Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Deficiência orgânica sexual predominante entre pacientes do RA

Os resultados de um estudo apresentado hoje na liga européia contra o congresso anual do reumatismo (EULAR 2016) mostraram que a deficiência orgânica sexual esta presente em mais de um terço dos pacientes com artrite reumatóide (RA) que são ainda sexualmente activos, homens e mulheres. Uma variedade de dificuldades podem afectar os pacientes do RA, incluindo a falta da libido, a ligação dolorosa, a deficiência orgânica orgásmico, a ejaculação prematura e uma vida sexual não-satisfatória.

A “sexualidade está a uma dimensão importante da personalidade de um indivíduo, e os problemas sexuais podem ter um impacto seriamente prejudicial no relacionamento de um par,” disse o Dr. Pedro Santos-Moreno do Biomab, centro para a artrite reumatóide, Bogotá do autor principal, Colômbia. “É conseqüentemente um pouco surpreendente que, a pesquisa muito pequena da qualidade sobre distúrbios sexuais em pacientes do RA tem sido publicada até aqui na literatura, tendo como a terra comum os problemas é,” ele adicionou.

Muitos factores podem influenciar a predominância e o agravamento destes distúrbios sexuais; contudo, o relacionamento entre ter uma actividade do distúrbio e de uma doença sexuais do RA não era estatìstica significativo; os problemas eles mesmos não afectam a actividade da doença. Contudo, há um relacionamento entre não estar sexualmente activo e a presença de actividade da doença.

Este estudo explorou o tipo três diferente de factores - precipitando, predispor e manutenção -- isso pode influenciar a predominância e o agravamento de distúrbios sexuais em pacientes do RA, assim como seu relacionamento com actividade da doença.

Os factores de precipitação para a deficiência orgânica sexual nas mulheres e nos homens com RA incluíram respectivamente a infidelidade (33% e 6%), a insegurança em um papel sexual (32% e 16%), e em causas biológicas ou do exame (17% e 3%). A escala de predispr factores nas mulheres e os homens respectivamente foram relacionados às mudanças da imagem (14% e 21%), à infidelidade (13% e 7%), à ansiedade (2% e 2%) e à perda de atracção (1,4% e 10%).

Feltro relatado dos factores a ser responsável para os distúrbios sexuais que continuam em causas biológicas incluídas das mulheres e dos homens respectivamente (factores de manutenção assim chamados) (11% e 15%), em infidelidade (9% e 4%), na alteração geral do relacionamento do par (9% e 19%), na deficiência orgânica sexual do sócio (3% e 0,8%), e na depressão/ansiedade (1,9% e 5%).

O relacionamento entre estes vários precipitação, factores da predisposição ou de manutenção e actividade da doença não era igualmente estatìstica significativo.

Os pacientes neste estudo eram todos que atendem a uma clínica especializada do RA, com a informações recolhidas com as entrevistas semi-estruturadas. De uma população de 1.298 pacientes do RA, com uma idade média de 55 anos velho, 80% eram as mulheres, de quem 40% não relatou nenhuma actividade sexual. Apenas sob um terço dos homens com RA neste estudo igualmente não relatou nenhuma actividade sexual.

Source:

European League Against Rheumatism