Ferramentas diagnósticas, prognósticas prometedoras para o início e progressão do ALS

A esclerose de lateral Amyotrophic é uma doença do neurônio de motor com progressão desenfreado e isso é tipicamente fatal dentro de 5 anos de prognóstico. Aproximadamente 10% do ALS tem as origens familiares que são causadas por ~20 genes, visto que os formulários restantes do ALS são esporádicos. Até agora não há nenhum tratamento eficaz para o ALS. As necessidades clínicas não satisfeitas críticas no ALS igualmente compreendem a falta de ferramentas com carácter de previsão do início e da progressão do ALS e dos mecanismos druggable compartilhados por formulários diversos do ALS.

A evidência da montagem indica que shuttling de proteínas selectivas entre o núcleo e os compartimentos cytosolic dos neurônios de motor está danificado através dos formulários diferentes do ALS com conseqüências de conexão em cascata. Entre estes é a acumulação aparente e tóxica de proteínas que se tornam deletérias aos neurônios de motor por toda a vida. Uma equipe dos investigador no centro médico de Duke University conduzido pelo Dr. Paulo Ferreira e colaboradores na clínica de Cleveland, tornou-se e examinado um rato modificado geneticamente modele com o dysregulation do transporte nucleocytoplasmic. Estes ratos desenvolvem ràpida o progresso ALS-como traços do motor. Como em pacientes do ALS, os ratos desenvolvem a paralisia do membro e sucumbem à aflição respiratória.

A pesquisa conduziu por estes investigador e publicou em linha em celular e as ciências da vida moleculars pela natureza de Springer e apoiadas pelos institutos de saúde nacionais mostram agora que os ratos com prejuízos no transporte nucleocytoplasmic no motor espinal e nos neurônios retinas do gânglio desenvolvem deficits adiantados e funcionais na transmissão visual da retina ao cérebro. Estes deficits visuais tornam-se antes dos sintomas do motor seguiram. Os neurônios retinas do gânglio são pilhas especializadas na retina, que é um tecido neuronal que alinhe a peça da parte traseira e do interior do olho. Os neurônios do gânglio através de suas projecções longas (axónio) transmitem ao cérebro uma disposição complexa de estímulos visuais que são capturados por uma rede dos neurônios sensoriais na retina. Os ratos com o dysregulation do transporte nucleocytoplasmic nos neurônios retinas do gânglio igualmente mostram a diluição (degeneração) dos axónio projetados ao cérebro.

O estudo conduzido por estes investigador igualmente encontrou que independentemente de compartilhar anomalias funcionais e morfológicas com os neurônios de motor, os neurônios retinas do gânglio desenvolveram assinaturas moleculars e celulares originais. Estas respostas da pegada eram geralmente distintas daquelas descobertas previamente nos neurônios de motor. Uma característica da indicação do dysregulation do transporte nucleocytoplasmic nos neurônios retinas do gânglio era a estimulação de um grupo de respostas pelas pilhas da fiscalização do sistema imunitário do sistema nervoso central - o microglia - que promovem o neuroinflammation. Neuroinflammation, quando ido awry, é pensado para agravar a deficiência orgânica e a degeneração neuronal.

Contudo, o trabalho dos investigador em Duke University e a clínica de Cleveland indicam que o neuroinflammation e as anomalias nos neurônios retinas do gânglio podem ser explorados como ferramentas diagnósticas e prognósticas para o início e a progressão de doenças do neurônio de motor, tais como o ALS. Certamente, seus resultados foram inspirados pelos estudos contemporâneos que sugerem que os pacientes do ALS apresentam abnormities na transmissão visual ao cérebro. Há um provérbio velho que os estados “os olhos são o indicador à alma”. Mas agora o estudo pelos investigador da clínica de Duke University e de Cleveland revela que os olhos podem igualmente servir como uma ferramenta poderosa e com carácter de previsão para as doenças neurológicas que compartilham de prejuízos no transporte nucleocytoplasmic. Parenthetically, tais prejuízos não são restringidos ao ALS, mas são cooptados igualmente por outras doenças, tais como Huntington e Alzheimer.