Os pesquisadores descobrem diversos genes ligados ao uso aumentado do álcool e do tabaco

O uso do álcool e do tabaco é ligado pròxima a diversas doenças, e é um factor de contribuição em muitas mortes.

Um estudo recente que usa dados de 1,2 milhões de pessoas tem sido publicado agora na genética da natureza do jornal. Diversos grupos de investigação são em todo o mundo involvidos, entre eles um grupo do estudo da saúde de Nord-Trøndelag (CAÇA) e o K.G. Jebsen Centro para a epidemiologia genética.

“Nós descobrimos diversos genes associados com um uso aumentado do álcool e do tabaco. Nós igualmente olhamos a correlação entre estes genes e o risco de desenvolver várias doenças e desordens,” diz o professor Kristian Hveem no centro de pesquisa da CAÇA. É igualmente a cabeça do centro de Jebsen e de esse dos co-autores do estudo.

Genes e doenças

Os grupos de investigação descobriram um total de 566 variações do gene em 406 locais diferentes no material genético humano que pode ser ligado ao uso do álcool ou do tabaco. Cem cinqüênta destes locais são ligados ao uso do tabaco e do álcool.

O consumo do álcool foi medido em termos do número de unidades padrão do álcool. O uso do tabaco foi medido no número de cigarros pelo dia.

“O grupo de estudo que foi predispor genetically ao fumo foi igualmente genetically a um número de problemas de saúde, incluído a obesidade, o diabetes, o ADHD e várias doenças mentais, visto que um risco genético para o álcool foi associado com o mais baixo risco da doença. Isto não implica aquele que consome mais álcool melhora a saúde, mas indica uma complexidade mecanicista que precise de ser investigada mais,” Hveem diz

Nós relatamos a evidência para a participação de muitos agentes naturais da sinalização no uso do tabaco e do álcool, incluindo os genes envolvidos na neurotransmissão nicotinic, dopaminergic, e glutamatergic que em certa medida pode fornecer uma explicação biológica para porque nós procuramos estímulos artificiais.

Introspecções novas

Os dados que foram recolhidos vieram de um número de estudos e incluíram categorias diferentes da idade, sociedades com atitudes diferentes ao uso das drogas e testes padrões diferentes do uso do álcool e da nicotina. Contudo, os resultados mostraram que a correlação entre o risco genético e a revelação de categorias diferentes da doença variou pouco entre os grupos da população.

É importante notar que uma variação do gene que predispor uma pessoa a um determinado traço não tenha que “ser expressada” ou biologicamente activo, que poderia depender de diversos factores. A interacção entre genes diferentes pode jogar um papel, e as circunstâncias sociais igualmente influenciam o uso do álcool e do tabaco, fazendo o difícil tirar todas as conclusões firmes.

Esta pesquisa dá a introspecção nova na complexidade dos factores genéticos e ambientais que obrigam alguns de nós beber e fumar mais do que outro. É igualmente interessante notar que alguns destes genes ligados ao uso aumentado do álcool, reduzem o risco para algumas doenças.

Source: https://geminiresearchnews.com/2019/02/how-genes-affect-tobacco-and-alcohol-use/