A ablação do Cateter para tratar o tachycardia supraventricular (SVT) não é prejudicial aos pacientes

Um estudo recente publicado no Passeio e na Electrofisiologia Clínica (PACE) determinou que o uso da ablação do cateter tratar o tachycardia supraventricular (SVT) não é prejudicial aos pacientes.

Estes dados refutam a evidência precedente que sugeriu uma incidência alta de ferimento aos nervos cardíacos de um paciente, possivelmente tendo por resultado frequências cardíacas aceleradas depois do procedimento.

Esta pesquisa, apoiada na parte pelo Instituto de Saúde Nacional e conduzida por Steven M. Markowitz No Centro Médico de New York Hospital-Cornell avaliou a função dos nervos cardíacos nos pacientes que submetem-se à ablação do cateter com energia da radiofrequência. Determinou-se que nenhum ferimento significativo ocorre aos nervos cardíacos em conseqüência da ablação, e as mudanças na frequência cardíaca durante o procedimento são transitórios e são relacionadas primeiramente às medicamentações e a outras variáveis processuais.

A ablação do Cateter transformou-se uma terapia padrão para SVT que é uma arritmia, ou o ritmo anormal do coração que inclui tal específico condiciona como a fibrilação atrial, o tachycardia reentrante nodal do AVOIRDUPOIS, e a síndrome de Wolff-Parkinson-White.

http://www.blackwellpublishing.com