Pesquisa: Feto mais vulneráveis a alguns poluentes que penetram no sistema feto-materno

Os contaminadores ambientais tóxicos são sabidos cada vez mais para causar um número de problemas de saúde severos, em particular nos feto, incluindo a parada cardíaca, a baixa capacidade cognitiva, a revelação atrasada, e desordens neurobehavioral.

Uma pesquisa nova caracterizada na ciência e na tecnologia ambientais publicadas pela sociedade de produto químico americano sugere que o feto seja mais vulnerável a alguns poluentes com determinadas propriedades porque penetram mais no sistema feto-materno. A pesquisa encontrou que as distribuições dos poluentes e os mecanismos das distribuições variam segundo as características físico-químicas de cada poluente.

Conduzido pelo Dr. Yoon-Seok Chang, um professor da escola da ciência ambiental e da engenharia na universidade de Pohang da ciência e da tecnologia (POSTECH), Coreia, a equipa de investigação analisou uma série de poluentes e de metais pesados (POPs) orgânicos persistentes nas amostras de cordão umbilical, de sangue materno, de urina materna, e de placenta dos bebês recém-nascidos e das suas matrizes. Os contaminadores incluem o mercúrio, chumbo, cádmio, dioxina (PCDD/Fs, PBDD/Fs), dioxina-como compostos (PCNs, PCBs), e a chama tratada - retardador (PBDEs).

Olhando nos níveis de concentração de toxinas em cada parte do sistema feto-materno, Chang e os pesquisadores confirmaram que todos os poluentes no sangue da matriz estão transportados ao feto através da placenta e do cordão umbilical.

Apesar do facto que a maioria dos contaminadores são filtrados ligeira ao passar através da barreira placental, todos os metais pesados pareça passar facilmente através da barreira. O chumbo é mal afetado, e o mercúrio acumula ainda mais no sangue fetal do que o sangue materno devido a sua afinidade obrigatória às proteínas fetal. PBDEs é detectado similarmente mais altamente no cordão umbilical devido a seus mecanismos originais da distribuição associados fortemente com a hormona de tiróide, deduzida pelos pesquisadores.

O estudo igualmente trouxe muita atenção merecida à exposição pré-natal aos candidatos do POP, de que nenhum estudo precedente considerado seriamente, como PCNs e PBDD/Fs é detectado no cordão umbilical pela primeira vez. PCNs e PBDD/Fs dioxina-como a estrutura e a descarga crescente no ambiente são dignos da preocupação pública.

“Quando os contaminadores ambientais são acumulados em uma matriz grávida, o feto está-lhes expor igualmente directamente, significando os efeitos adversos da geração dos PNF e dos metais pesados por último após a geração,” diz Chang, líder deste estudo. Ao planear na pesquisa da continuação para uma compreensão mais detalhada da distribuição, a inter-relação, e os efeitos sanitários de vários contaminadores, Chang sublinharam esforços para reduzir a exposição humana a e a descarga de contaminadores ambientais.

Source:

Pohang University of Science & Technology (POSTECH)