Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os pesquisadores analisam níveis antioxidantes de deferimento nos tomates de cores diferentes

Os antioxidantes naturais foram do grande interesse nos últimos anos devido a seus benefícios de saúde reconhecíveis. Um estudo fora de Universidad Autónoma Metropolitana em México esclareceu níveis antioxidantes de deferimento centrando-se sobre oito genótipo do tomate com fruto da diferente-cor.

Laura Pérez-Flores conduziu uma equipe dos pesquisadores em uma avaliação da variação no carotenóide, o polyphenol, e o índice do tocopherol entre linhas selecionadas assim como ensaios híbridos e nativos do tomate para a capacidade antioxidante do fruto. Além, a expressão de genes metabolismo-relacionados do isoprenoid e dois factores pigmentação-relacionados da transcrição eram determinados.

Pérez-Flores explica, “tomates é a fonte dietética principal de antioxidantes; contudo, pouco é sabido sobre seus índices e regulamento nos genótipo de cores, de formas, e de tamanhos diferentes. A associação de maiores níveis de antioxidantes específicos com colorações particulares do fruto do tomate sugere um “balanço” entre estes compostos.”

Os resultados destes pesquisadores são iluminados em seu artigo “balanço antioxidante e o regulamento em genótipo do tomate da cor diferente”, encontrou na introdução actual do jornal da sociedade americana para a ciência hortícola.

O fruto do tomate é uma fonte excelente de antioxidantes e contribui significativamente à saúde humana devido a suas propriedades anti-inflamatórios, antiallergenic, e antithrombotic. Os resultados deste estudo apoiam a comercialização directa dos tomates com fruto diferente da cor ou o uso de seus genótipo em programas da criação de animais aumentar níveis antioxidantes entre cultivars existentes.

Os carotenóides e os tocopherols estão entre os antioxidantes lipofílicos principais actuais nos tomates. Os Polyphenols são os antioxidantes poderosos que foram relatados para interferir com a iniciação, a promoção, e a progressão do cancro. Os polyphenols principais do tomate são ácidos, flavanones, flavonols, e anticianinas hydroxycinnamic.

Nos últimos anos, os caminhos biossintéticos do carotenóide, o tocopherol, e a clorofila foram estudados devido a sua importância em compreender a interferência reguladora que contribui à qualidade nutritiva do fruto do tomate.

O estudo foi conduzido em México, que é um centro da diversificação e da domesticação do tomate e oferece assim uma vasta gama de genótipo nativos com fruto de cores, de formas, e de tamanhos diferentes. Estes genótipo poderiam ser integrados nos programas da criação de animais que apontam aumentar as propriedades nutraceutical de cultivars comerciais e recuperar os compostos antioxidantes que foram perdidos com o processo de selecção.

Todos os genótipo usados neste estudo eram parte da rede mexicana de recursos genéticos da planta. As linhas estudadas, nativo e híbrido, foram plantadas em um projecto de bloco completamente randomized com as três réplicas, e cada unidade experimental compreendeu 10 plantas.

Os pesquisadores encontraram que os maiores níveis de antioxidantes específicos estiveram associados com as colorações particulares do fruto do tomate. Estes genótipo podiam ser usados directamente como o alimento ou em programas da criação de animais para recuperar maiores níveis de compostos funcionais tais como carotenóides, tocopherols, anticianinas, e vitamina C.