Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Quase um quarto de todos os crimes violentos é comprometido pelos povos que empregam mal seriamente o álcool ou as drogas

Quase um quarto (23%) de todos os crimes violentos é comprometido pelos povos que empregam mal seriamente o álcool ou as drogas, achados um estudo da Suécia no BMJ desta semana.

As Intervenções para reduzir o risco de violência nestes pacientes ajudariam a cortar os custos enormes do crime relativo droga, que é calculado para ser em torno de £1bn anualmente no Reino Unido.

Os Pesquisadores usaram registros nacionais psiquiátricas e do crime na Suécia desde 1998 até 2000 para calcular o impacto do emprego errado da substância no crime violento na população Sueco.

Durante 1998-2000, 16% de todos os crimes violentos na Suécia foram comprometidos pelos povos que foram descarregados do hospital com diagnósticos do emprego errado do álcool, e mais do que uns décimos de todos os crimes violentos foram comprometidos pelos pacientes diagnosticados como sendo empregado mal drogas.

A proporção total de crimes violentos na população inteira que pode ser atribuída aos pacientes com emprego errado da substância era 23%.

O emprego errado de Integração da saúde mental e da substância presta serviços de manutenção conduz aos resultados melhorados. Esta integração deve ser estendida ao sistema judicial penal, diz os autores.

Os custos ao sistema judicial penal de crime relativo droga são enormes. As Intervenções para reduzir o risco de violência nos pacientes que empregam mal o álcool e as drogas poderiam ser altamente eficazes na redução de custos, concluem.

Clique aqui para ver o papel completo:
http://press.psprings.co.uk/bmj/may/ppr1233.pdf