Os pesquisadores descobrem a história evolucionária de cancro IBD-associado das entranhas

Uma equipe dos pesquisadores da Universidade de Londres de Queen Mary relatou os eventos genéticos envolvidos na revelação adiantada do cancro das entranhas nos pacientes com a doença de entranhas inflamatório (IBD).

Tal conhecimento pode poder ser explorado para projectar testes de diagnóstico simples estratificar pacientes com o IBD no risco elevado de desenvolver o cancro.

O IBD mais do que dobram o risco da vida de um indivíduo de desenvolver o cancro das entranhas, e os aumentos do risco significativamente se sofreram com IBD por um período de tempo sustentado. Com isto em mente, o estudo publicado no intestino executou em colaboração com pesquisadores do hospital de St Mark e a universidade de Oxford exps para compreender a genética de como o cancro colorectal se torna nos povos com IBD.

O professor Trevor Graham do pesquisador do chumbo do instituto do cancro dos baronete em Queen Mary disse: “Quem com IBD está indo ir sobre se tornar o cancro de predição das entranhas é uma necessidade não satisfeita grande. Se nós poderíamos a fazer exactamente, permitiria que nós visassem o cuidado àqueles que o precisam mais, e poupa a preocupação desnecessária dos indivíduos de baixo-risco. Aqui nós determinamos que mutações genéticas tendem a ocorrer cedo em revelação IBD-associada do cancro das entranhas. Estas mutações poderiam formar a base de um teste de diagnóstico simples para prever quem está no risco elevado.”

Estabelecendo uma seqüência de eventos genéticos

A equipe olhou as seqüências genéticas das amostras de tecido cancerígenos e não-cancerígenos recolhidas dos pacientes com cancro colorectal IBD-associado. Comparando as seqüências, os pesquisadores podiam estabelecer um espaço temporal dos eventos que conduzem à revelação da malignidade.

Notàvel, a análise identificou algumas alterações genéticas que tenderam a ocorrer cedo na progressão ao cancro, tal como mudanças do “à proteína do supressor tumor” conhecida como p53. Muda a p53 que conduzem à alteração ou a perda de sua função ocorre geralmente mais tarde na revelação dos cancros das entranhas que não são associados com o IBD, destacando algumas diferenças genéticas entre os exemplos colorectal do cancro que desenvolveram do IBD e aqueles que não têm.

Muda no número de cópias de alguns cromossomas as estruturas que levam nossa informação genética sob a forma dos genes eram igualmente comuns na grande maioria de amostras IBD-associadas do cancro das entranhas e acumulada cedo em seu espaço temporal evolucionário.

A esperança da equipe que manchar estas mudanças genéticas adiantadas poderia ser usada como indicadores para identificar que pacientes com IBD estão no risco imediato de cancro das entranhas, alertando a fiscalização próxima do paciente e permitindo a intercepção oportuna com as melhores opções do tratamento. Por outro lado, os sofredores do IBD não em risco da revelação do cancro poderiam ser preocupação desnecessária poupada.

Sentidos futuros

O primeiro Dr. Annie Padeiro do autor do instituto do cancro dos baronete em Queen Mary disse: “Nesta pesquisa emocionante nós estudamos como o cancro IBD-associado das entranhas se torna ao longo do tempo, identificando as mudanças genéticas cruciais de que ocorra antes ou no início da malignidade. Nossos resultados forneceram uma fundação forte para o trabalho futuro, que focalizará em como nós podemos usar este conhecimento para melhorar como os doutores avaliam, monitoram e tratam pacientes do IBD na clínica.”

A equipe tem recebido recentemente o financiamento da investigação do cancro Reino Unido (CRUK) através do córrego do financiamento da detecção atempada para validar que estes indicadores genéticos são certamente marcadores eficazes do risco de cancro. Isto é além do que os esforços em curso, financiados pela caridade dos baronete, para identificar biomarkers prognósticos para o cancro das entranhas em outros grupos pacientes do IBD.

Advertisement