Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Determinados genes expor aos factores ambientais ásperos podem aumentar o risco do diabetes

O arsênico, que pode esta presente nas águas subterrâneas, altera uma enzima que altere a secreção da insulina no pâncreas.

Os médicos, geralmente, mostram o tipo diabetes de II em consequência de uma ingestão de alimentos e de uma falta exagerados do exercício; contudo, há aproximadamente 50 genes que causam mudanças no ADN, conhecido como os polimorfismo, que quando combinados com os factores ambientais ásperos estão no risco aumentado de desenvolver a doença, PhD mencionado Marta Ostrosky Wegman, director do instituto para a pesquisa biomedicável a universidade nacional de México (UNAM).

“Isto não significa que todos que é expor à poluição terá o diabetes, simplesmente aqueles que são suscetíveis desenvolverão polimorfismo” dizem o especialista na farmacologia.

Adiciona que há substâncias conhecidas como obesogenic e diabetogenic, como insecticidas, cádmio, o bisphenol químico A, entre outros, que pode alterar os genes.

O mais conhecido é o arsênico, que vem da água subterrânea e contamina a água da aba de estados mexicanos do norte como Coahuila, Sonora, chihuahua e fidalgo. Em México, a mineração e o overexploitation das áreas aquíferas subterrâneas são o factor principal que permitem que este metalóide afecte o líquido vital.

O pesquisador no UNAM, que por 20 anos conduziu diversos estudos científicos, encontrado que povos que bebem esta água seja mais suscetível ao diabetes tornando-se, porque o arsênico altera o calpain 10 da enzima, que altera a secreção da insulina pelo pâncreas.

A este respeito, notou que in vitro a pesquisa na área da região de Laguna (compreendida de três cidades nos estados de Coahuila e de Durango) encontrou que o pessoa que bebe as grandes quantidades de água contaminadas com o arsênico tem polimorfismo nos genes do calpain 10, que altera pilhas e impede que o corpo se aproveite da glicose, desse modo mostrando a susceptibilidade ao diabetes.

Conseqüentemente, a região de Laguna executa medidas combater a poluição da água pelo arsênico; um é misturar o líquido contaminado com a agua potável e promover a entrada da água engarrafada nas áreas onde é possível a adquirir.

Wegman Ostrosky detalhou que arsênico além de ser influências diabetogenic de um factor também na revelação do cancro da pele e de bexiga. “Nós não podemos ser tão drásticos e dizer isso que come somente carburadores e que não exercita está causando o diabetes. Há outros parâmetros que são relacionados com genes e sua interacção com o ambiente. Nós devemos conhecer o que as substâncias tóxicas acumulam no ambiente e evitam a exposição a ele.”

Source:

UNAM