os cancros do colo do útero HPV-negativos são mais agressivos com prognóstico mais ruim

O negativo do cancro do colo do útero para o vírus de papiloma humano (HPV) é raro mas mais agressivo: diagnostica-se mais freqüentemente em fases avançadas, com mais metástase e sobrevivência reduzida. Estas são as conclusões de um estudo co-conduzido por ISGlobal, de uma instituição apoiada pelo “la Caixa”, da clínica do hospital e da universidade de Barcelona.

O cancro do colo do útero é o quarto a maioria de cancro comum entre mulheres no mundo inteiro e uma causa principal da morbosidade e da mortalidade. A infecção por HPV (genótipo particularmente determinados) é o agente causal principal deste tumor. Contudo, uma porcentagem pequena dos casos é negativa para HPV. Não é claro, contudo, se estes tumores representam um subtipo distinto do cancro, com características clínicas e prognósticas diferentes.

Neste estudo, na equipe conduzida pelo pesquisador de ISGlobal e pelo patologista Jaume Ordi, em tumores analisados de 214 mulheres diagnosticadas com cancro do colo do útero e admitidas à clínica do hospital em Barcelona entre 2012 e 2015, e continuadas por cinco anos. Usando um teste molecular altamente sensível da amplificação, encontraram que 10% dos tumores analisados eram negativos para o ADN de VPH. As mulheres com este tipo de tumor foram diagnosticadas em umas fases mais avançadas da doença, tiveram uma taxa mais alta de metástase de nó de linfa e sua sobrevivência média era metade isso das mulheres com tumores HPV-positivos.

“Estes resultados confirmam estudos precedentes por nosso grupo, com amostras menores,” explicam Ordi. “O estudo novo confirma-o que os tumores HPV-negativos representam um tipo mais agressivo de cancro com o prognóstico mais ruim, que deve ser considerado para a gestão clínica destes pacientes,” adiciona.

Source: https://www.isglobal.org/en/new/-/asset_publisher/JZ9fGljXnWpI/content/el-cancer-cervical-es-mas-agresivo-cuando-no-hay-presencia-del-virus-del-papiloma-humano