Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

A relação de IgM/IgG é útil em diagnosticar a cirrose biliar preliminar

Os estudos precedentes mostraram que a avaliação de subclasses da imunoglobulina em pilhas de plasma pelo immunohistochemistry (IHC) pode ser útil na avaliação histopatológica de infecções hepáticas auto-imunes. Contudo, uns estudos mais adicionais são necessários a fim validar o serviço público diagnóstico do immunohistochemistry de IgM e de IgG nesta encenação específica.

Uma equipa de investigação dos Estados Unidos avaliou a subclasse predominante da imunoglobulina da pilha de plasma actual em biópsias do fígado dos pacientes com hepatite auto-imune bem conhecida (AIH), cirrose biliar preliminar (PBC), ou colangite sclerosing preliminar (PSC) e avaliou o serviço público diagnóstico de IgM e de IgG IHC neste ajuste. Seu estudo será publicado o 28 de janeiro de 2010 no jornal do mundo da gastroenterologia.

Sua pesquisa demonstrou que quando o plasma pilha-rico infiltrar visto em diversos formulários da infecção hepática IgG predominante expresso, PBC parece ser uma exceção, porque a maioria de pilhas de plasma nestes pacientes expressam IgM. Seus dados indicaram que predominante uma pilha de plasma de IgM+ infiltra, embora nao pathognomonic, deve fortemente apoiar o diagnóstico de PBC. A relação de IgM/IgG é PBC de distinção particularmente útil de AIH.