A entrega cesarean das cartas do estudo tende na Índia

A Índia tinha caído rapina à epidemia de cesarean actualmente afetando muitos países no mundo? Os agradecimentos aos dados emitidos da avaliação nacional a mais atrasada da família e da saúde, a Christophe Z. Guilmoto e a Alexandre Dumont, ambos os pesquisadores de IRD, puderam fazer um mapa de alguns das tendências e dos diferenciais principais.

Que nós sabemos sobre as secções cesarean, igualmente chamadas C-secções, na Índia quando o país ainda falta todas as estatísticas de hospital seguras? Com imóvel muitas entregas que ocorrem em casa e nenhum sistema nacional para segui-los, pareceria difícil avaliar a situação. Contudo, os dados derivados da vertente que conduzida avaliação nacional a mais atrasada da família e da saúde em 2015-2016 muita luz no parto pratica em todo o país. Um estudo por pesquisadores de IRD tem examinado evidência existente e tem podido recentemente fazer um mapa de alguns das tendências e dos diferenciais principais.

Primeiro encontrar deste estudo relaciona-se ao aumento rápido no número de entregas cesarean executadas na Índia desde que a última avaliação conduzida em 2005-2006, uma transformação ligada à proporção crescente de mulheres que entregam nos hospitais”, declara Christophe Z. Guilmoto, demógrafo na unidade de pesquisa de Ceped. 17,2% dos nascimentos na Índia foram calculados para ter sido entregados em 2010-16 por cesarean. Esta taxa cesarean está já acima da marca de nível de 10- 15% propor pelo WHO e acima dos níveis observados em uns países mais ricos tais como os Países Baixos ou Finlandia.

Encontrar do segundo é que esta média nacional de 17,2% esconde variações consideráveis através das categorias e das regiões sociais. Muitas regiões ainda faltam o acesso às facilidades maternas adequadas e as taxas cesarean nos estados tais como Bihar ou Madhya Pradesh encontram-se abaixo do nível de 10% avançado pelo WHO. Mas a situação parece ainda mais crítica entre o quintile o mais deficiente da população (4,4% dos nascimentos entregados por cesarean), conduzindo à desigualdade extrema no acesso a cesarean dentro do país. “Durante o mesmo período, mais do que um terço dos nascimentos são entregados pela secção cesarean entre o quintile o mais rico e em diversos estados de Índia sul tais Andhra Pradesh, Kerala e Telangana - com taxas acima de 50% relatado em alguns distritos”, traços Alexandre Dumont, epidemiologista na mesma unidade. Tais taxas elevados apontam ao uso freqüente de entregas cirúrgicas entre gravidezes de baixo-risco, especialmente em privado facilidade-este apesar das complicações potenciais tais como a infecção ou a hemorragia.

Em resumo, o estudo calculou que o défice de entregas cesarean nas regiões as mais deficientes representou 2,2% das entregas em 2010-16, quando o excesso observado em umas populações mais prósperas esclareceu 7,0% deles. Esta análise destaca a carga dobro que enfrenta hoje autoridades da saúde da Índia: de um lado, a necessidade de melhorar o acesso às entregas seguras em muitos distritos da Índia norte e entre o deficiente a fim reduzir a mortalidade materna e neonatal, e por outro lado, os desafios apresentados pelo uso excessivo crescente de entregas cesarean em partes mais avançadas do país. Para os pesquisadores, as tendências da corrente e o progresso econômico da Índia sugerem que a proporção de nascimentos entregados pela C-secção continue a aumentar no futuro bem acima dos níveis médico-justificáveis a menos que os esforços forem feitos para limitar o sobre-medicalization do parto.

Source: https://lemag.ird.fr/en/news/cesarean-deliveries-india-too-many-and-yet-too-few