Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

A técnica de Imagem Lactente pode ajudar a compreensão de CSCR crônico

Por Laura Cowen, Repórter dos medwireNews

o tomografia óptico da coerência de Varrer-Source (SS-OCT) identifica as características morfológicas implicadas nos mecanismos fisiopatológicos subjacentes de chorioretinopathy soroso central crônico (CSCR), pesquisadores relata.

A de alta velocidade, aumentar-profundidade, técnica de exploração tridimensional, conduzida no comprimento de onda de 1050 nanômetro, permite a caracterização de características patológicas do epitélio retina do pigmento (RPE) e choroid nos olhos com o CSCR crônico capturado não geralmente com domínio espectral padrão OUTUBRO.

O Gaio Duker (Centro Médico dos Topetes, Boston, Massachusetts, EUA) e os colegas estudaram a morfologia da face SS-OCT do en do RPE e das camadas choroidal individuais de 15 olhos de 13 pacientes (idade média 51 anos, homens de 85%) com CSCR crônico. Todos Os pacientes relataram a sintomas visuais no olho afetado no mínimo 6 meses (meio 13,6 meses).

Os pesquisadores explicam que a não invasora, secção virtual permitida imagem lactente da face do en da área macular no μm consecutivo das varreduras 3,5 distante, da cavidade vítreo ao sclera.

A nível de RPE, a equipe observou uma ausência de sinal corresponder ao destacamento de RPE ou à perda de RPE em todos os olhos que estudou. Além Disso, as mudanças observadas nestas imagens corresponderam com as mudanças patológicas consideradas em SS-OCT de secção transversal e na imagem lactente multimodal, incluindo o autofluorescence do fundo e a angiografia.

Os Grandes pontos hypoechoic foram identificados em choriocapillaris ao nível em oito (53%) dos 15 olhos. Duker e outros comentam que este que encontra sugere “a presença de embarcações ampliadas”. Contudo, adicionam que era obscuro se a ausência de mudanças choriocapillary identificáveis nos sete olhos permanecendo “estêve relacionada a uma limitação na definição de imagem, dada o lúmen vascular menor e a anatomia vascular complexa neste nível, ou a ausência verdadeira de engorgement vascular.”

A nível da camada de Sattler, a face SS-OCT do en destacou a dilatação de embarcações choroidal de tamanho médio em dois testes padrões distintos; havia uma dilatação choroidal focal em oito olhos (de 53%) e difunde a dilatação choroidal em sete (47%).

Este teste padrão foi repetido a nível da camada de Haller, com os três (20%) e 12 olhos (de 80%) que mostram a dilatação choroidal focal e difusa, respectivamente.

Da nota, as anomalias vasculares choroidal foram consideradas apenas abaixo das áreas de anomalias de RPE em todos os olhos afetados. Não podem, contudo, ser vistos em imagens de secção transversal de OUTUBRO, que sugere que do “a imagem lactente da face en seja superior à imagem lactente de secção transversal para visualizar estas características”, Duker e os co-autores observam.

Relatando na Oftalmologia, adicionam: “Embora o significado physiopathologic de focal contra a dilatação choroidal difusa deve ser determinada ainda, nossos resultados originais podem conduzir às introspecções novas relativas aos mecanismos da doença.”

Isto poderia por sua vez “contribuir ao diagnóstico e a gestão de CSCR crônico,” a equipe conclui.

Licensed from medwireNews with permission from Springer Healthcare Ltd. ©Springer Healthcare Ltd. All rights reserved. Neither of these parties endorse or recommend any commercial products, services, or equipment.