As isenções afluem enquanto os pais e os doutores fazem a saraiva Mary do `' em torno das leis vacinais

Em duas escolas autónomas públicas na cidade de região vinícola de Sonoma de Sebastopol, mais do que a metade das crianças em idade pré-escolares receberam isenções médicas do ano escolar estado-exigido das vacinas por último. As cidades da cidade de Berkeley, de Santa Cruz, Nevada, Arcata e Sausalito todos tiveram as escolas em que mais de 30% das crianças em idade pré-escolares tinha sido concedido tais isenções médicas.

Quase três anos há, com doença infecciosa avalia o tiquetaque acima, Califórnia decretou uma lei ferozmente contestada exceto pais da menção pessoal ou das crenças religiosas para evitar vacinar suas crianças. As crianças poderiam ser isentadas somente em terras médicas, se os tiros eram prejudiciais à saúde.

Contudo hoje, muitas das escolas que tiveram as taxas as mais altas de estudantes unvaccinated antes que a medida nova continuasse a guardarar essa distinção alarming. Isso é porque os pais encontraram corridas de fim em torno da lei nova que exige vacinações. E fizeram assim, frequentemente, com a cooperação dos doutores - alguns nem sequer pediatras. Um fornecedor prolífico da isenção é um psiquiatra que execute uma clínica antienvelhecimento.

Os doutores em Califórnia têm a autoridade larga para conceder isenções médicas à vacinação, e para decidir as terras para fazer assim. Alguns wielding essa potência liberalmente e às vezes para o dinheiro: dúzias de assinatura - mesmo centenas - das isenções para crianças nas comunidades longínquos.

“Ele meio a saraiva Mary dos refusers vacinais que estão tentando contornar o SB 277,” a conta do Senado de Califórnia assinou na lei por Gov. Jerry Brown em 2015, disse o Dr. Brian Prystowsky, um pediatra de Santa Rosa. “É material realmente assustador. Nós temos os bolsos em nossa comunidade que apenas estão esperando o sarampo para se rasgar através de suas escolas.”

O número de crianças de Califórnia concedeu isenções médicas das vacinações triplicou nos dois anos passados.

Em toda a nação, 2019 estão dando forma acima para ser um dos anos os mais ruins para casos do sarampo dos E.U. em um quarto de século, com manifestações principais no estado de New York, de Texas e de Washington, e nos novos casos relatados em 12 mais estados, incluindo Califórnia. Traços da experiência de Califórnia como duramente é conseguir pais seguir com as leis da vacinação significadas proteger a segurança pública quando uma população pequena mas inflexívela das famílias e dos médicos parecer determinada resistir.

Quando o Senado Bill 277 tomou o efeito em 2016, Califórnia transformou-se o terceiro estado, após Mississippi e West Virginia, para proibir as isenções vacinais baseadas em pessoal ou em crenças religiosas para estudantes do público e da escola privada. (A proibição não se aplica aos estudantes que HOME-são educados.)

Nos dois anos subseqüentes, o SB 277 melhorou taxas totais da vacinação da criança: A porcentagem de crianças em idade pré-escolares inteiramente vacinadas aumentou de 92,9% no ano escolar 2015-16 a 95,1% em 2017-18.

Mas aqueles ganhos pararam no ano passado devido à elevação dramática em isenções médicas: Mais de 4.000 crianças em idade pré-escolares receberam estas isenções no ano escolar 2017-18. Embora o número é ainda relativamente pequeno, muitos são concentrados em um punhado das escolas, saindo daquelas salas de aula extremamente vulneráveis às manifestações sérias.

Baseado em directrizes federais extensamente aceitadas, as isenções vacinais para razões médicas devem ser excessivamente raras. São tipicamente reservados para as crianças que são alérgicas aos componentes vacinais, que tiveram uma reacção precedente a uma vacina, ou os cujos os sistemas imunitários são comprometidos, incluindo os cabritos que estão sendo tratados para o cancro. as alergias e a asma do Corrida---moinho não são razões atrasar ou evitar vacinas, de acordo com os centros para o controlo e prevenção de enfermidades dos E.U. Nenhum é autismo.

Antes que a lei da imunização de Califórnia tomou o efeito, apenas uma fracção de 1% dos alunos do estado teve isenções médicas. Em o último ano escolar, 105 escolas, dispersadas através do estado, relataram que 10% ou mais de suas crianças em idade pré-escolares tinha sido concedido isenções médicas. Em 31 daquelas escolas, 20% ou mais das crianças em idade pré-escolares teve isenções médicas.

O ponto em isenções médicas está ocorrendo entre a tinged polìtica, conversação nacional frequentemente rancoroso sobre vacinas e liberdade pessoal como resurges do sarampo nos E.U. e no mundo inteiro. Pelo menos 387 casos do sarampo tinham sido relatados por todo o país até o 28 de março, de acordo com o CDC. Em Califórnia, 16 casos tinham sido relatados, dois deles que exigem a hospitalização.

O problema em Califórnia, as autoridades estatais dizem, são como a lei da imunização foi estruturada. Removeu a capacidade dos pais para mencionar “a opinião pessoal” como uma razão para isentar suas crianças das exigências vacinais no centro de dia e nas escolas. As isenções agora devem ser autorizadas por um médico licenciado que forneça uma indicação redigida que menciona um problema médico que indique que a imunização “não está considerada segura.”

Mas a lei não especifica as circunstâncias que qualificam um estudante para uma isenção médica, nem exige médicos seguir directrizes federais.

