Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os micróbios do intestino podiam ser ligados à depressão

O intestino humano contem trilhões das bactérias que formam o microbiome ou o microbiota do intestino. Uma pesquisa nova ligou a composição destes microbiome do intestino e desordem depressiva. O estudo intitulado, “o potencial neuroactivo do microbiota humano do intestino na qualidade de vida e a depressão,” foram publicados na introdução a mais atrasada da microbiologia da natureza do jornal esta semana.

Os micróbios Coprococcus e Dialister do intestino são marcada mais baixos entre aqueles que sofrem da depressão, ilustração 3D. Crédito de imagem: Kateryna Kon
Os micróbios Coprococcus e Dialister do intestino são marcada mais baixos entre aqueles que sofrem da depressão, ilustração 3D. Crédito de imagem: Kateryna Kon

O estudo conduzido pelo ADN usado Valles-Colomer de M. que arranja em seqüência para olhar a composição dos micróbios no intestino. Analisaram o microbiota do intestino sobre de 1.000 povos de suas amostras da fezes. Os participantes eram parte do projecto da flora do intestino do Flemish da Bélgica. A equipe conectou então a composição do microbiome dos participantes com a qualidade de vida e de outros factores nos participantes. Usaram o auto relatado e o médico forneceu o diagnóstico da depressão entre os participantes e associou-o com a imagem microbiana do intestino. Os dados foram validados então de uma outra coorte de 1.063 participantes do projecto PROFUNDO' das cordas de salvamento holandesas. Os resultados finais de todos os dados recolhidos foram usados para conectar o microbiome do intestino e as funções do sistema nervoso central.

Conduza o pesquisador Jeroen Raes, do departamento da microbiologia e a imunologia no instituto de Flanders para a biotecnologia e na universidade católica de Lovaina disse, “a noção que os metabolitos microbianos podem interagir com nosso cérebro -- e assim comportamento e sentimentos -- é intrigante… Até aqui, a maioria dos estudos estavam ou nos ratos ou em estudos humanos em escala reduzida, com resultados misturados e contraditórios.”

Os resultados revelaram que a presença de dois grupos de bactérias, Coprococcus e Dialister eram marcada mais baixos entre aquelas que sofrem da depressão. Ambos estes grupos de bactérias têm propriedades anti-inflamatórios. Raes disse, “nós igualmente sabemos que a neuro-inflamação é importante na depressão. Assim, nossa hipótese é que estes dois estão ligados de algum modo.”

Notaram que o microbiome do intestino jogou certamente um papel em dividir o produto metabólico da dopamina do neurotransmissor. Este produto é chamado o ácido 3,4 dihydroxyphenylacetic. Este é uma da evidência a mais forte que conecta o microbiome do intestino e a função do cérebro humano diz os pesquisadores. Embora concordem que somente uma correlação estêve encontrada e não uma causa - e - efectue o relacionamento. Mais pesquisa é necessário vir às conclusões que adicionam.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (WHO) há 300 milhões de pessoas diagnosticados com doença depressiva através do globo. Se uma conexão entre o microbiome do intestino e a depressão poderia ser estabelecida, as avenidas novas da terapia e da gestão poderiam abrir acreditam peritos. Raes disse, “este pavimenta a maneira para tratamentos na depressão. Uma opção é nova, probiotics da próxima geração. Eu penso realmente que há um futuro neste: usando cocktail das bactérias humano-derivadas como o tratamento? - erros como drogas, como dizem.”

Dr. Ananya Mandal

Written by

Dr. Ananya Mandal

Dr. Ananya Mandal is a doctor by profession, lecturer by vocation and a medical writer by passion. She specialized in Clinical Pharmacology after her bachelor's (MBBS). For her, health communication is not just writing complicated reviews for professionals but making medical knowledge understandable and available to the general public as well.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Mandal, Ananya. (2019, June 20). Os micróbios do intestino podiam ser ligados à depressão. News-Medical. Retrieved on November 28, 2021 from https://www.news-medical.net/news/20190204/Gut-microbes-could-be-linked-to-depression.aspx.

  • MLA

    Mandal, Ananya. "Os micróbios do intestino podiam ser ligados à depressão". News-Medical. 28 November 2021. <https://www.news-medical.net/news/20190204/Gut-microbes-could-be-linked-to-depression.aspx>.

  • Chicago

    Mandal, Ananya. "Os micróbios do intestino podiam ser ligados à depressão". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20190204/Gut-microbes-could-be-linked-to-depression.aspx. (accessed November 28, 2021).

  • Harvard

    Mandal, Ananya. 2019. Os micróbios do intestino podiam ser ligados à depressão. News-Medical, viewed 28 November 2021, https://www.news-medical.net/news/20190204/Gut-microbes-could-be-linked-to-depression.aspx.