O Estudo sugere que ROR1 poderia ser um alvo terapêutico importante para pacientes com CLL

Os Pesquisadores na Faculdade de Medicina do University Of California, San Diego relatam que um oncogene dublou ROR1, encontrado em pilhas de B crônicas (CLL) da leucemia lymphocytic mas em tecidos adultos nao normais, actuam como um acelerador quando combinados com um outro oncogene, tendo por resultado rápido-revelar, um formulário mais agressivo de CLL nos ratos.

Os resultados, publicados na Edição Adiantada do 30 de dezembro de 2013 Em Linha de PNAS, sugerem que ROR1 poderia ser um alvo terapêutico importante para os pacientes com CLL, o formulário o mais comum do cancro de sangue. A Predominância de CLL nos Estados Unidos é alta: 1 em 20 povos sobre a idade de 40 podia ter aparentemente pre-cancerígeno CLL-como pilhas em seu sangue. Estes povos podem desenvolver CLL real a uma taxa de aproximadamente 1 por cento pelo ano. Mais de 15.000 novos casos de CLL são diagnosticados todos os anos nos Estados Unidos. Aproximadamente 4.400 pacientes com CLL morrem anualmente.

O trabalho pela Cadeira do investigador principal Thomas Kipps, da DM, do PhD, da Evelyn e do Edwin Tasch na Investigação do Cancro, e nos colegas continua uma série de descobertas sobre ROR1. Previamente, por exemplo, encontraram uma associação entre ROR1 e a transição epitelial-mesenchymal - o processo que ocorre durante a embriogénese quando as pilhas migram e crescem então em órgãos novos durante a revelação adiantada. As pilhas de CLL exploram ROR1 para espalhar a doença. Metástase Chamada, é responsável para 90 por cento de mortes cancro-relacionadas.

No papel de PNAS, Kipps e os colegas criaram os ratos transgénicos que expressaram ROR1 humano, a seguir observaram que estes ratos produziram as pilhas de B (um tipo do glóbulo branco) que eram anormais e se assemelhavam a pilhas humanas de CLL quando os littermates não-transgénicos não fizeram.

Em Seguida cruzaram os ratos ROR1 com um outro rato-tipo transgénico que produzisse um oncogene chamado TCL1. Os Oncogenes são os genes que podem conduzir à revelação do cancro se sobre-expressado ou transformado. A descendência destes ratos do híbrido possuiu oncogenes - ROR1 e TCL1 - e indicado conseqüentemente uma inclinação mesmo maior para desenvolver CLL agressivo, rápido-actuando.

Quando os pesquisadores trataram os ratos com um anticorpo anti-ROR1 monoclonal que reduzisse níveis de ROR1, as pilhas de CLL foram danificadas e mais vulnerável ao tratamento e à destruição. Baseado nestes resultados, Kipps disse que os investigador no Centro do Cancro de Uc San Diego Moores estão planeando os ensaios clínicos que usam em 2014 um anticorpo monoclonal humanizado que tivessem o mesmo tipo de actividade contra a leucemia humana ou as células cancerosas que expressam ROR1.

Source: Universidade Da California - San Diego