O estudo Novo de UGR fornece a evidência para os efeitos adversos dos tramadol no desempenho do ciclismo

Tramadol é uma medicamentação de dor do opiáceo usada principalmente para tratar o moderado à dor severa, tal como a dor lombar ou a dor pós-operatório. Embora não fosse incluído ainda na lista de substâncias proibidas pela Agência do Anti-doping do Mundo (WADA), a droga tem gerado recentemente o interesse significativo dos media. Os números Crescentes de ciclistas e de membros da equipa profissionais estão vindo para a frente sobre o uso freqüente do tramadol no esporte reduzir a percepção de dor, apesar dos efeitos secundários adversos da droga.

Os efeitos secundários os mais visíveis são sonolência e perda de concentração, junto com a compreensibilidade reduzida aos estímulos, que por sua vez podem causar quedas no ciclismo profissional. Embora a droga seja suspeitada geralmente porque uma causa subjacente das quedas, nenhuma prova irrefutável foi fornecida até aqui a respeito de seus efeitos no desempenho físico e cognitivo.

Contudo, um estudo novo conduzido pela Universidade de Granada (UGR), financiado pela Agência do Anti-doping do Mundo (WADA), e supervisionado pela Agência Espanhola das Medicinas e dos Dispositivos Médicos (AEMPS), fornece a primeira prova científica dos efeitos adversos do tramadol no desempenho do ciclismo. A pesquisa recentemente foi publicada no Jornal prestigioso da Ciência e na Medicina no Esporte e deve ajudar a resolver a controvérsia caloroso que cerca a substância.

O projecto empregou um ensaio clínico dobro-cego que compara os efeitos do tramadol com os aqueles de um placebo no mesmo grupo de participantes. Os resultados da primeira mostra da experiência um desempenho mais alto sob o tramadol (~5%) do que sob o placebo. Contudo, ao contrário, estes resultados não replicated na segunda experiência, onde os participantes diferentes (diferentes da Experiência 1) empreenderam uma tarefa física junto com uma tarefa sustentada da atenção (os participantes executaram uma tarefa visual das aves raras durante a experimentação do tempo). A razão para estes resultados divergentes entre as Experiências 1 e 2 é ainda incerta. Interessante bastante, os dados (EEG) da electroencefalografia na Experiência 2 indicaram que o tramadol teve um impacto no processamento do estímulo relativo à atenção sustentada.

Os pesquisadores de UGR envolvidos no projecto concordam que não há ainda bastante evidência para fazer um caso antes da Agência Espanhola das Medicinas e dos Dispositivos Médicos (AEMPS). Darías Holgado Nuñez, da Mente do UGR, o Centro de Pesquisa do Cérebro e do Comportamento (CIMCYC) e esse dos pesquisadores atrás deste projecto de abertura de caminhos, explica aquele: “Os resultados do estudo não são conclusivos, assim que significa que o cuidado deve ser tomado quando se trata de afirmar que o tramadol melhora o desempenho dos esportes ou afecta o processamento do estímulo. Este é o primeiro estudo de seu tipo, assim que mais pesquisa deve ser conduzida a fim estabelecer conclusiva se o tramadol influencia esportes e o desempenho cognitivo.”

Actualmente, o tramadol não é incluído na lista de substâncias proibidas pela Agência do Anti-doping do Mundo (WADA) mas apareceu no programa de monitorização da organização desde 2012 (as substâncias estudadas para identificar abusos potenciais). Logo, os pesquisadores de UGR iniciarão um estudo novo nesta linha fascinante de pesquisa.

Source: http://www.ugr.es/en/