Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

O exercício moderado reduz a progressão de sintomas da síndrome de Marfan nos ratos

A actividade física regular é uma terapia comum para povos com problemas cardiovasculares, mas não recomendado àqueles com síndrome de Marfan, uma doença rara do tecido conjuntivo, mas principalmente de afetar o sistema cardiovascular. Um estudo conduzido comum pela universidade de Barcelona e do pi de agosto eu o instituto de investigação biomedicável de Sunyer (IDIBAPS) tenho analisado pela primeira vez esta recomendação médica que analisa o impacto do exercício na revelação da doença nos ratos. Os resultados, publicados no jornal do jornal científico da associação americana do coração, mostram que o exercício do moderado reduz a progressão do aneurisma aórtico, um dos sintomas os mais severos da doença qual pode fazer com que as artérias quebrem.

O estudo, conduzido por Gustavo Egea, professor do departamento da biomedicina da faculdade de ciências da medicina e da saúde do UB, e pesquisador em IDIBAPS, e Eduard Guasch, cardiologista no hospital Clínic de Barcelona e cabeça do grupo em IDIBAPS, abre a porta à execução dos estudos em seres humanos para verificar os efeitos positivos deste tipo do exercício nos pacientes com síndrome de Marfan.

Hipótese sem evidência experimental

A actividade física aumenta o sangue os expulses do coração pela acta. Este aumento tem um impacto na aorta. “Até agora, pensou-se que este impacto do mecânico, junto com um aumento discreto da pressão arterial, poderia ter efeitos negativos em uma artéria fraca, como o exemplo dos pacientes com síndrome de Marfan, e conseqüentemente se dilataria mais rapidamente se o paciente exercitado” diz Gustavo Egea.

Para testar esta hipótese, os pesquisadores analisaram os efeitos do exercício moderado em ratos com doença de Marfan. “Durante os cinco meses da experiência, a aorta daqueles ratos que não exercitaram dilatou-se comparado duas vezes 2 aqueles ratos que não eram os ratos do Illinois que exercitaram experimentou uma redução desta dilatação até que estêve indistinguível daquelas sem a doença” diz Eduard Guash. Também, entre os efeitos benéficos, os pesquisadores igualmente viram que o exercício do moderado por cinco meses reduziu o tamanho do coração (hipertrofia cardíaca) comparado 2 aqueles ratos que não exercitaram.

“Os resultados novos vão contra um conceito clínico que seja aceitado sem nenhuma evidência experimental para a provar: disse que toda a actividade física aumentou o risco de acelerar a progressão do aneurisma” diz Gustavo Egea.

Recomendações de pensamento do estilo de vida duas vezes

Embora os resultados nos animais devam com cuidado ser interpretados antes dos trazer aos pacientes, os pesquisadores destacam que o estudo fornece os dados experimentais que não estavam disponíveis antes e podem fazer povos pensar duas vezes sobre os doutores das recomendações do estilo de vida para oferecer aos pacientes. “Nosso trabalho abre a porta aos estudos de condução em seres humanos, mas não a verifica que directamente a recomendação não-selectiva da actividade física aos pacientes com síndrome de Marfan” diz Gustavo Egea.

Além disso, os pesquisadores notam que o estudo está centrado sobre o impacto do exercício moderado, que são esse recomendado aos povos geralmente e que foi provado trazer benefícios cardiovasculares. “Nós não enfrentamos os efeitos de intenso e o exercício longo e nós não podemos aplicar nossos resultados a outros tipos do exercício - diferente do que a resistência” diz Eduard Guasch.

Síndrome de Marfan

A síndrome de Marfan é uma doença genética causada pela mutação de um gene que codifique o fibrilin mim proteína, um dos dois compostos principais das fibras elásticas que compo o tecido conjuntivo. Em consequência desta mutação, o conjunto elástico da fibra nos tecidos é errado, e conseqüentemente a função do abrandamento é perdida e os tecidos obtêm danificados mais rapidamente.

Todos os tecidos com fibras ou o fibrilin elástico eu microfibrils sou afetado, como a pele que obtem marcas de estiramento, ou os pulmões com enfisema, e a lente de olho que se move e se causa a cegueira. O mais significativo de todas estas deficiências orgânicas é o enfraquecimento acelerado da aorta de ascensão, que conduz ao aneurisma aórtico e a seguintes dissecção e quebra da aorta.

Estas manifestações clínicas são o que é sabido como a síndrome de Marfan, que, apesar de ser uma doença da minoria, têm uma predominância alta de 1/5,000 dos pacientes e são duras de diagnosticar.

Os povos com Marfan são altos com extremidades desproporcionalmente grandes. A vida média de povos não-diagnosticados tem ao redor 40 anos velha, e ao redor 50% dos povos com esta doença não são diagnosticados. Em Catalonia, pode haver ao redor 1.500 povos com ele. O diagnóstico é feito com um estudo da manifestação clínica com uma contagem. Em caso de dúvida ou verificação uma análise genética pode ser realizada. Hoje em dia, a única solução terapêutica eficaz é cirurgia, e diagnostica e a monitoração regular da progressão do aneurisma com técnicas de imagem lactente é essencial aumentar a vida dos pacientes.