Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

A droga nova multiplica o efeito analgésico dos opiáceo sem constipação crescente

Os cientistas da universidade de Granada participaram, ao lado do laboratório de Esteve, na revelação de uma droga nova que multiplicasse o efeito analgésico dos opiáceo (drogas para tratar a dor intensa), sem constipação crescente, um dos efeitos secundários os mais comuns destas drogas, entre que está a morfina.

Esta descoberta científica importante foi publicada no jornal da farmacologia e da terapêutica experimental, e escolhida como seu artigo proeminente no mês de janeiro. Até agora, a universidade de pesquisadores de Granada publicou os resultados de testar esta molécula em ratos.

Os derivados do ópio foram usados desde que épocas antigas tratar a dor. Actualmente, este e os produtos similares (opiáceo) são as drogas usadas para tratar vários tipos de dor intensa, tais como a dor do cargo-operatory, a dor de cancro ou a dor do interno-órgão. O uso prolongado dos opiáceo causa a constipação forte, que é um inconveniente substancial a sua administração, desde que diminui substancialmente o bem estar paciente.

O artigo recente-publicado mostra que S1RA, uma droga que obstrua o receptor sigma-1, controla multiplicar unicamente o efeito benéfico dos opiáceo; isto é, suas propriedades da dor-matança.

O receptor sigma-1 é uma proteína muito pequena que actue como um neuro-modulador, ligando fisicamente a outras proteínas (entre quais são os receptors do opiáceo) e alterando sua função.

Como Enrique Cobos del Moral, um dos autores e de um pesquisador na universidade do instituto de Granada da neurociência, explica, opiáceo são drogas basicamente “deactuação”; isto é, actuam directamente em cima do cérebro e do medula espinal. Contudo, quando os opiáceo são associados com os construtores do receptor sigma-1, seus efeitos da dor-matança são causados actuando em cima de outras áreas; especificamente, no sistema nervoso periférico. Disto, deduz-se que o receptor sigma-1 é um freio biológico que impeça a analgesia periférica do opiáceo, e que este freio pode ser eliminado pelo tratamento farmacológico para aumentar a potência da dor-matança dos opiáceo.

Esta descoberta científica é da importância enorme para o bem estar dos pacientes que sofrem da dor, desde que, no curto prazo, permitirá a revelação de uns analgésicos mais eficientes com menos efeitos secundários.

Source:

University of Granada