As Fronteiras da Fundação de BBVA da Concessão do Conhecimento concederam a Robert J. Lefkowitz

Robert Lefkowitz descobriu os sete receptors da transmembrana, o maior, o mais versátil e o mais terapêutica o sistema de sinalização acessível do receptor

As Fronteiras da Fundação de BBVA da Concessão do Conhecimento na categoria da Biomedicina vão nesta segunda edição ao Prof. Robert J. Lefkowitz (1943, New York, os Estados Unidos), investigador no Departamento da Medicina em Duke University (os Estados Unidos). A concessão foi concedida, nas palavras do júri, “para suas descobertas dos sete receptors da transmembrana (receptors proteína-acoplados G), do maior, do mais versátil e o mais terapêutica sistema de sinalização acessível do receptor, e do mecanismo geral de seu regulamento”.

Lefkowitz é autor de mais de 850 artigos de investigação que na altura da escrita foram mencionados sobre sobre 95.000 ocasiões. Seus resultados conduziram à revelação de drogas numerosas para uma grande variedade de condições, sobretudo na neurologia (a doença de Parkinson), na cardiologia (hipertensão arterial) e no diabetes.

As Fronteiras do Conhecimento Concedem a pesquisa da mundo-classe da honra e a criação artística. A largura das disciplinas endereçadas e sua quantidade monetária, 3,2 milhão euro anuais, colocam-nas entre as primeiras famílias internacionais da concessão. Porém sua unicidade se encontra em seu alinhamento próximo com os desafios científicos, tecnologicos, sociais e econômicos do século actual. A este respeito, são os primeiros para reservar categorias dedicadas para Alterações Climáticas; Cooperação de Revelação; Tecnologias de Informação e de Comunicação, e Biologia da Ecologia e da Conservação, ao lado das concessões que vão às contribuições proeminentes na Economia, na Finança e na Gestão; Ciências Básicas; Biomedicina, e Canção Contemporânea.

Ao ser informado da decisão, o Professor Lefkowitz declarou-se “apenas excitado. Em sua história curto, esta concessão foi ao melhor de nós, ao Dr. Massagu-. Eu não tenho nada mas a admiração a mais grande e respeito-os para seus trabalho e sensação honrados para estar em sua empresa”. Joana Massagu-, o cientista de trabalho o mais internacional mencionado da Espanha, era vencedor nesta categoria na primeira edição das Concessões das Fronteiras.

40 ANOS DE PESQUISA SOBRE OS RECEPTORS DA PILHA

Nos anos 70, Lefkowitz foi convencido que os receptors específicos da hormona e da droga nas membranas de pilha eram uma realidade que espera para ser descoberto. Uma teoria que admitisse, “causou não pouco cepticismo entre os cientistas do tempo. Mas Eu era novo então e obtido a em minha cabeça que se nós poderíamos apenas aprender uma maneira de isolar e estudar estes receptors, isso abriria a porta a revelação nova da droga e a todos os tipos de coisas novas”.

Construção em seu treinamento como um cardiologista, começou o trabalho na identificação e estudar o receptor da adrenalina e, com a análise bioquímica e a biologia estrutural, podia mostrar os princípios gerais de como trabalham. Hoje Em Dia, os mais de 100 componentes descritos que compo a superfamília de sete receptors da transmembrana (7TM) foram isolados em todos os tipos de pilhas de corpo.

De um ponto de vista clínico, a importância de sua pesquisa é evidenciada pelo número das drogas de hoje, até 50%, que actuam nos sete receptors da transmembrana. De acordo com Lefkowitz, “não há nenhum campo da medicina que não foi impactada por este conhecimento novo. A coisa importante a compreender é que virtualmente todos os processos fisiológicos em nossos corpos, e aquele incluem doenças, é regulada por vários membros desta família enorme do receptor”.

O júri pega este ponto em sua citação: De “o trabalho Lefkowitz conduziu aos tratamentos para a doença cardiovascular, tal como betablocantes. Seus estudos igualmente conduziram a uma compreensão de como as drogas e as hormonas podem perder seu efeito nos pacientes que mostram mudanças nestes receptors”.

A nominação de Lefkowitz foi propor pelo Departamento da Biologia Molecular no Universidad Aut-noma de Madri e secundada pela Universidade de Barcelona, pelo Instituto de Tecnologia de Califórnia (os Estados Unidos), pela Faculdade de Albert Einstein da Medicina (os Estados Unidos) e pelo Centro de Rudolf Wirchow na Universidade de Wuerzburg (Alemanha).

Source: Fundaci�n BBVA