O fraseio conduziu a um tipo do mercado cinzento em que os pais compartilham de nomes de doutores “vacina-amigáveis” verbalmente ou em grupos fechados de Facebook. E alguns daqueles doutores estão concedendo a crianças as isenções gerais - para toda a hora e todas as vacinas - que mencionam uma escala das circunstâncias não apoiadas por directrizes federais, tais como uns antecedentes familiares da eczema ou da artrite.

Entre interesses crescentes sobre as isenções suspeitas, o departamento de Califórnia da saúde pública lançou recentemente uma revisão das escolas com números “biològica improváveis” de isenções médicas, disse o director da agência, Dr. Karen Smith. Os doutores que escreveram isenções duvidosas serão referidos a placa médica de Califórnia para a investigação possível.

A placa médica, que licencia doutores, tem a autoridade para arrecadar sanções se os médicos não seguiram a prática médica padrão em pacientes de exame ou em documentar razões específicas para uma isenção.

Nos últimos anos, contudo, a placa aprovou somente um doutor para impròpria escrever uma isenção vacinal médica em um caso que fizesse título. Desde 2013, a placa recebeu 106 queixas sobre as isenções vacinais potencial impróprias, incluindo nove até agora este ano, disse o orador Carlos Villatoro.

Um durante o caso envolve o Dr. Ron Kennedy, que foi treinado como um psiquiatra e executa agora uma clínica antienvelhecimento em Santa Rosa.

Os investigador da placa médica tomaram a etapa incomum de citar 12 distritos escolares para informes médicos do estudante após ter recebido queixas que Kennedy escrevia isenções impróprias. Encontraram que Kennedy tinha escrito pelo menos 50 isenções, usando as letras de formulário quase idênticas, para estudantes nas comunidades múltiplas, incluindo Santa Rosa, Fremont e Fort Bragg, dizer que as imunizações “contraindicated” para uma lista do saco de circunstâncias que incluem o lúpus, a dificuldade de aprendizagem, as alergias de alimento e da “o prejuízo desintoxicação.”

O Dr. decano Blumberg, chefe de doenças infecciosas pediatras no hospital de crianças de Uc Davis e na testemunha perita de placa médica, disse que as isenções emitidas por Kennedy parecem ter sido fornecidas “sem uma avaliação apropriada,” de acordo com documentos judiciais.

Kennedy recusou responder às intimações da placa que procura os informes médicos de três de seus pacientes, de acordo com documentos judiciais. A placa tem para arquivar ainda uma acusação formal contra Kennedy, e continua a praticar.

Como Kennedy, muitos dos doutores que concedem isenções unorthodox mencionam sua opinião em direitos ou nos interesses parentais da referência não apoiados pela ciência médica convencional. Kennedy está processando a placa médica e sua agência de pai, o departamento de Califórnia de casos de consumidor, dizer o estado não teve os direitos legais de citar distritos escolares para os informes médicos dos seus pacientes sem primeiramente informá-lo assim que poderia desafiar a acção no tribunal. O caso é em curso.

Kennedy diminuiu o comentário à notícia da saúde de Kaiser. “Eu não quero estar para fora no aberto,” disse em uma breve troca do telefone. “I've conseguiu ir. I've conseguiu um negócio ser executado.”

Em Monterey, o Dr. Douglas Hulstedt é conhecido como o doutor para ver para as famílias que procuram isenções médicas. Em uma breve entrevista de telefone, disse que era se preocupou sobre a escolha de objectivos pela placa médica do estado. “Eu colei minha maneira do pescoço lá fora apenas que falo com você,” disse. Hulstedt não dá isenções a cada criança que examina, disse ele, mas acredita que as vacinas podem causar o autismo - um ponto de vista da franja que debunked por estudos múltiplos.

Em março, a voz em linha da publicação de San Diego destacou os doutores que escrevem isenções médicas, incluindo um médico que tinha escrito mais do que um terço das 486 isenções médicas do estudante no distrito escolar unificado San Diego. Os oficiais do distrito tinham compilado uma lista de tais isenções e dos doutores que os forneceram.

Indique o senador Richard Bandeja (D-Sacramento), um pediatra que patrocine a lei vacinal de Califórnia, foi um crítico vocal dos doutores que diz está contornando a intenção da legislação por isenções “falsificadas” de distribuição. No mês passado, introduziu a legislação da continuação que exigiria o departamento da saúde do estado assinar fora em isenções médicas. O departamento igualmente teria a autoridade para revogar as isenções encontradas para ser incompatível com directrizes do CDC.

“Nós não podemos permitir que um pequeno número de médicos não-éticos ponham nossas crianças para trás em risco,” Bandeja disse. “É hora de parar isenções médicas falsificadas e os doutores que as estão vendendo.”

Repórter digital Harriet Blair Rowan de Califórnia Healthline e de política de Califórnia jovens de Samantha do correspondente contribuídos a este relatório.

Esta história de KHN publicou primeiramente em Califórnia Healthline, um serviço da fundação dos cuidados médicos de Califórnia.

Notícia da saúde de KaiserEste artigo foi reimprimido de khn.org com autorização da fundação de Henry J. Kaiser Família. A notícia da saúde de Kaiser, um serviço noticioso editorial independente, é um programa da fundação da família de Kaiser, uma organização de investigação nonpartisan da política dos cuidados médicos unaffiliated com Kaiser Permanente.