Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Diminuição nova das mostras 2% do relatório no anxiolytic e em vendas hipnóticas em Noruega

Depois que muitos anos de aumento gradual seguiram por um nivelamento de três anos fora do período, as vendas do anxiolytic aditivo e de drogas hipnóticas diminuíram apenas abaixo por dois por cento em 2010.

Isto vem do relatório novo da “consumo droga em Noruega 2006-2010”. As estatísticas incluem todas as vendas da prescrição e drogas do OTC em Noruega dos atacadistas às farmácias, aos hospitais/lares de idosos e às mercearias. O relatório igualmente mostra que as vendas do total das medicinas do OTC medidas em DDDs diminuíram perto seis por cento em 2010.

Isto é principalmente devido a umas mais baixas vendas de pacotes do OTC de paracetamol e de ibuprofeno. Se os blocos da prescrição do paracetamol e do ibuprofeno são incluídos, a venda destas duas drogas era relativamente estável em 2010. Isto significa que mais povos estão sendo prescritos estas medicinas por seu doutor.

Em 2010, os atacadistas venderam drogas para 12,3 bilhão coroas norueguesas em Noruega, de que as drogas veterinárias esclareceram 500 milhão coroas. Calculado pelo preço de vendas, isto dá um retorno de apenas sob 19 bilhão coroas em 2010, uma diminuição de 1,1 por cento comparados a 2009. A diminuição é principalmente devido às vendas que estão sendo afectadas em 2009 pela pandemia de gripe (vendas da vacina de Pandemrix- e das outras medicinas da gripe, especialmente Tamiflu-). Além, a introdução de medidas reguladoras do preço e as drogas preferidas dentro de determinados grupos, como para o tratamento da hipertensão, conduziram aos custos reduzidos.

As vendas das drogas mediram nas doses (DDD) aumentadas perto 0,9 por cento em 2010. Houve somente umas mudanças menores na maioria de grupos da droga.