A imunoterapia pré-clínica da combinação das mostras dos dados podia suprimir o crescimento do tumor no fígado

Mesmo como a incidência do cancro e a diminuição totais da mortalidade nos Estados Unidos, o número de pessoas diagnosticado com cancro do fígado está na elevação. As terapias actuais para o cancro do fígado são pela maior parte ineficazes, tendo por resultado resultados deficientes, mas dados pré-clínicos novos do prova--princípio das ofertas da Faculdade de Medicina de San Diego da Universidade da California para uma imunoterapia da combinação que suprima o crescimento do tumor no fígado.

Na introdução em linha do 28 de janeiro de 2019 da hepatologia, os pesquisadores com centro do cancro de Uc San Diego Moores relatam aquele que combina dois reagentes, um ácido polyinosinicpolycytidylic dobro-encalhado synthetic do RNA (dsRNA) (polyIC) com uma morte-ligante programada 1 anticorpo (PD-L1), era eficaz em parar a progressão da carcinoma hepatocelular (HCC), com remissão completa do tumor e a sobrevivência tumor-livre observadas em alguns modelos do rato.

O “cancro do fígado é muito mais complicado do que nós pensamos,” disse Gen-Sheng Feng, PhD, professor da patologia e da biologia molecular em Uc San Diego e o autor superior no papel. “Nós e outros pesquisadores encontramos que recentemente aquele que suprime de oncogenes clássicos agrava irònica o cancro do fígado. O fígado tem um microambiente imune-tolerante original. É por isso nós não pudemos desenvolver um tratamento eficaz para o cancro do fígado obstruindo a sinalização oncogenic. Imunoterapia com inibidores do ponto de verificação, quando em muitos ensaios clínicos no mundo inteiro, puder ter os resultados incertos devido à baixa ou resposta deficiente.”

Em um estudo publicado em 2017, a equipe de Feng descobriu inesperada que o polyIC impulsiona fortemente uma variedade de funções imunes inatas antitumorosas no fígado e que tem um efeito positivo em impedir o cancro do fígado preliminar em modelos do rato, se administrado na fase do pre-cancro. Contudo, advertiram que o polyIC apenas não tem nenhum efeito terapêutico se injetado depois que os tumores são formados já. De facto, os pesquisadores mostraram que injecção do polyIC pode agravar a progressão do cancro do fígado em alguns modelos do rato.

No estudo actual, os pesquisadores confirmaram os dados experimentais precedentes em modelos animais diferentes para o cancro do fígado. Igualmente mostraram que a iniciação de tumores do fígado estêve suprimida reprogramming macrófagos e activação de pilhas de assassino naturais, tendo por resultado a eliminação de pilhas deinício. Junto, estes dados conduziram-nos acreditar que isso desenvolver uma estratégia da prevenção de cancro do fígado é possível impulsionando a imunidade inata, que pode beneficiar uma grande população de infecções hepáticas crônicas nos pacientes que estão no risco elevado para a revelação do cancro do fígado.

Em analisar porque o polyIC não tem nenhum efeito terapêutico no cancro do fígado, Feng e os colegas observaram que a administração do polyIC induziu potently a expressão PD-L1 no fígado. “Nós fomos obrigados por estes dados testar uma imunoterapia combinatória do polyIC mais o anticorpo PD-L1,” Feng disse.

Quando o polyIC foi combinado com um anticorpo PD-L1, o número de pilhas de T CD8 ativadas -- um tipo de glóbulo branco chamou linfócitos que ataca e mata células cancerosas -- aumentado dramàtica no fígado, tendo por resultado a supressão do tumor.

Este estudo centra-se sobre o cancro do fígado preliminar, mas os pesquisadores já estão revendo que efeito esta imunoterapia da combinação pôde ter no cancro do fígado metastático e na doença maligno em fases avançadas ou terminais, disseram Feng. A equipe igualmente está olhando dosagens óptimas e está considerando outras combinações do reagente que puderam ser mais eficazes.

“A mensagem a mais encorajadora e a mais importante deste estudo é que nós encontramos uma estratégia ou uma base racional para fazer o cancro do fígado altamente responsivo à imunoterapia,” disse Feng. “Baseou em nossos dados pré-clínicos nos modelos animais, um ensaio clínico poderia ser projectado e executado rapidamente porque ambos os reagentes estão sendo usados já separada para tratar assim pacientes não há nenhuma pergunta sobre a segurança.”

De acordo com a sociedade contra o cancro americana, mais de 700.000 novos casos do cancro do fígado são diagnosticados global e 600.000 mortes ocorrem todos os anos, fazendo a entre as causas de condução da morte do cancro no mundo. Em 2019, os 42.000 novos casos calculados do cancro do fígado serão diagnosticados e 31.000 povos morrerão nos Estados Unidos apenas.

“Nós precisamos de encontrar terapias novas eficazes para esta doença. As melhores drogas no mundo estendem somente a vida de um paciente por uma média de três meses,” disse Feng. “Muitos reagentes ou protocolos immunotherapeutic estão em experimentações da clínica, mas poucos foram baseados muito sobre ou justificados por dados pré-clínicos contínuos. Este estudo pode deslocar o paradigma no tratamento de cancro do fígado, com cuidado projetando uma terapia da combinação que active funções imunes inatas e adaptáveis múltiplas dentro do fígado.”