potenciais novas para a revelação do tratamento para os synucleinopathies.

Fontes:

Martí, M., Tolosa, E. e Campdelacreu, J. (2003). Vista geral clínica dos synucleinopathies. Desordens de movimento, 18 (S6), pp.21-27. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14502652

Spillantini, M. e Goedert, M. (2006). Os α-Synucleinopathies: A doença de Parkinson, a demência com corpos de Lewy, e a atrofia do sistema múltiplo. Anais da academia de New York de ciências, 920(1), pp.16-27. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11193145

Stefanis, L. (2011). - Synuclein na doença de Parkinson. Perspectivas frias do porto da mola na medicina, 2(2), pp.a009399-a009399. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3281589/

Further Reading

Last Updated: Feb 3, 2020

Sarah Moore

Written by

Sarah Moore

After studying Psychology and then Neuroscience, Sarah quickly found her enjoyment for researching and writing research papers; turning to a passion to connect ideas with people through writing.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Moore, Sarah. (2020, February 03). Papel de proteínas do Alfa-Synuclein na doença. News-Medical. Retrieved on April 02, 2020 from https://www.news-medical.net/life-sciences/Role-of-Alpha-Synuclein-Proteins-in-Disease.aspx.

  • MLA

    Moore, Sarah. "Papel de proteínas do Alfa-Synuclein na doença". News-Medical. 02 April 2020. <https://www.news-medical.net/life-sciences/Role-of-Alpha-Synuclein-Proteins-in-Disease.aspx>.

  • Chicago

    Moore, Sarah. "Papel de proteínas do Alfa-Synuclein na doença". News-Medical. https://www.news-medical.net/life-sciences/Role-of-Alpha-Synuclein-Proteins-in-Disease.aspx. (accessed April 02, 2020).

  • Harvard

    Moore, Sarah. 2020. Papel de proteínas do Alfa-Synuclein na doença. News-Medical, viewed 02 April 2020, https://www.news-medical.net/life-sciences/Role-of-Alpha-Synuclein-Proteins-in-Disease.aspx.

Comments

The opinions expressed here are the views of the writer and do not necessarily reflect the views and opinions of News-Medical.Net.