Avaliação preliminar dos contaminadores e de substâncias aromáticas nos tecidos

O relatório de “sofás do DES Sécurité derrama o bébé”, publicado pela agência francesa para o alimento, a saúde ambiental e ocupacional & a segurança (ANSES), negócios com as substâncias perigosas em tecidos descartáveis do calcinha. Nos seguintes parágrafos, os BFR fornecem uma avaliação preliminar dos níveis de contaminadores e de substâncias aromáticas medidos nos tecidos. Os BFR não podem actualmente fazer uma avaliação detalhada das outras substâncias mencionadas no relatório para que ANSES preparou uma avaliação da saúde.

Avaliação dos contaminadores detectados nos tecidos

A detecção de contaminadores ubíquos tais como dioxina e furano, dioxina-como os biphenyls polychlorinated (dl-PWB) e hidrocarbonetos aromáticos polycyclic (PAH) na escala do traço deve ser esperada, porque as quantidades muito pequenas de cada substância podem ubiquitously ser detectadas com métodos analíticos modernos. Isto igualmente aplica-se aos resíduos das substâncias usadas na fabricação de tecidos ou na produção de matérias primas tais como o algodão (por exemplo glyphosate). Contudo, a detecção destas substâncias não envolve necessariamente um risco para a saúde.

ANSES usou quatro encenações diferentes do teste para examinar substâncias potencial nocivas para a saúde nos tecidos. Estas encenações servem para calcular a exposição em termos dos contactos de pele com as substâncias consideradas. Em uma encenação, por exemplo, as substâncias foram extraídas das peças pulverizadas do tecido usando um solvente orgânico. Em uma outra encenação, os tecidos foram preparados com um simulant da urina (urina artificial) a fim determinar transferência (migração) das substâncias à urina artificial. A aproximação escolhida por ANSES serve como um método da aproximação para calcular a exposição máxima. Que extensão esta avaliação envolve à incerteza não pode actualmente ser calculado pelos BFR, como alguma da informação necessária ainda está faltando.

Porque as encenações diferentes do teste e/ou da exposição são usadas, o relatório produz às vezes as indicações qualitativas diferentes do risco (nenhum risco contra o risco possível) para um e a mesma substância. Isto é em parte atribuível ao facto que, segundo a encenação, as suposições (conservadoras) do pior caso da severidade de variação foram feitas com a sobrestimação intencional (da risco-coberta) da exposição.

Principalmente as suposições conservadoras são usadas como a base dos parâmetros da exposição no pior caso assim como na avaliação refinada da exposição. Supor, por exemplo, que cada único tecido vestido no curso da infância está contaminado com a concentração a mais alta determinada para cada substância. O método de supr valores conservadores para os parâmetros da exposição é comum e igualmente usado pelos BFR ao avaliar os riscos para a saúde de produtos de consumo. A finalidade desta é assegurar-se de que um risco para a saúde possível não esteja subestimado. O resultado deste, contudo, é a tendência de uma sobrestimação da exposição e conseqüentemente do risco demasiado. A probabilidade da ocorrência de um efeito indesejado é conseqüentemente mais baixa na realidade. Os riscos estabelecidos desta maneira puderam conseqüentemente indicar uma necessidade para a pesquisa e a acção do potencial (por exemplo sob o ALCANCE).

De acordo com a avaliação da exposição no relatório de ANSES, o conhecimento disponível o mais atrasado indica que os valores da análise para o glyphosate e/ou o ácido aminomethyl-phosphonic do metabolito (AMPA) não constituem um risco para a saúde.

Avaliação das substâncias aromáticas alergénicas do contacto detectadas nos tecidos

As substâncias aromáticas alergénicas do contacto foram detectadas potencial em um dos 19 produtos do tecido examinados (ANSES, 2019). Os perfumes e as substâncias aromáticas são adicionados aos tecidos durante o processo de manufactura com a finalidade de aumentar a “estética” (Kosemund e outros, 2009; Rai e outros, 2009), isto é a apelação do produto. De acordo com a informação dos fabricantes, o perfume é de uso geral nos tecidos ou em determinadas peças disso de tal maneira que nenhum contacto de pele directo ocorre (Rai e outros, 2009). Enquanto a possibilidade teórica de contacto de pele indirecto ainda existe em conseqüência do recuo da urina do núcleo absorvente do tecido (Rai e outros, 2009), esta estêve tomada na consideração por ANSES. Os BFR não estão actualmente cientes de nenhuns exames experimentais que vão além deste.

As substâncias aromáticas alergénicas do contacto envolvem o potencial da sensibilização. Isto significa que uma alergia pode se tornar se a pele vem em contacto com substâncias deste tipo. Uma vez que uma pessoa se tornou sensibilizada, tem-se que supr que a alergia dura para uma vida e que os impedimentos da saúde são possíveis. A formação subseqüente de eczemas do contacto pode somente então ser impedida evitando o contacto com o alérgeno.

As disposições legais não específicas existem para o uso de substâncias aromáticas alergénicas do contacto em tecidos descartáveis. Não há nenhuma proibição no uso ou nas nenhumas obrigações da declaração (produtos cosméticos desiguais). Se as substâncias aromáticas usadas nos tecidos (a uma extensão allergologically relevante) podem obter no contacto com a pele, as substâncias aromáticas que são proibidas do uso em produtos cosméticos, ou que têm um potencial alto da sensibilização, não devem ser usadas segundo o parecer dos BFR.

Regulamentos em tecidos

A regra básica é que a responsabilidade para a conformidade com disposições legais na segurança da saúde dos produtos se encontra inicialmente com o fabricante ou o distribuidor. A monitoração de regulamentos legais em Alemanha é a responsabilidade dos estados federais (“Länder”). Além do que isto, os BFR publicaram pontas na avaliação dos produtos de higiene íntimos (BFR, 1996) em que recomenda que as especificações devem ser estabelecidas para as matérias primas usadas na fabricação de tecidos do calcinha e de forros do tecido.

Source: https://www.bfr.bund.de/cm/349/preliminary-estimation-of-undesired-substances-in-diapers.pdf