O uso moderado do facebook ligou à felicidade entre adultos com o ASD

Entre adultos com desordem do espectro do autismo (ASD), um estudo novo mostrou que aqueles que usam Facebook, na moderação, estão mais felizes do que aqueles que não fazem. Isto que encontra não poderia ser generalizado ao uso total de media sociais, contudo, porque o mesmo não era verdadeiro daqueles que usaram Twitter, por exemplo, como relatado em um artigo publicado em Cyberpsychology, em comportamento, e em trabalhos em rede sociais, um jornal par-revisto de Mary Ann Liebert, Inc., editores. O artigo está disponível livre no Cyberpsychology, no comportamento, e no Web site social dos trabalhos em rede.

“No uso e felicidade sociais dos media com desordem do espectro do autismo,” a divisão de Deborah dos co-autores e o Aneto-Shackleford de Karen, a universidade graduada de colocação, Santa Barbara, o CA e Micah Mazurek, universidade de Virgínia, Charlottesville encontraram que quando a felicidade e o uso de Facebook aumentaram junto até algum ponto, o efeito benéfico do uso social dos media a seguir se enfraqueceu. Os pesquisadores propor que essa capacidade para interagir com a outro em Facebook, em vez em umas interacções frente a frente mais desafiantes possa ajudar a proteger estes indivíduos contra os problemas de saúde mentais associados com o ASD tal como a depressão.

“Algum estuda o relatório que até 50% dos adultos com ASD têm a perturbação da ansiedade social deocorrência. Facebook pode fornecer um ponto de partida seguro para treinar e refinamento de habilidades de conversação,” diz o redactor-chefe Brenda K. Wiederhold, PhD, MBA, BCB, BCN, media interactivos instituto, San Diego, Califórnia e instituto médico da realidade virtual, Bruxelas, Bélgica. “A autoconfiança aumentada em suas capacidades pode conduzir à tradução eventual destes grupos novos da habilidade em interacções frente a frente melhoradas.”

Advertisement