Beber de frenesi durante a gravidez pode conduzir à síndrome de álcool fetal

Os dados recentes mostram esse mais de 500.000 mulheres no relatório dos E.U. que bebem durante a gravidez, com aproximadamente 20 por cento desta população que admite a beber de frenesi. Mesmo um episódio de beber pesado pode conduzir à coleção dos defeitos congénitos conhecidos como a síndrome de álcool fetal (FAS). Junto com o atraso de crescimento, as anomalias da cabeça e da face, e os problemas neurológicos, FAS igualmente causam problemas do coração dentro apenas sobre a metade daqueles com esta circunstância. Embora muita pesquisa se centrou sobre a procura da causa destes defeitos álcool-induzidos do coração, permanecem pela maior parte um mistério.

Para investigar esta pergunta, Ganga Karunamuni da universidade ocidental do caso e seus colegas estudou a formação do coração nos embriões das codorniz, cuja a revelação do coração é muito similar àquela dos seres humanos. Os pesquisadores usaram uma técnica de imagem lactente inovativa, tomografia óptico da coerência, para comparar os embriões expor a uma única, grande dose do álcool àqueles que não tinham recebido o álcool. Olharam ambos em como o álcool mudou a função dos corações se tornando assim como de sua estrutura. Encontraram que as mudanças significativas na função do coração pareceram vir bem antes das mudanças na estrutura que são indicações FAS das anomalias conhecidas do coração. Estas mudanças na função, os autores do estudo sugerem, puderam ser a causa dos problemas estruturais que elevaram mais tarde exercendo as forças no coração que mudam sua revelação.

O artigo é autorizado do “exposição álcool etílico altera a função cardíaca adiantada no coração dando laços: Um mecanismo para defeitos congenitais do coração?” Aparece nos artigos na secção de imprensa do jornal americano da fisiologia - coração e da fisiologia circulatória, publicado pela sociedade fisiológico americana. O artigo é acessível em linha em http://bit.ly/1hulmNN

Metodologia
Os pesquisadores estudaram três grupos de embriões das codorniz. Em um grupo destes embriões, os pesquisadores injectaram uma quantidade de álcool em seus escudos proporcionais à quantidade que seria considerada um único episódio de beber de frenesi em uma mulher gravida. Escolheram propositadamente um momento durante a revelação adiantada em que os embriões são especialmente vulneráveis aos efeitos do álcool. Em um outro grupo de embriões, os pesquisadores injectaram seus escudos com salino, um placebo nao conhecido para ter todos os efeitos prejudiciais. Os pesquisadores deixaram um terceiro grupo de embriões para tornar-se sem nenhumas intervenções.

Usando uma modalidade da imagem lactente chamou o tomografia óptico da coerência, que dá a capacidade para espreitar com as camadas de tecido, os pesquisadores manteve um olho nos corações tornando-se em uma fase particular quando o coração do primitivo comuta de uma forma da câmara de ar a um circuito laço-dado forma. Os pesquisadores compararam a circulação sanguínea e a anatomia do coração nesta fase entre os três grupos diferentes de embriões. Igualmente compararam a anatomia do coração entre os grupos diferentes nesta fase dando laços e em uma fase mais perto do choque.

Resultados
Como esperado, os pesquisadores encontraram que os corações dos embriões expor ao álcool tiveram defeitos dramáticos perto do choque, incluindo umas paredes mais finas que separam as câmaras e as válvulas danificadas do coração quatro. Muito antes que estes defeitos formassem, os pesquisadores viram diferenças significativas na circulação sanguínea do coração entre os embriões que não foram expor ao álcool e os aqueles que eram. Naqueles cujos os escudos não foram injectados com álcool, uma parcela pequena do sangue passou para trás pelo circuito do coração após cada batida. Naqueles expor ao álcool, uma parcela muito maior de sangue fluiu para trás no circuito. Estes corações funcionando mal tiveram “coleções menores dos coxins cardíacos” - das pilhas que se transformam mais tarde paredes da câmara e válvula-comparado aos corações não expostos.

Importância dos resultados
Os autores sugerem que esta função imprópria possa própria dirigir corações se tornando na direcção errada durante a revelação, ajustando a fase para que os defeitos maiores elevarem. Os estudos precedentes mostraram que porque as pilhas no coração e são em outra parte responsivas às forças mecânicas, aquelas forças exercidas pela circulação sanguínea podem afectar a formação do coração. Aprendendo mais sobre estas mudanças funcionais no coração adiantado, os pesquisadores sugerem que possa eventualmente ser possível reorientar a circulação sanguínea a um teste padrão mais saõ, salvando desse modo FAS corações antes que formem defeitos.

“Com uma média de 4 milhão gravidezes dos E.U. pelo ano, haverá aproximadamente 10.000 casos de defeitos congenitais álcool-induzidos do coração,” os autores do estudo escreve. “O estudo continuado dos mecanismos envolvidos na revelação de defeitos congénitos cardíacos álcool-induzidos é justificado a fim executar tratamentos e/ou estratégias eficazes da prevenção.”

Source:

American Physiological Society