Os níveis do Folate diminuem significativamente durante meses com radiação solar mais alta

Assim, esta equipe dos cientistas determinou um ponto inicial sazonal do risco entre pacientes com deficiência do folate, desde que, de acordo com este estudo, os níveis do folate diminuem significativamente naqueles meses em que a radiação solar é mais alta.

Um trabalho executado no laboratório do Photobiology Dermatological do UMA, situado no centro para a pesquisa médica e de saúde (CIMES), em que mais de 100.000 pacientes das unidades de hospital de Malaga foram examinados por cinco anos.

“Nós revelamos que os ciclos repetem anualmente. A porcentagem de baixos valores aumenta no verão por quase 3,5 por cento em comparação com o inverno”, explica o pesquisador José Aguilera, que diz mais que os níveis do folate são mais baixos nos homens em relação às mulheres, apesar da sazonalidade.

Em virtude destes resultados, os peritos recomendam que os pacientes com valores do folate abaixo de 4ng/mL incluem o alimento folate-rico, tal como leguminosa ou vegetais verdes, em sua dieta no verão, e tomam mesmo suplementos dietéticos em caso da baixa deficiência.

O Folate é essencial para a divisão e o crescimento de pilha. Os baixos níveis de folate são relacionados às várias condições, tais como a anemia megaloblastic, os defeitos de câmara de ar neural e doenças cardiovasculares. É, conseqüentemente, uma vitamina (vitamina B9) da importância vital para seres humanos, porque, por exemplo, ajuda a adicionar o ferro à anemia ou, no caso dos neonatos, a impedir desordens congenitais no nascimento, daqui sua importância durante a gravidez.

Laboratório do Photobiology Dermatological

Desde 2006, os pesquisadores da universidade de Malaga têm trabalhado para encontrar tendências novas no photoprotection, para as linhas inauditas que se aprofundam no relacionamento da luz solar-pele, através do laboratório do Photobiology Dermatological, que é original na Espanha.

Outras linhas de R&D&I incluem o estudo em efeitos positivos da vitamina D para impedir determinadas doenças, tais como doenças digestivas e cardiovasculares, ou a revelação de umas protecção solar mais eficientes e mais duradouros, que sejam baseadas em compostos sintéticos mas inspiradas por algas marinhas.

UV-DERMA, um app para saber quanto tempo toma a pele à queimadura

Os pesquisadores María Victoria de Gálvez e José Aguilera, membros deste laboratório do UMA, em colaboração com Fundación Piel Sana da academia espanhola da dermatologia, igualmente desenvolveram UV-DERMA, um app móvel que calculasse que o tempo onde nossa pele toma para se queimar quando expor ao sol.

Dado seu sucesso, com mais de 40.000 transferências, estão desenvolvendo actualmente uma versão nova traduzida em todas as línguas de modo que possa ser usada ao redor do mundo.