Yoweri Kaguta Museveni causou uma partilha principal entre participantes da Conferência do AIDS em Tailândia

O presidente de Uganda, Yoweri Kaguta Museveni causou uma partilha principal entre participantes na 15a Conferência Internacional do AIDS em Tailândia indicando que a abstinência e a união são as melhores maneiras de parar a propagação da epidemia de HIV/AIDS.

Disse, “o uso dos preservativos não é a solução final na luta contra HIV-AIDS. Uganda foi uma de poucas nações Africanas para reduzir com sucesso sua taxa de infecção do AIDS, usando-se o que se tornou conhecido como o método de ABC - Abstinência, Sendo Fiel e Preservativos.”

A história de HIV/AIDS em Uganda é um do sucesso raro para o continente Africano. Desde Que o governo do Ugandan criou as taxas de infecção do programa de ABC caíram de 30% a aproximadamente 6% da população do Ugandan.

Os preservativos do Látex, quando usados consistentemente e correctamente, são altamente eficazes em impedir a transmissão do VIH, o vírus que causa AIDS.*

  • Usar um preservativo do látex para impedir a transmissão do VIH é mais de 10.000 vezes mais segura do que não usando um preservativo.
  • Um estudo publicado Em New England Journal da Medicina observou os pares heterossexuais onde um era Seropositivo e o outro era VIH-negativo, para uma média de 20 meses. (Estes pares são referidos como sero-discordantes.) Resultados incluídos:
    • Nenhuma sero-conversão ocorreu entre os 124 pares que usaram preservativos do látex consistentemente e correctamente para a ligação vaginal ou anal.
    • Dez por cento dos sócios VIH-negativos (12 de 121) dos pares tornaram-se contaminados quando os preservativos foram usados incompatìvel para a ligação vaginal ou anal. Ao contrário, 15 por cento de sócios VIH-negativos tornaram-se contaminados quando os preservativos não foram usados.
  • Um estudo publicado No Jornal de Síndromes Imune Adquirido da Deficiência observou pares heterossexuais sero-discordantes e mostrou que somente três de 171 quem os preservativos consistentemente e correctamente usados se tornou o VIH contaminados
    • oito de 55 quem usaram preservativos incompatìvel transformaram-se VIH contaminado
    • e oito de 79 quem nunca usaram preservativos transformaram-se VIH contaminado.

No passado, os peritos da saúde pública recomendaram usar os preservativos combinados com o Nonoxynol-9 (N-9), um espermicida, para a protecção aumentada contra a gravidez, o VIH, e os STD. Dois estudos recentes, contudo, questionam a eficácia e a segurança de N-9.

Um estudo publicado pelo UNAIDS encontrou que N-9 usado sem preservativos era ineficaz contra a transmissão do VIH. Este estudo mostrou realmente a alguma evidência que N-9 aumentou o risco de Infecção pelo HIV.

Os Pesquisadores notam que este estudo estêve conduzido entre os trabalhadores de sexo comerciais em África que estão no risco aumentado e usaram um gel N-9 em uma base freqüente. As influências adversas não puderam ser consideradas a mesmo nível entre as mulheres que estão usando N-9 menos freqüentemente ou em uma formulação diferente.

Em conseqüência deste estudo, contudo, o CDC concluiu aquele “dado que N-9 foi ineficaz provado contra a transmissão do VIH, a possibilidade de risco, sem o benefício, indica que N-9 não deve ser recomendado como meios eficazes da VIH-prevenção.”

Um estudo similar publicado no Jornal de American Medical Association encontrou que N-9, quando usado com preservativos, não protegeu mulheres das bactérias que causa a gonorréia e a infecção chlamydial melhor do que os preservativos usados apenas.

*. F. Carey, e outros, “Eficácia de Preservativos do Látex Como uma Barreira à Imunodeficiência Humana Vírus-Fez sob medida Partículas sob as Circunstâncias do Uso Simulado,” Doenças De Transmissão Sexual, Julho Agosto de 1992, Vol. 19, No. 4, P. 230.