Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

As substâncias da planta do tequila podem ajudar a tratar a osteoporose

O cientista mexicano identificou as substâncias da planta que aumentam a absorção do cálcio no corpo.

Independentemente de ser a matéria prima para fazer uma bebida muito tradicional em México, a variedade azul do tequilana da agave tem as substâncias capazes de melhorar a absorção do cálcio e do magnésio, minerais essenciais para manter a saúde do osso. Isto foi demonstrado pela pesquisa conduzida no centro para a pesquisa e estudos avançados (Cinvestav) no centro México.

O Dr. Mercedes López, líder do projecto, indica que “o consumo de fructans contidos na agave, em colaboração com o micriobiota intestinal adequado, promove a formação de osso novo, mesmo com a presença de osteoporose.”

Para alcançar esta conclusão, a equipa de investigação conduziu várias experiências com modelos animais. O procedimento consistiu remover os ovário dos ratos fêmeas a fim induzir a osteoporose. O passo seguinte era administrar fructans da agave e oito semanas uma amostra do fémur foi tomada mais tarde para medir a absorção dos minerais e do osteocalcin, a proteína que indica a produção de osso novo.

“Encontrou-se que os ratos que consumiram este fructans sintetizaram quase 50 por cento mais de tal proteína, além que o diâmetro de seus ossos era mais alto comparado com os assuntos que não foram fornecidos com os derivados da agave” ela relata.

Este as substâncias alcançam o grande intestino intacto e interagem com o microbiota que vive lá para transformar-se ácidos gordos da curto-corrente. Estes travam os minerais disponíveis no intervalo e ajudam-nos a transportá-los através das pilhas.

“Esta maneira, nós temos uma segunda oportunidade de aproveitar-se dos nutrientes que estavam já não disponíveis ao corpo. Contudo, é muito importante que os povos têm um microbiome intestinal saudável, porque somente então é possível que as bactérias fermentam fructans para os transformar em ácidos gordos, “dizem o Dr. López.

Os resultados fornecem a possibilidade de desenvolver uma alternativa no tratamento da osteoporose, uma doença que, de acordo com as estatísticas as mais atrasadas da fundação internacional da osteoporose, afecte 200 milhões de povos no mundo inteiro, assim que significa que uma de cada cinco fracturas, na população com mais de 50 anos de idade, está relacionado à doença.

Conseqüentemente, López espera executar estudos clínicos para mostrar que os fructans podem ser usados como um assistente, para que já se aplicou para uma patente a nível nacional. (Identificação de Agencia)

Source:

Investigación y Desarrollo