Os pesquisadores encontram a molécula que as paradas, revertem o neurodegeneration causado pela doença de Parkinson

A molécula pequena de SynuClean-D interrompe a formação das fibras do amyloid do alfa-synuclein responsáveis para o início da doença de Parkinson, e reverte o neurodegeneration causado pela doença. O estudo dirigido por pesquisadores de Universitat Autònoma de Barcelona foi publicado em PNAS.

A doença de Parkinson é a segunda - desordem neurodegenerative incurável a mais comum após a doença de Alzheimer. É caracterizada pela acumulação de depósitos da proteína nos neurônios dopaminergic (responsável de produzir a dopamina) sob a forma das fibras do amyloid. Estes agregados são formados principalmente pela proteína do alfa-synuclein e em uma maneira muito complexa, que a faça complicada para identificar as moléculas que poderiam impedir ou reverter o processo e o neurodegeneration associados com ela.

Uma colaboração científica conduzida por pesquisadores no instituto da biotecnologia e da biomedicina (IBB) do Universitat Autònoma de Barcelona identificou uma molécula que parasse e revertesse este neurodegeneration. Após a análise sobre 14.000 moléculas, encontraram a molécula de SynuClean-D, que inibe a agregação da proteína do alfa-synuclein e quebra as fibras já formadas do amyloid, assim impedir a iniciação do processo que causa o início da doença de Parkinson neurodegenerative.

Com as experiências conduzidas com os elegans pequenos de Caenorhabditis worm, um dos modelos animais os mais de uso geral em doenças neurodegenerative, os pesquisadores podiam verificar que administrando o através do alimento, a molécula era capaz notàvel de reduzir agregações do alfa-synuclein, de impedir a propagação de agregados tóxicos e conseqüentemente de evitar a degeneração dos neurônios dopaminergic.

“Tudo parece indicar que a molécula que nós identificamos, o SynuClean-D, pode fornecer aplicações terapêuticas para o tratamento de doenças neurodegenerative tais como Parkinson no futuro”, pesquisador de UAB e o coordenador do estudo Salvador Ventura indica.

Para identificar pesquisadores de SynuClean-D desenvolveu uma metodologia capaz de indentifying os inibidores da agregação do alfa-synuclein entre milhares de moléculas. Uma vez que identificada, uma caracterização biofísica foi conduzida in vitro de sua actividade de inibição e os testes foram executados para descobrir seu comportamento com culturas celulares neurais humanas, antes de testá-lo nos modelos animais da doença (o sem-fim dos elegans de Caenorhabditis). Estes animais expressam o alfa-synuclein no músculo ou nos neurônios dopaminergic. As experiências demonstraram que a administração do inibidor identificado reduziu a agregação da proteína, melhorando a mobilidade do animal e protegendo a da degeneração neural.

Source: https://www.uab.cat/web/newsroom/news-detail-1345668003610.html?noticiaid=1345770840832