Número inimigo 1 - parte superior da poluição do ar e das alterações climáticas da agenda do WHO

A Organização Mundial de Saúde (o WHO veio acima com uma lista de 10 ameaças principais que são afectar a população global em 2019. Alguma destes inclui os problemas que elevaram da poluição do ar e das alterações climáticas que slated para ser a ameaça superior.

Crédito de imagem: Chung pendurado Chih/Shutterstock
Crédito de imagem: Chung pendurado Chih/Shutterstock

A escala dos problemas das doenças comunicáveis tais como o sarampo e a difteria que são evitáveis vacinal, às doenças não comunicáveis tais como a doença cardíaca, obesidade, micróbios resistentes aos medicamentos etc. O WHO veio acima com uma lista endereçar estas 10 ameaças. Este ano 2019 slated para ser o começo do plano de cinco anos da organização abordar estas ameaças. O plano estratégico de 5 anos é chamado o 13o programa de trabalho geral ou do 13o GPW. O plano aponta visar mais esse pelo menos 1 bilhão do benefício da população de mundo das políticas dos cuidados médicos que as protegem contra emergências da saúde e 1 bilhão mais povos apreciam melhores normas sanitárias.

A parte superior da lista de ameaças é pegada pela poluição do ar e por problemas relativos alterações climáticas. O WHO relata que 90 por cento da população de mundo hoje estão respirando nas emanações tóxicas que vêm da queimadura de combustíveis fósseis e de outras fontes.

A poluição do ar apenas é responsável para mortes prematuras de 7 milhões de pessoas anualmente. É responsável para causar uma variedade de circunstâncias que incluem a doença cardíaca, o curso, as doenças pulmonares, os cancros etc. O WHO relata que a maioria das mortes causadas pela poluição do ar ocorre entre os povos que vivem em países do ponto baixo e do salário médio. Estas nações têm a quantidade máxima de emissões tóxicas dos riscos industriais, processos agrícolas e do transporte. Os combustíveis e os métodos do cozimento usados nas HOME destas nações igualmente estão poluindo principal e este levanta o risco de exposição ao ar poluído em casa. O WHO calcula que entre 2030 e 2050 a poluição do ar e as alterações climáticas causaram 250.000 mais mortes. Estas mortes são não somente directamente devido à poluição do ar e às alterações climáticas mas também devido às doenças tais como o esforço da malária, da diarreia e de calor, o WHO relata adiciona.

O WHO relata estados, o “WHO tem o potencial melhorar dramàtica a saúde de nosso mundo sobre os cinco anos de vinda. A finalidade deste décimo terceiro programa de trabalho geral 2019−2023 (GPW 13) é aproveitar esta oportunidade. O WHO sucederá somente, contudo, se baseia seu trabalho nos objetivos da revelação sustentável (SDGs). A agenda 2030 para a revelação sustentável vê a saúde como vital para o futuro de nosso mundo.” O relatório adiciona que convidam todas as partes interessadas “asseguram vidas saudáveis e promovem o bem estar para tudo em todas as idades.”

De acordo com o relatório o número da linha de base de mortes atribuiu à poluição do ar e as alterações climáticas em 2018 estão em 106 mortes por 100.000. Na taxa das tendências da corrente os números são calculados para permanecer em 99,5 mortes por 100.000 em 2023 e em 91,1 mortes por 100.000 em 2030. O WHO visa está em 99,5 e 91,1 mortes por 100.000 em 2023 e 2030 respectivamente como parte do SDG. O relatório adiciona que o WHO é alvo é “reduz a taxa de mortalidade atribuída ao agregado familiar e à poluição do ar ambiental por 5%.” O indicador para tal progresso seria taxa de mortalidade “atribuída ao agregado familiar e à poluição do ar ambiental”

De acordo com o relatório do WHO o SDG seria -

  • “Reduza em 2030, substancialmente o número de mortes e doenças dos produtos químicos e ar perigoso, água e poluição e contaminação do solo.”
  • “Assegure o acesso à energia disponível, sustentável, e moderna para tudo”
  • “Em 2030, reduza per capita o impacto ambiental adverso das cidades, incluindo pagando a atenção especial à qualidade do ar e o municipal e a outra gestão de resíduos”
  • “Reforce a superação e a capacidade adaptável aos perigos e às catástrofes naturais clima-relacionados em todos os países”
Dr. Ananya Mandal

Written by

Dr. Ananya Mandal

Dr. Ananya Mandal is a doctor by profession, lecturer by vocation and a medical writer by passion. She specialized in Clinical Pharmacology after her bachelor's (MBBS). For her, health communication is not just writing complicated reviews for professionals but making medical knowledge understandable and available to the general public as well.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Mandal, Ananya. (2019, January 21). Número inimigo 1 - parte superior da poluição do ar e das alterações climáticas da agenda do WHO. News-Medical. Retrieved on November 22, 2019 from https://www.news-medical.net/news/20190121/Enemy-number-1-Air-pollution-and-climate-change-top-of-WHO-agenda.aspx.

  • MLA

    Mandal, Ananya. "Número inimigo 1 - parte superior da poluição do ar e das alterações climáticas da agenda do WHO". News-Medical. 22 November 2019. <https://www.news-medical.net/news/20190121/Enemy-number-1-Air-pollution-and-climate-change-top-of-WHO-agenda.aspx>.

  • Chicago

    Mandal, Ananya. "Número inimigo 1 - parte superior da poluição do ar e das alterações climáticas da agenda do WHO". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20190121/Enemy-number-1-Air-pollution-and-climate-change-top-of-WHO-agenda.aspx. (accessed November 22, 2019).

  • Harvard

    Mandal, Ananya. 2019. Número inimigo 1 - parte superior da poluição do ar e das alterações climáticas da agenda do WHO. News-Medical, viewed 22 November 2019, https://www.news-medical.net/news/20190121/Enemy-number-1-Air-pollution-and-climate-change-top-of-WHO-agenda.aspx.