Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Óxido Nítrico bom para alguns bebês do prem mas não para outro

De acordo com dois estudos novos, embora o óxido nítrico pudesse partir ao meio o risco de problemas desenvolventes em bebês prematuros com pulmões pouco desenvolvidos, o gás poderia ser prejudicial aos neonatos que são demasiado pequenos e demasiado Illinois.

Os Doutores Richard Martin e Michelle Walsh, do Hospital dos Bebês e de Crianças do Arco-íris em Cleveland, dizem que os doutores médios dos resultados devem evitar usar o tratamento durante a primeira semana da vida nos bebês prematuros que são gravemente doentes e pesar menos de 1.000 relvados (2,2 libras).

Os doutores dizem que o uso a curto prazo do óxido nítrico inalado não deve ser considerado uma terapia eficaz do salvamento para infantes muito prematuros com falha respiratória profunda.

Porém para infantes prematuros ligeira maiores, mais saudáveis a boa notícia é, que o gás faz aos pulmões madura ràpida, cortando o risco de problemas desenvolventes ao meio, e que poderia ajudar sobre a metade dos 60.000 infantes prematuros carregados todos os anos com os pulmões perigosamente subdesenvolvidos.

O Pediatra Michael Schreiber da Universidade de Chicago, cuja a equipe seguiu 138 crianças, diz que os bebês carregados em duas libras (0,97 quilogramas) têm somente uma possibilidade de 50 por cento em 2 anos de idade da consideração totalmente normal.

A equipe encontrou aquela pelo segundo aniversário, 24 por cento das crianças dadas o óxido nítrico teve problemas tais como a cegueira, a perda da audição e a paralisia cerebral, em comparação com 46 por cento para aqueles 2 anos de idade que não receberam o gás.

Schreiber diz que que faz não somente o óxido nítrico estenda a vida em um grande grupo de infantes prematuros, igualmente melhora a qualidade de vida para as crianças e seus pais.

Mas um segundo estudo qualificado isso conclusão.

A equipa de investigação no segundo estudo, que foi conduzido por Krisa Van Meurs da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, encontrado que fora de 420 bebês prematuros com falha respiratória severa, os 210 quem foram dadas o óxido nítrico era apenas como provavelmente morrer, ou sofra dano de pulmão, como os 210 quem foram dadas um placebo.

Neste estudo, a pesquisa contudo, focalizado nos bebês que tenderam a ser menores e mais doentes do que esses na pesquisa de Schreiber.

A equipe de Van Meurs igualmente diz que encontrou que os infantes que pesam sobre 1000 relvados (35 onças) tirados proveito do óxido nítrico, mas aqueles que pesam menos eram mais prováveis morrer ou desenvolver o sangramento severo do cérebro do que aqueles que obtiveram o cuidado padrão.

O estudo de Schreiber foi financiado em parte pela Terapêutica de INO, que faz o tratamento do óxido nítrico.

O estudo de Van Meurs foi financiado pela maior parte pelo Instituto de Saúdes Infanteis Nacional e da Revelação Humana.

Ambos Os estudos são publicados na edição actual de New England Journal da Medicina.

O editorial por Richard Martin e por Michelle Walsh igualmente publica-se na publicação.