A inabilidade do dia-a-dia antes da substituição anca pode prever resultados cargo-operativos deficientes

Um estudo novo da medicina de Johns Hopkins que olha informes médicos de mais de 43.000 adultos dos E.U. com osteodistrofia prejudicial da quadril-junção sugere que aqueles que não podem executar actividades diárias independente antes que a cirurgia anca total da substituição esteja mais provável ter uns resultados mais deficientes após a cirurgia.

Crédito: Imagens de Getty

Totais, aquelas menos capazes de importar-se com se pareceram ser duas a três vezes mais provavelmente ter complicações cirúrgicas e passar o tempo em uma facilidade dos cuidados ou de reabilitação antes da HOME indo, e ter um comprimento 19 por cento mais longo da estada do hospital.

Os resultados, publicados na introdução do 27 de março de 2019 da ortopedia do jornal, conduziram os pesquisadores concluir que uma avaliação pré-operativa da capacidade para executar actividades diárias tais como a tomada de chuveiros, comer, obtendo se vestiu e ir ao banheiro pode ser usado como uma ferramenta simples para ajudar a prever resultados pós-operatórios. Isto ajudará mais a determinar se outras intervenções tais como a fisioterapia são necessários de antemão preparar melhor o paciente para a cirurgia e aumentar a probabilidade de um resultado bem sucedido.

Com uma sociedade do envelhecimento, nós vemos um número de pessoas aumentado que precisam ou são consultados para cirurgias ancas da substituição. Contudo, sem uma compreensão melhor dos factores que influenciam resultados após a cirurgia, nós não podemos fazer os melhores planos do tratamento para nossos pacientes, e nosso estudo oferece uma ferramenta simples ajudar a informar decisões do tratamento.”

Micheal Raad, M.D., primeiro autor do estudo publicado e um research fellow pos-doctoral no departamento da cirurgia ortopédica na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins

Os pesquisadores dizem que os estudos futuros são necessários explorar umas maneiras mais precisas e mais estandardizadas de medir capacidades diárias da auto-suficiência.